Notícias Recentes

Liberdade de imprensa

Liberdade de imprensa

A grande mídia é controlada por governos globais, que são controlados por um governo invisível, os meios de comunicação de massa e os empreendimentos capitalistas mais poderosos do mundo se ligam, colaborando com um propósito comum - controlar e se beneficiar da mente da massa. Este artigo nos trás plenamente a luz da verdade por trás da  grande mídia convencional mundialmente falando, se tornou uma grande mídia fascista, de moldação de massa e propaganda.

Nesta semana, trinta empresas de mídia e tecnologia anunciaram uma parceria por trás de uma nova campanha nacional "Proteger a liberdade de imprensa". Mas o comentarista e autor conservador Mark Levin argumenta que a mídia de massa moderna não favorece a imprensa livre. Seu novo livro é chamado: Unfreedom of the Press (Liberdade de Imprensa).

Sharyl: Você escreveu que "a imprensa livre americana degenerou em uma profissão padronizada, não através da opressão ou repressão do governo, mas através da autocensura, pensamento de grupo, preconceito, omissão e propaganda".

(Artigo republicado pelo Coletividade Evolutiva de FullMeasure.news )


Mark Levin: Há uma nova doutrina que está sendo lançada na escola de jornalismo há cerca de 30 anos, que é pressionar o chamado jornalismo público ou jornalismo comunitário, que é o ativismo social. E agora que você tem muitos repórteres, Jim Acosta é um exemplo perfeito, que cria o drama e depois relata seu próprio drama. Isso se torna notícia por cinco dias. O presidente chama isso de "notícias falsas". Ele está certo. Havia um professor em Boston que chefiava o congresso da biblioteca, mas ele era historiador na Universidade de Chicago. Escreveu um livro inteiro sobre ele, pseudo-eventos. Nossas notícias estão cheias de eventos falsos e cheios de propaganda.

Sharyl: Seu livro tem muita história e uma pequena parte fala sobre o senso comum de Thomas Paine em 1776. Ele escreveu defendendo a independência americana e você fala sobre os chamados panfletos da época.

Mark Levin: Os panfletistas foram os grandes heróis, as primeiras impressoras. Esses foram os homens que pressionaram a Revolução Americana e as idéias que lemos na Declaração de Independência. Eles queriam transformar fundamentalmente o governo. Jogue fora a monarquia e crie um governo representativo. A mídia hoje quer fazer o oposto. Eles querem transformar fundamentalmente a sociedade civil em defesa de um governo centralizado todo poderoso.



Sharyl: Mas os panfletistas e a imprensa patriótica não eram tendenciosos?

Mark Levin: Absolutamente. Eles eram tendenciosos pela liberdade e tendiam pelos direitos de propriedade e eram tendenciosos pelo governo limitado e eles admitiram isso. Eles não acreditavam em notícias objetivas. Mesmo tendo notícias, apoiaram uma causa. Eles não se viam buscando as notícias do dia, as informações do dia. Eles estavam se revoltando contra uma tirania. A imprensa hoje se apresenta como buscando a verdade objetiva quando não é.

Sharyl: Você acharia isso menos censurável se a imprensa de hoje, aqueles que você acredita ser tendenciosa, realmente dissesse o que eles eram e relatassem como fazem, em vez de manter um senso de suposta neutralidade?

Mark Levin: Bem, tínhamos uma imprensa assim chamada “a imprensa do partido” e ela seguiu o governo, eles estão seguindo o governo do segundo mandato de George Washington, onde os jornais estavam alinhados atrás de Jefferson e seu partido e Hamilton e Adams e a festa deles e eles foram transparentes, ok? Pelo menos eles eram mais honestos sobre isso. Embora agora estamos chegando a um ponto em que alguns meios de comunicação são tão descarados em relação à sua ideologia, eles estão sendo muito honestos sobre quem são

Sharyl: Nós meio que sabemos

Mark Levin:
Nós meio que sabemos quem eles são, mas ainda existe essa pátina de "Nós somos as notícias. Não nos critique ou você está atacando a Primeira Emenda".(Liberdade de expressão ou imprensa)

Sharyl: Você acha que as notícias deveriam ser reportadas ou interpretadas? Ou alguma combinação dos mesmos e como isso seria estruturado?

Mark Levin: Eu afirmo no meu livro que você realmente deve se esforçar, se for uma redação, para separar notícias de opiniões. Pare de contratar ideólogos na redação, porque é cada vez mais difícil para os ideólogos serem objetivos ou tão objetivos quanto possível. Número dois, talvez você seja liberal, talvez você seja conservador. Mas, pelo menos, aplique alguns padrões e processos objetivos à coleta de notícias. Também não estamos fazendo agora.

Sharyl: Alguns culpam nossa credibilidade da mídia, declinando ao presidente Trump. Não existe alguma verdade nisso?

Mark Levin: Realmente não há verdade nisso. Eu vou te dizer o porquê. Escrevo no livro e explico presidentes que realmente colocaram em risco a mídia, mesmo John Adams, as pessoas ficarão chocadas com o ato de sedição de 1798. Ele aprisionou jornalistas, fechou alguns jornais. Você tinha o secretário de guerra de Abraham Lincoln, com a autoridade dele para fechar jornais, prender jornalistas. Você mandou Woodrow Wilson, o grande intelectual progressista, adotar um novo ato de sedição em 1918, fechar jornais, aprisionar jornalistas, aprisionar oponentes políticos. O FDR lançou o IRS em vários editores, incluindo Moe Annenberg, que era o dono do Philadelphia Inquirer, porque eles não gostaram do New Deal. Barack Obama e seu governo, é claro, ele não sabia de nada, o FBI foi atrás do New York Times, Fox e AP. Donald Trump pode chamar a imprensa de inimigo do povo, ou de um segmento específico da imprensa, de inimigo do povo. Ele não fez nada assim.

Sharyl: Você escreveu: "Certamente não cabe ao governo controlar a imprensa e, no entanto, a imprensa parece incapaz de se policiar". Então, o que nos resta?

Mark Levin: Os meios de comunicação modernos estão destruindo a liberdade de imprensa. então onde nós vamos? Existem novos panfletos por aí. Eles estão todos na Internet. Eles estão em outros lugares e outros formatos. Blogueiros, sites, em todo o mundo. Devemos separar os bons da cama. Eu sei que há coisas ruins na internet, mas também há coisas boas na Internet. Deveríamos incentivar mais avanços tecnológicos, novas plataformas, novas formas de comunicação. Porque o que importa com a liberdade de imprensa? O que realmente se resume? Liberdade de expressão. Estamos todos nos comunicando uns com os outros, nós, as pessoas, para tentar descobrir como melhorar nossas vidas e melhorar nossos bairros e melhorar nossa sociedade.


Entre os novos meios de apoio à nova campanha "Proteger a liberdade de imprensa" estão alguns que Levin vê como a mídia mais tendenciosa.

Receba as notícias do Coletividade Evolutiva em primeira mão. Siga-nos nas redes sociais! Facebook - Twitter - Instagram - Receber por e-mail - Ajudar o Site



Coletividade Evolutiva

Site: Coletividade Evolutiva
O Coletividade Evolutiva, esta ligado ao dever e justiça de informar a sociedade de forma que ajudarão a viver melhor, enxergar através das cortinas que nos limitam o pensamento, quebrando assim as velhas formas de pensar. Examinamos o que percebemos como os problemas mais importantes em nossa sociedade atual, discutimos possíveis soluções e alternativas que podem nos ajudar a reconstruir nossa sociedade.Publicamos informações que nos desafiam o pensamento e os nossos preconceitos. (Saber Mais)