OMS: Hidroxicloroquina está sendo sufocada para favorecer interesses obscuros

 OMS: Hidroxicloroquina está sendo sufocada para favorecer interesses obscuros

A hidroxicloroquina estava salvando vidas, até que um estudo possivelmente manipulado, para favorecer interesses de corporações gananciosas ligadas ao financiamento de vacinas, fez com que umas das organizações mais consideradas do mundo, baixar a cabeça para um estudo, que qualquer cientista poderia identificar os "erros" cometidos no estudo. No entanto, a 
Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu o estudo como um substituto para os fatos curados, e outros estudos provados, então declarou "proibição do tratamento". Como centenas de milhares de cientistas refutaram as evidências enganosas do estudo, a Organização Mundial da Saúde, retrocedeu, e parece ter reconhecido sua ignorância e erro grave, em ter dado ouvidos ao estudo controverso.

Como mencionamos anteriormente, a hidroxicloroquina, é usado há mais de 65 anos para prevenir e tratar doenças como lúpus, malária e artrite reumatoide e foi oficialmente declarado como seguro todos esses anos. Muitos médicos que trataram pacientes com covid-19 relataram que a hidroxicloroquina é eficaz e seguro quando usado em conjunto com azitromicina e zinco.

O Dr. Didier Raoult tem usado com grande sucesso a hidroxicloroquina para tratar vítimas de covid-19. Está provado que o hidroxicloroquina, juntamente com a azitromicina e o zinco, foi uma cura para 79 de 80 pacientes.



A OMS, e outros envolvidos querem remover o medicamento barato para favorecer interesses de corporações, que financiam a "vacina milagrosa", e que será recheada de trilhões de dólares.


Uma médica diferente, a diretora-executiva da Associação de Médicos e Cirurgiões Americanos, Jane Orient, disse aos espectadores em vídeo que “olhassem para o dinheiro”. Ela ressaltou que não há grandes lucros para serem obtidos com a Hidroxicloroquina, que é genérico e existe há cerca de 70 anos. Esse não é o caso do Remdesivir, no qual, a grande mídia deu salto da hidroxicloroquina, para o Remdesivir, para somente promove-la como um novo medicamento para o covid-19,ー pode acabar sendo bastante lucrativo se obtiver aprovação. No entanto, esse medicamento é recente, e não à evidências concretas de sua eficácia ao covid-19.


No Brasil apesar da deci
são errônea da OMS de suspender o uso da hidroxicloroquina, no qual agora retrocedeu o Ministério da Saúde brasileiro manteve a recomendação dela e da cloroquina para a doença.

Nesta sexta-feira (5) Organização Mundial de Saúde pediu desculpas pela controvérsia gerada com o posicionamento da organização em relação à pesquisa sobre a eficácia da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19.

“Nos desculpamos coletivamente pela imagem de confusão que os estudos podem dar, mas é preciso seguir evidências científicas e garantir que as pessoas que entram nestes testes clínicos o façam de forma segura, que se dê prioridade ao bem-estar delas”, disse o diretor-executivo para Emergências da OMS, Mike Ryan, em entrevista coletiva.

A OMS havia interrompido na semana passada os estudos que conduzia, depois que a revista científica “The Lancet” apontou aumento do índice de mortalidade em pacientes que eram submetidos à terapia com o medicamento.A agência, no entanto, retomou as atividades depois que três dos quatro autores do texto se retificaram e pediram a retirada do material do ar.

Mike Ryan deu a declaração no mesmo dia em que a Universidade de Oxford anunciou o fim das pesquisas com hidroxicloroquina em pacientes britânicos, ao determinar que não produzia benefícios visíveis nos tratamentos.
Continue lendo após a publicidade
Continue lendo após a publicidade
Estar havendo uma extrema censura por parte dos gigantes da tecnologia. Por isso, incentivamos que todos que desejam receber nosso conteúdo valioso , a se inscreverem na nossa lista de e-mail. - Depois de se increver acesse sua caixa de entrada ou de spam para confirmar sua inscrição.
Se conecte com nós nas redes | Instagram | Facebook |Twitter |Telegram


Fabio Allves

Fabio Allves
Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar. | Telegram

Talvez você goste