Coletividade Evolutiva , A ivermectina tem pelo menos 15 mecanismos de ação anticâncer. Pode tratar cânceres turbo induzidos pela vacina Covid mRNA? , Coronavírus , Covid-19 , Vacina , Vacinação ,

A ivermectina tem pelo menos 15 mecanismos de ação anticâncer. Pode tratar cânceres turbo induzidos pela vacina Covid mRNA?

A ivermectina exerce efeitos anticancerígenos através de pelo menos 15 vias diferentes comprovadas na literatura médica, tanto in vitro quanto in vivo


Está é uma análise abrangente do Dr. William Makis, um médico canadense com experiência em Radiologia, Oncologia e Imunologia. Medalha do Governador Geral, Bolsista da Universidade de Toronto. Autor de 100+ publicações médicas revisadas por pares.

A ivermectina exerce efeitos anticancerígenos através de pelo menos 15 vias diferentes comprovadas na literatura médica, tanto in vitro quanto in vivo!

  • (Você obtém um bom resumo desses 15 caminhos do artigo de 2021 de Mingyang Tang et al.)
  • Primeiro, vamos resumir rapidamente os mecanismos anticâncer (um rápido resumo pode ser encontrado no artigo de 2022 de Loftalizadeh et al):
  • Ivermectina induz morte de células tumorais: apoptose, autofagia, piroptose
  • A ivermectina inibe o início e a progressão do tumor (via inibição de WNT, inibição de YAP1)
  • A ivermectina inibe o crescimento e a proliferação tumoral (via inibição da Akt/mTOR, inibição da MAPK)
  • A ivermectina interrompe a migração, invasão e metástase das células cancerígenas (via inibição da PAK1 – observada em 70% de todos os cancros, inibição da EMT, inibição da helicase do RNA)
  • A ivermectina causa disfunção mitocondrial de células cancerosas (inibe a biogênese mitocondrial, aumenta as espécies reativas de oxigênio seletivamente apenas em células cancerosas)
  • A ivermectina regula o microambiente tumoral (para inibir o crescimento e a progressão tumoral, via via P2X7, CDI – medeia a morte celular imunogênica)
  • A ivermectina inibe as células-tronco cancerígenas (responsáveis pela iniciação, progressão e recorrência do tumor)
  • A ivermectina inibe a angiogênese tumoral (criação de vasos sanguíneos tumorais)
  • A ivermectina tem atividade antimitótica (interage com a tubulina de mamíferos)
  • A ivermectina é um regulador epigenético do câncer para inibir a progressão do câncer (altera a expressão gênica para inibir a progressão do câncer, SIN3A, EMT)
  • Ivermectina pode superar a resistência tumoral a múltiplas drogas

Artigos revisados:



Fev 2018 – Juarez et al – A droga multialvo ivermectina: de um agente antiparasitário a um medicamento contra o câncer reposicionado


  • Satoshi Omura, do Instituto Kitasato, descobriu a ivermectina em 1979 e recebeu o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina por essa descoberta em 2015
  • A ivermectina foi aprovada pelo FDA (Equivalente a Anvisa do Brasil) para uso humano em 1987 para tratar por via oral a oncocercose, também conhecida como cegueira dos rios, causada pelo parasita Onchocerca volvulus, transmitido pela mosca-negra
  • A ivermectina é tomada anualmente por cerca de 250 milhões de pessoas
  • a maioria dos pacientes tratados com Ivermectina não apresenta outros efeitos colaterais além daqueles causados pelas respostas imune e inflamatória contra o parasita, como febre, prurido, erupções cutâneas e mal-estar
  • A concentração máxima no plasma é atingida 4-5 h após a sua administração oral
  • sua meia-vida é de aproximadamente 19 h e é metabolizada no fígado pelos complexos citocromo CYP1A e CYP3A4, gerando 10 metabólitos, em sua maioria desmetilados e hidroxilados.
  • Sua excreção é principalmente pelas fezes e apenas 1% é excretado na urina
  • A ivermectina exerce efeitos antitumorais em diferentes tipos de câncer.

O que isso significa clinicamente:


  • Canal de cloreto – Leucemia mieloide aguda – morte celular induzida
  • Akt/mTOR caminho – glioblastoma, linhagens de células de câncer renal – inibição da biogênese mitocondrial ou função, estresse oxidativo, danos ao DNA
  • Superexpressão de P2X7 (CDI) promove crescimento tumoral e metástases – ivermectina potencializa morte celular imunogênica (CDI) em células de câncer de mama triplo negativo
  • PAK1 (Autofagia) – glioblastoma e linhagens celulares de cance r ovariano– A ivermectina promove a autofagia por esta via
  • Via WNT-TCF – glioblastoma, câncer de cólon, melanoma – A ivermectina exerce função antiproliferativa através desta via (possibilidades de usar a ivermectina para bloquear cânceres dependentes de WNT-TCF como mama, pele, pulmão)
  • Domínio SIN3 – câncer de mama (a ivermectina atua como modulador epigenético para alterar a expressão gênica e diminuir o crescimento tumoral)
  • NS3 helicase – células de glioma – A ivermectina teve efeitos antitumorais por atuar como inibidor da helicase

Estudos in vitro:

  • câncer de mama, ovário, próstata, cólon, pâncreas, cabeça e pescoço, melanoma – inibe a proliferação celular, indução de apoptose, autofagia, reversão da resistência ao tamoxifeno, inibe metástases
  • glioblastoma – inibição do crescimento, apoptose, e anti-angiogênese

Estudos in vivo: 
(feitos em camundongos imunodeficientes):

  • leucemia mieloblástica aguda – reduzir o volume do tumor até 70%
  • glioblastoma – reduzir o volume do tumor até 50%
  • câncer de mama – reduzir o volume do tumor em até 60%
  • glioma – reduzir o volume do tumor até 50% (a 0.24mg/kg), no entanto, em dose humana equivalente a 0.8mg/kg tumores não foram detectáveis!
  • câncer de cólon – reduzir o volume do tumor até 85%
  • a dose mediana empregada foi equivalente a 0,4 mg/kg em humanos de 10 a 42 dias (oral, intraperitoneal ou intratumoral)
  • as atividades antitumorais in vitro e in vivo da ivermectina são alcançadas em concentrações que podem ser clinicamente alcançáveis com base nos estudos farmacocinéticos humanos realizados em pacientes saudáveis e parasitados

2019 Set Intuyod et al – Droga antiparasitária Ivermectina exibe potente atividade anticâncer contra colangiocarcinoma resistente à gencitabina in vitro

  • Ivermectina estudada em células de colangiocarcinoma resistentes à quimioterapia (gemcitabina)
  • A ivermectina inibiu a proliferação de células cancerígenas e a formação de colônias de forma dose-dependente (!)
  • A ivermectina causou parada do ciclo celular em fase S e morte celular
  • Conclusão: "A ivermectina pode ser útil como tratamento alternativo para colangiocarcinoma, especialmente em pacientes que não respondem à quimioterapia."

2021 Jan – Mingyang Tang et al – Ivermectina, uma potencial droga anticâncer derivada de uma droga antiparasitáriao

  •  mecanismo específico da citotoxicidade mediada por IVM em células tumorais não é claro; pode estar relacionada ao efeito da MIV em várias vias de sinalização
  • IVM parece induzir morte celular mista em células tumorais


CONCLUSÕES: 

  • A ivermectina inibe seletivamente a proliferação tumoral em dose não tóxica para as células normais e pode reverter a multirresistência (multirresistência) dos tumores.
  • Em voluntários saudáveis, a dose foi aumentada para 2 mg/kg e não foram encontradas reações adversas graves
  • Infelizmente, não houve relatos de ensaios clínicos de IVM como uma droga anticâncer
  • grande número de resultados de pesquisa indicam que IVM afeta múltiplas vias de sinalização em células tumorais e inibe a proliferação, IVM pode causar atividade antitumoral em células tumorais através de alvos específicos
  • A ivermectina regula o microambiente tumoral, inibe a atividade das células-tronco tumorais e reduz a angiogênese tumoral e a metástase tumoral.
  • Tornou-se cada vez mais claro que a ivermectina pode induzir um modo de morte celular mista envolvendo apoptose, autofagia e piroptose, dependendo das condições celulares e do tipo de câncer.
  • A ivermectina pode aumentar a sensibilidade de drogas quimioterápicas e reduzir a produção de resistência. Portanto, a MIV deve ser usada em combinação com outras drogas para obter o melhor efeito

2022 Jun – Daeun Lee et al – Ivermectina suprime câncer de pâncreas via disfunção mitocondrial

  • Apresentação de pôster da Coreia do Sul
  • Ivermectina foi combinada com gemcitabina em câncer de pâncreas
  • A combinação de ivermectina-gemcitabina inibiu a proliferação de células de câncer de pâncreas via parada do ciclo celular em G1
  • Experimentos in vivo mostraram que a ivermectina-gemcitabina suprimiu significativamente o crescimento tumoral do câncer de pâncreas em comparação com a gemcitabina isolada
  • Conclusão: "A ivermectina pode ser uma droga antitumoral potencial para o tratamento do câncer de pâncreas"

2021 Ago – Shican Zhou et al – Ivermectina tem nova aplicação na inibição do crescimento de células de câncer colorretal 

  • Câncer colorretal é 3º câncer mais comum em todo o mundo, carece de terapia eficaz
  • Ivermectina testada em linhagens celulares de câncer colorretal
  • Ivermectina dose-dependente inibiu o crescimento do câncer colorretala
  1. poptose celular promovida
  2. promoveu a produção total e mitocondrial de ROS (espécies reativas de oxigênio)
  3. parada induzida em fase S de células de câncer colorretal
  • Conclusão: A ivermectina pode ser uma nova droga anticâncer potencial para o câncer colorretal humano

2022 Outubro – Jian Liu et al – Progresso na Compreensão dos Mecanismos Moleculares Subjacentes aos Efeitos Antitumorais da Ivermectina


PAK1 (Autofagia) – Ivermectina, atua como inibidor da PAK1 e inibe o crescimento do câncer de mama, câncer de ovário, glioblastoma e tumores NF2 e envolvidos na morte celular no carcinoma de nasofaringe e melanoma.
  • Apoptose (Caspase Dependente) – Ivermectina induz apoptose em glioblastoma, células de leucemia mieloide crônica, também câncer de mama, câncer de ovário.
  • Morte Celular Imunogênica (CID – sinalização P2X7) – a ivermectina induz morte celular no câncer de mama triplo negativo.
  • Inibição YAP1 – hepatocelular e colangiocarcinoma, câncer colorretal, câncer de ovário, câncer gástrico – ivermectina exerce efeitos anti-tumorais
  • WNT Path (progressão do câncer – diferenciação, metástase, senescência celular, início do tumor, crescimento do tumor) – A ivermectina inibe esse caminho – inibe o câncer de cólon e o câncer de pulmão, a ivermectina também limita a formação de células-tronco cancerígenas.
  • TF3 Path – a ivermectina estimula a apoptose das células do melanoma.
  • Inibição da Helicase RNA – ivermectina inibe a invasão celular e proliferação de células de glioma
  • Peptídeo SID (SIN3A/B) – A ivermectina inibe a progressão do câncer de mama, também restaura a sensibilidade ao tamoxifeno
  • Inibição Akt/mTOR – Ivermectina inibe a respiração mitocondrial – glioblastoma, leucemia CML (alguns cânceres como mama, leucemia e linfoma são metabolicamente mais ativos e dependentes de mitocôndrias – mais responsivos à inibição da ivermectina)
  • A ivermectina é um inibidor da angiogênese
  • A ivermectina tem atividade antimitótica

Em seres humanos, a toxicidade da ivermectina é muito baixa, não foram encontradas reações adversas graves em voluntários saudáveis na dose até 120 mg (~2 mg/kg) (Referência: GuzzoCA, FurtekCI, PorrasAG, et al. J Clin Pharmacol. 2002; 42(10):1122–1133.)

2023 Maio – Samy et al – Eprinomectina: um derivado da ivermectina suprime o crescimento e fenótipos metastáticos de células de câncer de próstata, visando a via de sinalização β-cateninaIvermectina (derivada) inibe a viabilidade celular do câncer de próstata, capacidades de migração
Ivermectina induz apoptose, autofagia (via ROS)
Ivermectina diminui a expressão de marcadores de células-tronco cancerígenas
Conclusão: A ivermectina tem um enorme potencial para atingir células metastáticas de câncer de próstata e fornece novos caminhos para abordagens terapêuticas para o câncer de próstata avançado

2023 Set.23 – Man-Yuan Li et al – A ivermectina induz autofagia não protetora por downregulation PAK1 e apoptose em células de adenocarcinoma pulmonar

  • A ivermectina foi estudada em células de adenocarcinoma pulmonar
  • A ivermectina impediu marcadamente a formação de colônias e a viabilidade das células cancerosas, juntamente com a proliferação celular, causou apoptose e aumento da autofagia
  • A ivermectina suprimiu eficientemente o crescimento celular de células de adenocarcinoma pulmonar in vivo em camundongos nus

Quais cânceres a ivermectina pode tratar?


Os 5 principais cânceres de mRNA induzidos pela vacina COVID-19 são: linfomas, cânceres cerebrais, cânceres de mama, cânceres de cólon e cânceres de pulmão (sinais também vistos em leucemias, cânceres hepatobiliares, cânceres testiculares, sarcomas e melanomas)

  • Foi demonstrado que a ivermectina mata estas células cancerosas (in vitro ou in vivo):câncer de mama, especialmente câncer de mama triplo negativo que é frequentemente visto em mulheres vacinadas de mRNA COVID-19 e tem o pior prognóstico.
  • glioblastoma e gliomas (glioblastomas são frequentemente vistos em indivíduos vacinados com mRNA COVID-19)
  • leucemias, tanto AML e CML (estes são os mais agressivos e rapidamente letais mRNA Turbo Cancers)
  • câncer colorretal (Estágio 4 cânceres de cólon comuns em COVID-19 mRNA vacinado)
  • cânceres hepatobiliares: carcinoma hepatocecular, colangiocarcinoma, câncer de pâncreas (sinal principal com vacinas de mRNA COVID-19)
  • câncer de pulmão (câncer de pulmão em estágio 4 em COVID-19 mRNA vacinado)
  • melanoma (sinal definitivo no mRNA COVID-19 vacinado)
  • câncer de células renais (possível sinal com câncer de mRNA Turbo) e carcinoma urotelial
  • câncer de ovário (possível sinal com mRNA Turbo Cancers)
  • câncer gástrico
  • câncer de próstata (possível sinal com mRNA Turbo Cancers)
  • Câncer de nasofaringe

Quase não há literatura sobre ivermectina e linfomas, que são provavelmente os cânceres mais comuns da vacina COVID-19 mRNA – isso deve ser investigado.

Qual dose de ivermectina para tratar o câncer de mRNA da vacina COVID-19?


  • Guzzo et al publicaram um artigo em 2022 sobre a "Segurança, tolerabilidade e farmacocinética da escalada de altas doses de ivermectina em indivíduos adultos saudáveis"
  • A dose mais alta, testada para ser segura, sem efeitos colaterais, foi de 2 mg/kg.
  • A concentração máxima no plasma é de 4 horas após a ingestão oral
  • Meia vida é de 18 horas
  • Dr.David E. Scheim PhD, Blacksburg VA também escreveu um artigo interessante sobre Segurança de Ivermectina em Sep.7, 2021 (Fonte)
  • Vários estudos têm demonstrado que os efeitos anticancerígenos da Ivermectina são DOSE-DEPENDENTES (maior dose = melhor resposta)

Aviso: não deve ser tomado como conselho médico – situação hipotética: se eu estivesse diante de um Câncer Turbo Induzido por Vacina COVID-19 ou um câncer em estágio avançado, eu estaria olhando para uma dose de Ivermectina de 2mg/kg por via oral, diariamente ou a cada dois dias.

O Dr. Justus Hope MD publicou um artigo em 29 de agosto de 2023 que discute casos anedóticos de câncer de cólon em estágio 4, câncer de ovário em estágio 4 respondendo à ivermectina com queda dramática nos marcadores tumorais.

Também mencionado é um regime de "alta dose de ivermectina" de 2mg/kg por dia para um médico com câncer de vesícula biliar estágio 4, tomado por mais de um ano, com efeitos colaterais visuais por alguns dias inicialmente que resolveu.

Também é descrito um caso de próstata aumentada suspeita de câncer e um esquema de 5 semanas de Ivermectina 45mg/dia que reduziu o PSA de 89,1 para 10,9 com resolução da frequência urinária noturna. Para um homem de 100kg, essa é uma dose de 0,45mg/kg, significativamente menor do que a dose segura de 2 mg/kg publicada por Guzzo et al.

O artigo descreve um paciente com câncer com tumor cervical e metástases pulmonares em regime de altas doses de ivermectina de 2,45mg/kg diariamente.

Acredito que é uma hipótese razoável que os pacientes com câncer de mRNA da vacina COVID-19 poderiam se beneficiar de regimes de alta dose de ivermectina, como 2mg/kg e precisamos urgentemente de mais pesquisas a serem feitas nesta área.

(Cânceres turbo induzidos por vacina de mRNA, como leucemias, glioblastomas, cânceres de mama (incluindo triplo negativo), cânceres de cólon, cânceres hepatobiliares, cânceres de pulmão, melanomas, cânceres de células renais, cânceres de ovário, cânceres de próstata – como já há evidências na literatura)

Veja também: FEMBENDAZOL e CÂNCER – pelo menos 12 mecanismos de ação anti-câncer. Barato. Seguro. Mata cânceres agressivos. Por que não há ensaios clínicos?
_________

Está é uma análise do Dr. William Makis é um médico canadense com experiência em Radiologia, Oncologia e Imunologia. Medalha do Governador Geral, Bolsista da Universidade de Toronto. Autor de 100+ publicações médicas revisadas por pares.

Obtenha o Extrato de Própolis Verde, Vitamina C, D e Zinco para melhor Imunidade e Proteção contra doenças oportunistas - Clique aqui


Siga-nos: | | e | Inscreva-se na nossa | Nos Apoie: Doar
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Fechar Menu
Entre em nosso Telegram

Entre para nosso canal do Telegram

ENTRAR

Nos siga no X (Twitter)

Compartilhamos nossos artigos e outras informações

SEGUIR

Apoie Coletividade Evolutiva - Doação

Apoie nosso projeto com uma contribuição.

DOAR