Comer uma dieta mediterrânea com abundância de peixe, frutas, legumes e nozes reduz o risco de depressão - Coletividade Evolutiva

Comer uma dieta mediterrânea com abundância de peixe, frutas, legumes e nozes reduz o risco de depressão

Comer uma dieta mediterrânea com abundância de peixe, frutas, legumes e nozes reduz o risco de depressão

Os pesquisadores da University College London analisaram 41 estudos que investigaram a ligação entre a dieta de uma pessoa e seu risco de depressão Na revisão dos estudos, os pesquisadores descobriu que os pescatários que comem muitos alimentos à base de plantas são um terço menos propensos a desenvolver a condição de saúde mental. Eles descreveram hoje as evidências para mostrar que existe uma relação entre a qualidade da dieta e a saúde mental como 'convincente'. 

Acredita-se que as dietas mediterrâneas, também ricas em azeite, lentilhas e até mesmo vinho tinto, diminuem a inflamação, o que pode beneficiar a saúde mental de uma pessoa. 
Quatro dos estudos avaliaram especificamente a associação entre uma dieta tradicional mediterrânica e depressão, num total de 36 556 adultos. Os resultados sugerem que aqueles que seguem mais rigorosamente uma dieta mediterrânea são 33% menos propensos a sofrer de depressão do que aqueles que não a pratica. O que causa a depressão ainda não se sabe, especialistas não descobriram a razão exata dessa doença. Uma teoria é que é causada pela inflamação do cérebro.
"Há evidências convincentes que mostra que existe uma relação entre a qualidade de sua dieta e sua saúde mental", disse Lassale. 
"Esse relacionamento vai além do efeito físico do corpo ao praticar a dieta, tem outros aspectos que vai além do efeito de saúde, por sua vez, podem afetar seu humor." 
Os cientistas também analisaram cinco estudos investigando a ligação entre uma dieta pobre e depressão em 32.908 adultos da França, Austrália, Espanha, EUA e Reino Unido. 

Seu estudo, publicado hoje na revista Molecular Psychiatry, descobriu que comer muita gordura saturada, açúcar e alimentos processados ​​aumenta o risco de depressão de uma pessoa. Mas nem todas as gorduras saturadas fazem mal para a sua saúde, pelo contrario existem diferenças entre as gorduras saturadas, e segundo o Dr. Lair Ribeiro, tais gorduras são essenciais para nossa saúde.

O Dr. Lassale e seus colegas agora recomendam que as pessoas evitem alimentos inflamatórios ou de origem processada, e aderir frutas, vegetais, lentilhas, grão-de-bico, peixe, azeite e nozes. 
"Uma dieta pró-inflamatória pode induzir inflamação sistêmica, e isso pode aumentar diretamente o risco de depressão", disse ela. 
‘Há também evidências emergentes que mostram que a relação entre o intestino e o cérebro desempenha um papel fundamental na saúde mental e que esse eixo é modulado por bactérias gastrointestinais, que podem ser modificadas por nossa dieta." 

Os cientistas também acreditam que suas descobertas apóiem ​​os que sofrem de depressão, fazendo mudanças em suas dietas, em vez de optar imediatamente por antidepressivos altamente perigosos . 
O co-autor Dr. Tasnime Akbaraly acrescentou: “Nossas descobertas do estudo apóiam o aconselhamento dietético de rotina como parte de uma visita ao consultório médico, especialmente com profissionais de saúde mental. 

Isto é importante ao nível do paciente, mas também ao nível da saúde pública, especialmente num contexto em que a má alimentação é agora reconhecida como a principal causa de morte precoce em países de rendimento médio e alto e, ao mesmo tempo, distúrbios mentais como a principal causa de incapacidade. ' 

Mas o professor Naveed Sattar, da Universidade de Glasgow, argumentou que as pessoas com depressão podem escolher alimentos não saudáveis, por conta de suas más escolhas de alimentação sucede a causa de sua condição de saúde mental. 
"Assim, enquanto uma alimentação mais saudável é boa por muitas razões, precisamos de mais evidências antes de podermos dizer que as dietas ricas em plantas podem melhorar a saúde mental". 
Os cientistas também enfatizam que mais pesquisas são necessárias para determinar como mudanças na dieta podem afetar a saúde mental de uma pessoa. 
Pesquisas sugeriram que interromper o exercício físico pode piorar a depressão em apenas três dias. Seis estudos descobriram que os sintomas dos pacientes reaparecem quase imediatamente depois que eles deixam de ser ativos, de acordo com uma revisão da Universidade de Adelaide. 
Se inscreva por e-mail e receba nossas novas atualizações em seu e-mail


Author Image

Autor: Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um ávido pensador livre, eu partir em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao desperta a sociedade. Saber Mais


Deixe um comentário sobre isto!