À hidroxicloroquina tem tudo a ver com a proteção dos lucros dos financiadores de vacinas?

Compartilhar
À hidroxicloroquina tem tudo a ver com a proteção dos lucros de financiadores de vacinas

Se você confia na grande mídia, e nas agências de saúde e suas subsidiadas, você provavelmente já foi enganado e iludido muitas vezes. As pessoas esqueceram que a maior "coisa" cientifica, é o fato provado de funcionar ou curar, e não de estudo em papel, ou que precise de organizações declarar oficialmente que é cientifico. A hidroxicloroquina estava salvando vidas, até que um estudo estranhamente financiado com doações dos Institutos Nacionais de Saúde e da Universidade da Virgínia dos EUA, analisou pacientes nos hospitais da Administração dos Veteranos relatando ineficiência do medicamento, e até mesmo como medicamente perigoso, que pode matar em vez de tratar. No entanto, o estudo parece ter sido manipulado para desacreditar seu poder de cura contra o coronavírus covid-19, ou o que chamo de, Síndrome Respiratória Aguda Grave-Covid-19 de Nível 2 (Sars-Cov- de nível 2).

Portanto, as organizações de saúde e seus subsidiados entraram em ação, proibindo a medicação, o que mais tarde o estudo foi refutado por milhares de cientistas, e então agências de saúde como a própria Organização Mundial de Saúde (OMS), se revelou imprudente quando declarou a proibição do medicamento contra o covid-19 baseado em um único estudo, o que levou a mais uns milhares de perdas de vidas, entretanto, apos cientistas de todo o mundo refutar o estudo possivelmente manipulado por questões financeiras, a OMS retrocedeu, se mostrando uma completa ineficiência e errônea. 


No Brasil apesar da decisão errônea da OMS de suspender o uso da hidroxicloroquina, no qual agora retrocedeu  o Ministério da Saúde brasileiro manteve a recomendação dela e da cloroquina para a doença.

Mas a verdade é que é um medicamento usado há mais 65 anos para prevenir e tratar doenças como lúpus, malária e artrite reumatoide e foi oficialmente declarado como seguro. Muitos médicos que trataram pacientes com covid-19 relataram que é eficaz e seguro quando usado em conjunto com azitromicina e zinco. E essa parece ser a chave aqui: ele precisa de zinco para ser realmente eficaz. Como é uma droga farmacêutica, como qualquer outra tem lá seus efeitos colaterais, no entanto, vale os benefícios se pode tratar pacientes com covid-19, porque os efeitos colaterais são facilmente administráveis.

Não está claro porque no estudo, eles deixaram de fora o zinco, ou se foi intencionalmente, porque outros especialistas disseram que o zinco precisa ser associado ao medicamento para que seja benéfico. Os pesquisadores dizem que o medicamento ajuda o zinco a entrar nas células infectadas para destruir o coronavírus. Na verdade, é o zinco que é o ingrediente ativo neste tratamento, e a hidroxicloroquina apenas ajuda a chegar onde precisa, para que ele possa atingir o vírus em si.

Como de costume, seguir o dinheiro lança alguma luz sobre o motivo pelo qual a droga está tendo um marketing tão ruim. A hidroxicloroquina é muito barato, e a indústria farmacêutica, financiadores e criadores de vacinas, tendo uma cura barata, não ganham muito dinheiro com isso, logicamente por ser simples barato, e todos começarem a se curar por uma droga simples, significa que muitas corporações do ramo da saúde, e gente como Bill Gates que financiou vacinas perderiam bilhões de dólares em vacinas que já não mais, a população precisa. Compare isso com o remdesivir, que a grande mídia de transmissão principal divulgou, embora não tenha muitas evidências apoiando sua segurança ou eficácia; uma coisa que tem a seu valor é o potencial de ganhar muito dinheiro para empresas farmacêuticas, pois esse medicamente é altamente caro.



Os médicos dizem que a Hidroxicloroquina está ajudando curar, mas, à maioria das pessoas provavelmente não vai ouvir sobre isso


À claramente interesses financeiros em jogo no fato de o sucesso da droga Hidroxicloroquina funcionar, e rapidamente uma tentativa de substitui-lo por uma droga não provada ser eficiente, no entanto, centenas de vezes mais cara, sendo esta promovida, remdesivir. A hidroxicloroquina, uma forma mais branda da cloroquina, está em uso desde 1952 com efeitos colaterais gerenciáveis. Ele tem sido usado não apenas para tratar casos atuais, mas também para prevenir casos futuros.

O Dr. Didier Raoult tem usado com grande sucesso a hidroxicloroquina para tratar vítimas de covid-19. Está provado que o hidroxicloroquina, juntamente com a azitromicina e o zinco, foi uma cura para 79 de 80 pacientes. O estudo nos 
hospitais da Administração dos Veteranos afirmou que o hidroxicloroquina era ineficaz, até que se demonstrou que a hidroxicloroquina era administrado na àqueles na faixa dos 80 anos e apenas como último recurso. Não foi utilizado em combinação com a azitromicina (Z-Pack) ou zinco, diminuindo a eficácia do tratamento.

O marketing da grande mídia contra a Hidroxicloroquina tem sido eficaz em fazer com que pacientes agora tenham medo de usá-la, mesmo que não tenham preocupações cientificamente válidas. Uma médica diferente, a diretora executiva da Associação de Médicos e Cirurgiões Americanos, Jane Orient, disse aos espectadores em vídeo que “olhassem para o dinheiro”. Ela ressaltou que não há grandes lucros para serem obtidos com a Hidroxicloroquina, que é genérico e existe há cerca de 70 anos. Esse não é o caso do Remdesivir, que, como um novo medicamento, pode acabar sendo bastante lucrativo se obtiver aprovação.

O maior problema aqui não é o dinheiro - é o fato de que a droga não é tão eficaz. O estudo clínico analisado disse que só alcançou uma ligeira queda no "tempo até a recuperação clínica", e os objetivos do resultado foram alterados após o fato que o Remdesivir não se mostrar realmente eficaz, para obter aprovação da Administração de Alimentos e Drogas dos EUA (FDA). Aqueles que o tomaram se recuperaram um pouco mais rápido do que aqueles que não o tomaram, mas não houve diferença significativa no número de pessoas que sucumbiram à doença.

E, a propósito, quando este medicamento provar ser o grande fracasso que os primeiros estudos já indicam, será usado como forma de diminuir a possibilidade de encontrarmos uma cura e convencer a todos de que a vacinação em massa é o que é realmente é necessário.

A Hidroxicloroquina é um medicamento que é considerado seguro e tem sido amplamente utilizado por sete décadas. Infelizmente, com apenas algumas centenas de dólares, a indústria farmacêutica, e criadores de financiadores de vacinas, fará o possível para garantir que as pessoas não ouçam os resultados promissores que muitos médicos obtiveram ao administrá-lo em pacientes com coronavírus em conjunto com o azitromicina e zinco.
Compartilhar
Ajude-nos abrindo uma publicidade - Cique aqui
Ajude-nos abrindo uma publicidade - Cique aqui
Continue lendo após publicidade
Estar havendo uma extrema censura por parte dos gigantes da tecnologia. Por isso, incentivamos que todos que desejam receber nosso conteúdo valioso , a se inscreverem na nossa lista de e-mail. - Depois de se inscrever acesse sua caixa de entrada ou de spam para confirmar sua inscrição.
Siga nas redes | Instagram | Facebook |Twitter |Telegram

Fabio Allves

Fabio Allves
Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar. | Telegram