"Nanotecnologia biológica": Cientistas desenvolvem antena usando DNA, que serve para monitorar funções biológicas

Tecnologia que serve para monitorar movimentos de proteínas permitiu detectar a ação da enzima fosfatase alcalina, relacionada a vários cânceres...


"Nanotecnologia biológica": Cientistas desenvolvem antena usando DNA que serve para monitorar funções biológicas

Com apenas cinco nanômetros de comprimento, a menor antena do mundo foi criada com DNA por cientistas da Universidade de Montreal, no Canadá. A invenção supostamente serve para monitorar os movimentos biológicos de algumas proteínas, supostamente ajuda a entender doenças. Os resultados foram publicados na edição de janeiro da revista Nature Methods.

A nanoantena também pode monitorar o funcionamento de outras nanotecnologias projetadas por pesquisadores na área da medicina. "Nos últimos anos, os químicos perceberam que o DNA também pode ser empregado para construir uma variedade de nanoestruturas e nanomáquinas", cita Alexis Vallée-Bélisle, autor sênior do estudo, em comunicado.

Há mais de 40 anos, foi inventado o primeiro sintetizador de DNA para criar moléculas que codificam informações genéticas. Inspirados nas propriedades da molécula que lembram “peças de Lego” — com bloquinhos 2 mil vezes menores que a espessura do cabelo humano — os cientistas desenvolveram a nanoantena.

"Como um rádio bidirecional que pode receber e transmitir ondas de rádio, a nanoantena fluorescente recebe luz em uma cor ou comprimento de onda e, dependendo do movimento da proteína que detecta, transmite a luz de volta em outra cor, que podemos detectar", explica Vallée-Bélisle.

A grande vantagem disso, segundo Scott Harroun, primeiro autor do estudo, é que “a química do DNA é relativamente simples e programável”. Assim, as antenas podem ser desenvolvidas com diferentes comprimentos e flexibilidades. Isso torna possível anexar a nanoantena a uma nanomáquina biológica, como uma enzima.

"Fomos capazes de detectar, em tempo real e pela primeira vez, a função da enzima fosfatase alcalina com uma variedade de moléculas biológicas e drogas", conta Harroun. "Essa enzima tem sido implicada em muitas doenças, incluindo vários tipos de câncer e inflamação intestinal."

A parte receptora da antena também detecta a superfície molecular da proteína por meio de uma interação molecular. Os cientistas acreditam que a nanoantena pode permitir entender como estruturas do corpo funcionam mal, bem como ajudar a orientar nanoengenheiros a criar nanomáquinas mais avançadas e medicamentos.

Eles avaliam ainda que a novidade tem como avanço principal sua facilidade de uso. "Os resultados são tão empolgantes que estamos atualmente trabalhando na criação de uma empresa iniciante para comercializar e disponibilizar essa nanoantena para a maioria dos pesquisadores e a indústria farmacêutica", informa Vallée-Bélisle.

Essa tecnologia não é novidade, portanto, você sabe o que estão injetando em você atualmente?


Nanossistemas magnéticos automontados (autorregulados) para interface de biocircuito cibernético em humanos já existem

Essa nanotecnologia não é nova, na verdade, a literatura científica publicada apresenta um corpo de pesquisa abrangente e bem documentado que mostra que essa tecnologia é bastante real ... E foi testada em sistemas biológicos por pelo menos duas décadas.

Um sistema de “automontagem” significa que uma pessoa é injetada com instruções que acionam um processo, em que uma estrutura é montada dentro do corpo, usando recursos disponíveis no sangue (como átomos de ferro e oxigênio). Na verdade, a automontagem da nanotecnologia significa que um microchip não precisa ser injetado em alguém, uma vez que o circuito pode ser montado in vivo após a injeção.Saiba mais qui - Fonte: Revista Galileu

Microsoft obtêm patente que monitorará atividade do corpo humano no auge da pandemia, ligue os pontos.  Empresas quer patentear pessoas e suas funções biológicas


Bill Gates pode ter se separado legalmente da Microsoft, mas como ambas as entidades estão envolvidas exatamente na mesma agenda, certamente não ocorreu uma separação de propósito. Enquanto Bill Gates estava exigindo uma vacina global para todos na Terra com uma certificação digital de imunização, sua antiga empresa Microsoft criou um dispositivo que interage com o pulso, temperatura e ondas cerebrais do corpo humano para se envolver na compra e venda de criptomoedas.

Em 26 de março, no auge da pandemia de coronavírus e em meio ao bloqueio das liberdades da sociedade, a Microsoft obteve uma patente da Organização Mundial de Propriedade Intelectual (WIPO). A patente WO 060606 declara que "A atividade do corpo humano associada a uma tarefa fornecida a um usuário pode ser usada em um processo de mineração de um sistema de criptomoeda..."

A "atividade corporal" que a Microsoft deseja minerar inclui radiação emitida pelo corpo humano, atividades cerebrais, fluxo de fluidos corporais, fluxo sanguíneo, atividade de órgãos, movimentos corporais, como movimentos dos olhos, movimentos faciais e musculares, bem como quaisquer outras atividades que podem ser detectados e representados por imagens, ondas, sinais, textos, números, graus ou qualquer outra informação, ou dados. Em outras palavras, a patente é uma reivindicação de propriedade intelectual sobre nossos corpos e mentes. Saiba mais aqui
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Uma pequena pausa antes de continuar


Este site usa cookies e outros serviços para melhorar sua experiência. Ao usar nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade e Termos.