AS 15 PRINCIPAIS MENTIRAS QUE O SISTEMA NOS FORÇARAM ACREDITAR SOBRE A SAÚDE E A MEDICINA GERAL

AS 15 PRINCIPAIS MENTIRAS QUE O SISTEMA NOS FORÇARAM A ACREDITAR SOBRE A SAÚDE E A MEDICINA GERAL
Você já questionou o que médicos, nutricionistas, instituições e até mesmo ciência lhe conta sobre sua saúde, alimentação, ambiente e estilo de vida? 

Você já questionou o que médicos, nutricionistas, instituições e até mesmo ciência lhe conta sobre sua saúde, alimentação, ambiente e estilo de vida? Você deve, porque vivemos em uma era de decepção e duplicidade, onde as fontes de informação mais confiáveis ​​e valiosas são seqüestradas por interesses muito maiores do que você imagina.
A razão pela qual eles estão falhando  é porque os governos corruptos, as corporações e os meios de comunicação estão sempre nos alimentando de mentiras diariamente, que através da repetição, o público eventualmente aceita como verdade. A internet é uma das últimas fronteiras para a verdade, informando e educando bilhões sobre por que nossos sistemas de saúde, agricultura, medicina e muitas outras áreas de que dependemos estão nos falhando.

1. Organismos geneticamente modificados (OGMs) podem alimentar o mundo


Muitos alimentos que comemos hoje contém ingredientes geneticamente modificados e geralmente sem nosso conhecimento. Os defensores desta tecnologia afirmam que garante e sustenta a segurança alimentar em todo o mundo à medida que a população aumenta. Além dos debates científicos sobre os méritos dos alimentos geneticamente modificados, há debates igualmente, se não mais importantes, sobre as ramificações socioeconômicas do modo como essa ciência é comercializada e utilizada.

Os perigos dos alimentos transgênicos não podem mais ser negados.

As empresas de biotecnologia afirmam erroneamente que suas manipulações são semelhantes às mudanças genéticas naturais ou técnicas tradicionais de reprodução. No entanto, as transferências de espécies cruzadas que estão sendo feitas, como entre peixes e tomates, ou entre outras espécies não relacionadas, não ocorreram na natureza e criam novas toxinas, doenças e fraquezas genéticas. Quando os engenheiros genéticos inserem um novo gene em qualquer organismo, existem "efeitos de posição" que podem levar a mudanças imprevisíveis no padrão de expressão gênica e função genética. O produto proteico do gene inserido pode realizar reações inesperadas e produzir produtos potencialmente tóxicos. Existe também uma séria preocupação com os perigos de usar vírus geneticamente modificados como veículos de entrega (vetores) na geração de plantas e animais transgênicos. Isso poderia desestabilizar o genoma,

Ao contrário da contaminação química ou nuclear, a poluição genética é auto-perpetuada. Nunca pode ser revertida ou limpa; erros genéticos serão transmitidos a todas as futuras gerações de uma espécie.

2. Campos eletromagnéticos e radiação sem fio não são prejudiciais para os seres humanos

O perigo de energia magnética, elétrica, sem fio, de rádio (microondas), de corrente de terra e de radiação de alta freqüência é que é invisível até que um grande dano seja feito - como o risco aumentado de alguns tumores cerebrais em usuários de celulares de longo prazo.

A sensibilidade à radiação eletromagnética é um problema de saúde muito grande de nossas gerações mais novas. A mídia e a comunidade médica descartam isso, mas são profissionais de saúde imperativos, governos, escolas e toda a nossa sociedade aprendem mais sobre os riscos, porque os riscos para a saúde humana são significativos .

Estudos sugerem que as mulheres expostas brevemente a EMF de alta intensidade apresentam um risco aumentado de aborto espontâneo, especialmente EMFs emitidos por linhas elétricas e eletrodomesticos.

Uma porcentagem crescente de pessoas agora está tendo o conselho de especialistas em saúde holística e descartando seus microondas devido aos perigos dos alimentos com microwaved .

O efeito de EMFs[campo eletromagnético] no tecido biológico permanece controverso. Praticamente todos os cientistas concordam que é necessário mais pesquisa para determinar níveis seguros ou perigosos. É como uma grande experiência humana que não conheceremos os resultados de várias décadas. Agora, com a crescente proliferação de dispositivos portáteis e portáteis sem fio, é literalmente impossível escapar de EMF em qualquer cidade importante.

O que eles sabem é que o ferro, que é necessário para o sangue saudável e armazenado no cérebro, é altamente afetado por EMFs. A permeabilidade das membranas celulares dos nervos, vasos sanguíneos, pele e outros órgãos também é afetada, bem como o intrincado DNA dos cromossomos. Todo processo bioquímico corporal envolve movimento precisamente coreografado de átomos, moléculas e íons sensíveis a EMF.

Não só os EMFs afetam sua própria saúde e a de seus filhos e animais de estimação, mas também a Terra como um todo, já que nosso uso excessivo de eletricidade contribui grandemente para a poluição das usinas elétricas a carvão. Aqueles que são sábios atendem as advertências do eletricamente sensível e reduzem a radiação EMF em suas casas através de um bom design e redução da dependência de eletrodomésticos.

3. Rastreio médico e tratamentos previnem a morte

Mesmo que a comunidade médica defenda exames regulares para pessoas com doenças, eles podem trazer pouco benefício e podem realmente prejudicar sua saúde. Isso se aplica a quase todos os tipos de exames médico para câncer e várias outras doenças. A seleção médica comporta um risco imenso em si mesmo, não só devido ao dano infligido pelas técnicas de verificação no corpo humano, mas também pela própria natureza dos protocolos de acompanhamento médico. Esses protocolos geralmente encorajam os pacientes a penetrar mais profundamente em técnicas mais invasivas, o que aflige a saúde e leva a uma porcentagem muito alta de fatalidades.

Os médicos são muitas vezes criticados por prescrever testes e procedimentos desnecessários que prejudicam mais do que ajudam e aumentam os custos médicos que poderiam ser evitados. 12 exames e procedimentos médicos agora sendo questionados em todo o mundo como desnecessários e potencialmente causados ​​- por vezes, resultados nocivos aos pacientes.


Os cânceres induzidos por radiação se triplicaram nas últimas duas décadas e a imagem diagnóstica já foi admitida como uma causa pelo governo dos EUA.

Existe uma tendência secular entre a mortalidade por câncer de mama e os programas de verifiação especificamente técnicas de diagnóstico medial, como a mamografia . Em um estudo sueco de 60 mil mulheres, 70% dos tumores detectados mamográficos não eram tumores. Estes "falsos positivos" não são apenas tensões financeiras e emocionais, mas também podem levar a muitas biópsias desnecessárias e invasivas. Na verdade, 70 a 80 por cento de todas as mamografias positivas não apresentam, após a biópsia, qualquer presença de câncer.

Um exame de próstata (PSA) procura antígeno prostático específico, uma proteína produzida pela glândula prostática. Níveis elevados são supostamente associados ao câncer de próstata. O problema é que a associação nem sempre é correta, e quando é, o câncer de próstata não é necessariamente mortal. Apenas cerca de 3% de todos os homens morrem por câncer de próstata. O teste de PSA geralmente leva a sobre-diagnóstico - biópsias e tratamento em que os efeitos colaterais são impotência e incontinência. As biópsias repetidas podem espalhar células de câncer na trilha formada pela agulha ou derramando células cancerosas diretamente na corrente sanguínea ou sistema linfático.

A cobertura de notícias sabemos que não quer nos informar de verdade por tanto fala apenas de muitas doenças, mas concentra-se de mais em  tratamentos e não o suficiente em prevenção, uma tendência que pode ser arriscada no longo prazo para a maioria das pessoas que não entendem como cuidar da saúde deles.

4. Fluoreto ou Flúor evita a deterioração dentária

Um número crescente de comunidades está optando por parar de adicionar fluoreto aos seus sistemas de água , mesmo que o governo federal e as autoridades federais de saúde mantenham seu apoio total para uma medida que eles afirmam oferecer uma redução de 25% na cárie dentária em todo o país.

Atualmente, existem fatos sérios e riscos para a saúde em relação à fluoração, que não podem mais ser ignorados e a prática em si está sendo questionada pela maior parte do mundo.
Pesquisadores austríacos demonstraram na década de 1970 que apenas 1 ppm de concentração de flúor pode prejudicar as enzimas de reparo do DNA em 50%. Quando o DNA não consegue reparar células danificadas, ficamos velhos rapidamente.

O flúor envelhece prematuramente o corpo, principalmente por distorção da forma enzimática. Todos os sistemas do corpo dependem de enzimas. Quando o flúor altera as enzimas, isso pode danificar todos os sistemas e funções do corpo.

Dr. Paul Connett, PhD afirmou: "Quando os historiadores chegam a escrever sobre esse período, eles indicam a fluoração como o maior erro na política pública que já tivemos".

David Kennedy, presidente da DDS, Academia Internacional de Medicina Oral e Toxicologia, afirmou que "a fluoração de água é o maior caso de fraude científica, promovido pelo governo, apoiado pelos dinheiro dos contribuintes, auxiliados e encorajados pela ADA e pela AMA, na história do planeta."

5. O foco na redução do colesterol ruim é a chave para prevenir a doença cardíaca

Talvez um dos maiores mitos da saúde propagados na cultura ocidental ,é certamente, o uso indevido de um termo inventado de " colesterol ruim " pela mídia corporativa e pela comunidade médica. Além disso, um público cientificamente ingênuo foi enganado em uma correlação fraudulenta entre colesterol elevado e doenças cardiovasculares (DCV). O colesterol não demonstrou realmente causar DCV. Pelo contrário, o colesterol é vital para a nossa sobrevivência, e tentar diminuir artificialmente pode ter efeitos prejudiciais, particularmente à medida que envelhecemos.

Nós nos tornamos uma cultura tão obcecada com a ingestão de alimentos com baixo teor de colesterol e gordura que muitos especialistas em saúde estão agora questionando as conseqüências. Poderíamos realmente manter um estilo de vida dietético tão estranho para muitas das nossas populações ancestrales sem quaisquer efeitos negativos sobre a nossa saúde? Muitos pesquisadores estão agora concluindo que a resposta a essa pergunta é "NÃO". Os dados atuais sugerem agora que os níveis mais baixos de colesterol são anteriores ao desenvolvimento do câncer. Os documentos científicos comprovam que pessoas com colesterol LDL chamado "mau" vivem mais tempo.

Recomendo para você: O Dr. Lair Ribeiro especialista em saúde natural dessa vez fala sobre envelhecer sem adoecer, além de dar detalhes sobre hormônios



A Ciência fictícia oferecida pela comercialização de homens para um público geralmente cientificamente ingênuo ou corruptos, levou muitas pessoas a acreditar que devemos substituir certas escolhas alimentares por produtos especialmente desenvolvidos que podem ajudar a "reduzir o colesterol". Naturalmente, isso vem a um preço e exige que aqueles que podem pagar para pagar talvez quatro ou cinco vezes o que um produto típico comum pode custar. Mas esta aparente "necessidade geral" de se esforçar para reduzir o nosso colesterol é justificada? E, na verdade, é saudável?

O próprio colesterol, seja transportado por LDL ou HDL, é exatamente o mesmo. O colesterol é simplesmente um ingrediente necessário que é necessário para ser entregue regularmente ao redor do corpo para o desenvolvimento saudável eficiente, manutenção e funcionamento de nossas células. A diferença está nos "transportadores" (lipoproteínas HDL e LDL) e ambos os tipos são essenciais para que a logística de entrega do corpo humano funcione eficazmente.

Podem ocorrer problemas, quando as partículas de LDL são pequenas e sua capacidade de carga supera o potencial de transporte das HDL disponíveis. Isso pode levar a que mais colesterol seja "entregue" ao redor do corpo com menores recursos para retornar o excesso de capacidade ao fígado.
Precisamos reformar a educação sobre o que realmente causa doenças cardíacas e porque o colesterol, alto ou baixo, não é um processo maligno no corpo, mas uma parte natural da nossa biologia. Quando paramos de ouvir médicos, de repente, começamos a ouvir o que nossos corpos desejam ... ser a versão mais saudável de nós mesmos.

6. A luz solar é prejudicial e o protetor solar é sua melhor defesa

O protetor solar é cheio de alguns dos produtos químicos mais tóxicos conhecidos. No entanto, tanto as indústrias de câncer e protetor solar insistem em seu uso para prevenir de forma irônica o câncer da luz solar "ruim". As pessoas ainda se apaixonam por esse absurdo, matam pelo o protetor solar na esperança de proteger contra um inimigo inexistente. Se o sol realmente fosse prejudicial, todos estaríamos mortos há muito tempo. Enquanto isso, um crescente número de evidências mostram que o bloqueio dos raios do sol para alcançar nossa pele influencia dramaticamente nossos níveis ótimos de vitamina D, levando a maior mortalidade, doenças críticas, transtornos de saúde mental e, ironicamente, câncer em si. É por isso que você precisa fazer o seu próprio protetor solar.

Existem mais de 800 referências na literatura médica que mostram a eficácia da vitamina D, tanto para a prevenção quanto para o tratamento do câncer.

Bloquear os raios do sol de alcançar nossa pele influencia dramaticamente nossos melhores níveis de vitamina D, levando a maior mortalidade, doença crítica e transtornos de saúde mental . Ironicamente, o protetor solar causa câncer.

A exposição à luz solar e à luz ultravioleta tem sido mostrada repetidamente para NÃO ser a causa do câncer de pele. Cientistas do Centro de câncer MD Anderson da Universidade do Texas relataram que a exposição a UVA provavelmente não contribuirá para o aumento da incidência de melanoma nos últimos 30 anos.

A idéia de que o protetor solar previne o câncer também é um mito promovido por empresas farmacêuticas, medicina convencional e a mídia convencional para um propósito ... lucro. A indústria de protetor solar ganha dinheiro vendendo produtos de loção que realmente contêm produtos químicos causadores de câncer. Em seguida, doa uma parcela desse dinheiro para a indústria do câncer por meio de grupos sem fins lucrativos, como as Sociedades de câncer, que, por sua vez, utilizam anúncios de serviço público incitando as pessoas a usar protetor solar para "prevenir o câncer".



7. As vacinas previnem doenças e aumentam a imunidade

O termo "imunização", muitas vezes substituído pela vacinação, é falso e deve ser contestado legalmente. A pesquisa médica estabeleceu que a injeção direta de proteínas estranhas e outros materiais tóxicos (particularmente conhecidos como venenos imune-sensibilizantes, como mercúrio) tornam o destinatário mais, não menos, facilmente afetado pelo que ele / ela encontra no futuro. Isso significa que eles fazem o oposto de imunizar, geralmente impedindo a imunidade de desenvolver após a exposição natural.

A freqüência real de problemas de saúde foi estimada pelas autoridades possivelmente até 100 vezes, ou mais, maior do que a registrada pelas agências governamentais. Essa diferença deve-se à falta de aplicação ou incentivo para que os médicos denunciem efeitos adversos. Com os movimentos anti-vacinação que agora expor a verdade na internet, a comunidade médica está agora em alerta, defendendo suas reivindicações e sendo informado pelos fabricantes de vacinas que nunca devem deixar seus pacientes (ou pais) pensar que os riscos poderiam superar a benefícios, quando na realidade, é exatamente o oposto que é verdade.

Evidências convincentes estão finalmente chegando a partir de estudos revisados ​​por pares que mostram que o rápido aumento do número de vacinas administradas a crianças está criando toxicidade sinérgica e um estado de sobrecarga imune na maioria dos receptores de vacinas que se manifestam em questões de saúde relacionadas, incluindo epidemias de obesidade, diabetes e autismo.

A relação benefício-risco é uma decisão importante em quem decide se vacina ou não. Ao contrário da crença popular e do marketing, as doenças da infância em um país desenvolvido ou em desenvolvimento não são tão perigosas como nós somos levados a acreditar. Pegar uma doença particular não significa que você vai morrer por isso. As vacinas foram realmente introduzidas no momento em que as doenças já haviam diminuído para um baixo nível de risco. Este fato é comprovado, cientificamente.
Você também pode saber mais aqui neste artigo já publicados pelo o CE

Os principais avanços no combate à doença nos últimos 200 anos foram melhores alimentos, encanamento moderno e água potável ... não vacinas. O saneamento melhorado, menos sobreposto e melhores condições de vida também contribuem. Isso também é confirmado em trabalhos de pesquisa que agrupam dados oficiais durante um período de 2 séculos, o que demonstra que o uso de vacinas historicamente teve pouco ou nenhum impacto na prevenção de doenças infecciosas .

Todas as vacinas contêm agentes de esterilidade, neurotoxinas, imunotoxinas e compostos cancerígenos. Alguns exemplos incluem o formaldeído , um carcinógeno encontrado em quase todas as vacinas, neurotoxinas, como glutamato monossódico , cloreto de potássio , timerosal , agentes de esterilidade tais como Triton X-100 , octoxinol-10, polissorbato 80 e imuntoxinas tais como neomicina, fosfato de potássio monobásico , desoxicolato de sódio para citar alguns dos muitos.

Não é coincidência que quanto mais educado você for, menor será a chance de vacinar, o que contradiz os equívocos de muitos profissionais de saúde que professam que os pais não vacinam porque são sub-educados, pobres ou mal informados. Aqueles que se tornam plenamente informados dos perigos das vacinas nunca mais as vêem novamente na mesma luz, pois seus motivos ficam claros.

8. Medicina convencional e sistema de saúde ajudam pessoas doentes

Talvez o maior mito da saúde hoje seja o equívoco do público de que a medicina tradicional e o sistema de saúde ajudam pessoas doentes. Nada poderia estar mais longe da verdade.
Por que as pessoas seguem as autoridades médicas que prescrevem vacinas tóxicas, medicamentos e tratamentos que só servem como detrimento da saúde humana.
A liberdade das pessoas de escolher a cura natural, a medicina alternativa e os métodos de prevenção de doenças podem ser ameaçadas em breve por lobistas corporativos que farão qualquer coisa para proteger sua riqueza em detrimento da sua saúde.
90 por cento de todas as doenças (câncer, diabetes, depressão, doenças cardíacas, etc.) são facilmente evitáveis ​​através da dieta, nutrição, luz solar e exercício físico. Nenhuma dessas soluções é promovida pela medicina convencional porque não ganham dinheiro.

Nenhum produto farmacêutico realmente cura ou resolve as causas subjacentes da doença. Mesmo as drogas "bem-sucedidas" só gerem sintomas, geralmente ao custo de interferir com outras funções fisiológicas que causarão efeitos colaterais na estrada de sua vida. Não existe tal droga sem efeito colateral.

Não há incentivo financeiro para qualquer um no sistema de medicamentos de hoje (empresas farmacêuticas, hospitais, médicos, etc.) para efetivamente tornar os pacientes bem. Os lucros são encontrados em doenças continuadas, não como bem-estar ou prevenção.

O principal erro da abordagem biomédica é a confusão entre os processos da doença e as origens da doença. Em vez de perguntar por que uma doença ocorre e tentar remover as condições que levam a isso, pesquisadores médicos tentam entender os mecanismos biológicos através dos quais a doença opera, para que possam interferir com eles. Esses mecanismos, e não as origens verdadeiras, são vistos como as causas da doença no pensamento médico atual e essa confusão está no centro dos problemas conceituais da medicina contemporânea.

Quase todos os programas de "prevenção" que você vê hoje (como mamografias gratuitas ou outros programas de triagem) não são mais do que esquemas de recrutamento de pacientes projetados para aumentar a receita e a doença. Eles usam exames gratuitos para assustar as pessoas em concordar com tratamentos desnecessários que só levam a novas doenças.
Ninguém tem interesse em sua saúde exceto você. Nenhuma corporação, nenhum médico e nenhum governo tem vontade de realmente fazer você bem. Isso serviu os interesses financeiros de curto prazo dos poderes superiores no oeste muito bem. Os únicos indivíduos saudáveis, cientes e criticamente pensantes são 100% livres de produtos farmacêuticos e alimentos processados.

9. Existem níveis "aceitáveis" de substâncias químicas tóxicas

Os níveis são "aceitáveis" pela indústria e padrões regulatórios, mas nossa exposição a outros "níveis aceitáveis" de produtos químicos tóxicos que, em seguida, interagem uns com os outros e dança com nossas células dentro de nossos corpos nunca é levada em consideração.
Temos mais de 200 produtos químicos sintéticos em nossos corpos no momento. Nossa exposição às toxinas é a que está presente. A maioria de nós não detecta sua presença a cada momento de todos os dias, mas temos que nos perguntar - como eles estão nos afetando? O que isso significa para as gerações futuras? Tudo isso é ignorado por todas as indústrias.

Os produtos químicos representam US $ 3,7 trilhões de vendas em todo o mundo -Muitos empregos dependem dessa indústria, mas 85% dos produtos químicos no comércio hoje não foram testados. Como os produtos que contêm aqueles produtos químicos que afetam nossa saúde? Qual o impacto sobre aqueles que trabalham ou vivem perto das plantas químicas?
É realmente tão difícil para a maioria das pessoas acreditar que estamos sendo assaltados diariamente pelo terrorismo químico ? Alimentos geneticamente modificados, sabores artificiais, cores, conservantes, emulsionantes e edulcorantes todos feitos com produtos químicos tóxicos, todos os quais são provados tóxicos para a saúde humana.

Adoçantes artificiais , conservantes, nitratos, cores artificiais, MSG(Glutamato monossódico ) ... se processado, é provável que contenha um ou mais desses ingredientes. O benzoato de sódio e o benzoato de potássio são conservantes que, às vezes, são adicionados aos refrigerantes para evitar o crescimento do molde, mas o benzeno é um carcinógeno conhecido. O hidroxinéssol butilado (BHA) é outro conservante potencialmente cancerígeno. Ler rótulos é uma solução fácil - se você não reconhece um ingrediente, não compre o produto alimentar.
Não há níveis aceitáveis ​​de produtos químicos que pertençam aos nossos alimentos e é hora de tirar a indústria química dos nossos alimentos.

10. A doença não pode ser revertida sem drogas farmacêuticas

Muitas combinações de produtos naturais são tão eficazes quanto as drogas produzidas pelo homem, mas sem os efeitos colaterais quando atuam contra doenças específicas. Para evidências empíricas, não procure mais as tribos e culturas indígenas que ainda utilizam muitas formulações pré-datando o histórico e com grande sucesso. Um estudo abrangente e o primeiro de seu tipo publicado no PLoS One avaliou 124 combinações de produtos naturais e descobriu que, nas combinações certas, eles podem combinar a potência do nível de fármaco.

As plantas são melhores do que drogas em muitos níveis. Ervas, frutas e vegetais específicos foram encontrados em muitos casos para funcionar melhor do que a medicação para doenças específicas. Por exemplo, na graviola,  foi encontrado para matar câncer até 10.000 vezes mais eficaz do que a quimioterapia forte. O consumo de maçãs diariamente foi encontrado em alguns estudos para ser mais eficaz do que os medicamentos estatinais na redução da doença cardíaca. Suco de Airela , alho e açafrão são apenas três das dezenas de outros alimentos que superam as drogas no tratamento e prevenção de doenças.

Existem ervas que aumentam e curam os pulmões , outros que aumentam a energia e a vitalidade , muitos que estabilizam a tireóide e até mesmo a pressão arterial mais baixa .

Apesar do modelo médico que se baseia na intervenção farmacêutica para todas as doenças conhecidas, existem mais de uma centena de doenças comuns que podem ser revertidas naturalmente . Essa é a diferença entre o tratamento para o lucro e a cura para o bem-estar. A artrite (tanto reumatóide quanto osteo) diabetes (Tipo I e Tipo II), hipertensão e câncer são reversíveis com estratégias herbal adequadas, nutrição e exercício físico.

11. A melhor maneira de tratar o câncer é com quimioterapia e radiação

Médicos e empresas farmacêuticas ganham dinheiro com isso. Essa é a única razão pela qual a quimioterapia ainda é usada. Não porque seja efetivo, diminui a morbidade, a mortalidade ou diminui as taxas específicas de câncer. Na verdade, faz o contrário. A quimioterapia aumenta o crescimento do câncer e as taxas de mortalidade a longo prazo. A maioria dos pacientes de quimioterapia morre ou está atormentada com doença dentro de 10-15 anos após o tratamento. Destrói seu sistema imunológico, aumenta o declínio neuro-cognitivo, interrompe o funcionamento endócrino e causa toxicidades orgânicas e metabólicas. Os pacientes basicamente vivem em estado permanente de doença até sua morte. A indústria do câncer marginaliza curas seguras e eficazes enquanto promove seus remédios patenteados, caros e tóxicos, cujos riscos ultrapassam em muito qualquer benefício. Isto é o que eles fazem melhor, e eles fazem isso porque faz dinheiro, simples e simples.

A razão de uma taxa de sobrevivência relativa de 5 anos é o padrão usado para avaliar as taxas de mortalidade é devido à maioria dos pacientes com câncer em declive após este período. É excepcionalmente ruim para os negócios e a indústria do câncer sabe disso. Eles nunca poderiam mostrar ao público a verdadeira taxa de falha estatística de 97% no tratamento de cânceres metastáticos de longo prazo. Se eles publicaram as estatísticas de longo prazo para todos os cânceres que receberam quimioterapia citotóxica, isso é mais de 10 anos e produziu os dados objetivos sobre avaliações rigorosas, incluindo a relação custo-eficácia, impacto no sistema imunológico, qualidade de vida, morbidade e mortalidade, seria muito claro para o mundo que a quimioterapia faz pouca ou nenhuma contribuição para a sobrevivência do câncer. Nenhum estudo já foi realizado por pesquisadores independentes na história da quimioterapia.

12. A ciência é respeitável e honesta

A busca da verdade na consulta científica moderna é prejudicada pela ganância, o lucro e apenas um conceito de verdade construído no pressuposto de um bem não examinado. Embora as aprovações de medicamentos farmacêuticos, alimentos geneticamente modificados e várias outras tecnologias polêmicas possam parecer baseadas em "ciência", os interesses corporativos e os lucros geralmente interferem com o verdadeiro significado do que a ciência representa para os acadêmicos e para o público.

A metodologia primária da ciência é premiar a realidade em suas partes componentes, a fim de entender melhor como o todo funciona. A lógica cartesiana começou com a separação da mente e da matéria e o método científico depende da separação do observador observado. A separação absoluta entre mente e matéria mostrou-se inteiramente fictícia, a importância da objetividade dentro do método científico permanece inalterada.

Existe pouca ciência real na prática comum da medicina convencional. Em vez disso, o que passa pela "ciência" hoje é uma coleção de mitos, meias verdades, dados desonesto, relatórios fraudulentos e correlações inadequadas passadas como causalidade. Os estudos correlacionais não podem provar a causalidade, mas o resultado final da maioria dos estudos científicos na medicina dominante faz uma reivindicação causal sem qualquer prova e depois passa essas sugestões ao público para vender o modelo médico ao público.

Os anunciantes e os fabricantes de produtos certamente usaram esse viés cognitivo inerente para confiar em "fatos científicos" para comercializar produtos que eles afirmam ter uma base científica em sua eficácia. O mesmo é, naturalmente, verdadeiro dentro das ideologias e da política. Enquanto muitos optam por se concentrar nos grandes escândalos, como a fraude na pesquisa de drogas, inúmeras alegações científicas fraudulentas são feitas todos os dias na publicidade, muitas vezes sem repercussões.

13. Existem doses seguras de produtos químicos em medicamentos

Enquanto você pode morrer de qualquer coisa tomada em excesso, mesmo de água, você também pode se deparar com graves complicações fatais de qualquer veneno em qualquer dose, se você demorar bastante tempo. Não existe uma dose segura de um veneno porque o corpo reconhece até mesmo a menor dose e imediatamente cria cascatas inflamatórias e respostas imunes para combater essas entidades estrangeiras. Químicos tóxicos estão agora invadindo todas as facetas de nossas vidas de nossas escolas para nossos locais de trabalho. Eles estão se deteriorando gradualmente em todos os sistemas em nossos corpos e causando tantas doenças, que agora é difícil isolar exatamente quais produtos químicos estão causando cada doença.

Os testes químicos que fazemos atualmente para estabelecer se um produto químico está seguro podem não ser suficientes. Em particular, podemos não estar visando nem entender os efeitos de níveis extremamente baixos de contaminantes químicos durante fases críticas quando o organismo está "ouvindo" para mensageiros químicos. Isso ocorre, por exemplo, durante o desenvolvimento fetal e durante mudanças que ocorrem na puberdade. A primeira pergunta que precisamos fazer é: esse substância química imita alguns dos produtos químicos de mensagens que os organismos dependem para a sobrevivência?

O que a maioria dessas empresas de gerenciamento de produtos químicos, suas agências reguladoras e cientistas não apreciam, é o que um organismo delicadamente equilibrado estamos especialmente no nível molecular. Neste nível, os produtos químicos atuam mais como um aperto de mão do que como a terceira cerveja.

14. As pessoas são mais saudáveis ​​do que nas gerações anteriores

A expectativa de vida no nascimento aumentou alguns anos para homens e mulheres nas últimas duas décadas do século XX. Isso teve um custo enorme na qualidade de vida de nossos idosos, pois sofrem com mais dor e maior incapacidade do que nunca nos últimos 15 anos de vida. As pessoas em geral estão vivendo mais tempo, mas as condições debilitantes crônicas estão se tornando mais prevalentes.

Um recente estudo sobre a carga global de doenças de 2010 envolveu 486 autores em 50 países que visavam oferecer uma atualização abrangente sobre doenças e lesões desde o último relatório em 1990. Ele encontrou o fator de risco principal que contabiliza a carga de doenças na maioria dos países desenvolvidos é a dieta .

Talvez a mais preocupante seja a medicalização da infância que nos leva à doença, se a idade adulta. Se as crianças tossem após o exercício, elas têm asma; Se eles tiverem problemas para ler, eles são disléxicos; se eles são infelizes, estão deprimidos; e se eles alternam entre infelicidade e vivacidade, eles têm transtorno bipolar. Embora esses diagnósticos possam beneficiar os poucos com sintomas graves, é preciso se perguntar sobre o efeito sobre os sintomas cujos sintomas são leves, intermitentes ou transitórios.

Cada geração sucessiva está mais doente e doente do que a sua antecessora . Autismo, dificuldades de aprendizagem, TDAH, asma, diabetes e muitas outras doenças continuam a disparar. Nenhuma agência governamental já fez, ou alguma vez fará qualquer coisa, exceto continuar a compilar estatísticas.

15. As Plantas Terapêuticas são Drogas Perigosas

A razão pela qual a cannabis é tão eficaz na medicina é diretamente relacionada à sua capacidade de interagir com receptores no organismo que inibem a inflamação e previnem a doença. O cannabis faz isso tão bem, que poucas drogas podem competir com seu nível de potência que vem essencialmente sem efeitos colaterais. Com frequência, a cannabis é rotulada como uma ameaça à medicina convencional.

A questão já não é qual a doença que a cannabis pode curar, mas que doença não pode curar? Um estudo publicado em Nature Reviews-Cancer fornece uma explicação histórica e detalhada sobre como o THC e os canabinóides naturais reagem ao câncer, mas preservam as células normais.

Não é nenhuma surpresa que os Estados Unidos tenham decretado que a maconha não tem uso de uso médico aceito e deve permanecer classificado como uma droga altamente perigosa inclusive aqui no Brasil . Aceitar e promover os poderosos benefícios para a saúde da maconha cortaria instantaneamente grandes lucros voltados para o tratamento do câncer e a industria do Câncer governos teriam que admitir que aprisiona a população por nenhuma causa. 

Segundo o editor da MarijuanaNews.com, Richard Cowan, a resposta é porque é uma ameaça para a proibição da cannabis "... realmente há uma prova enorme de que a supressão da cannabis médica representa o maior fracasso das instituições de uma sociedade livre, medicina, jornalismo, ciência e nossos valores fundamentais ", observa Cowan.

Muitos pesquisadores observaram que havia dados "inadequados" por décadas para determinar se a maconha defumada era segura ou eficaz no tratamento de sintomas de dor e prevenção de disese. A principal razão para a falta de dados teve que ver com o Instituto Nacional de Abuso de Drogas, ou NIDA, que era a única fonte de cannabis para pesquisa e bloqueavam os estudos mais significativos devido a laços estreitos com empresas farmacêuticas.
Agora, décadas de propaganda estão sendo revertidas à medida que os cientistas e o público estão sendo expostos ao verdadeiro potencial da cannabis e sua capacidade de curar e prevenir a doença.
Espero que tenha gostado desse artigo peço que me conte o que você achou desse artigo, e principalmente compartilhe com os amigos familiares e quantas pessoas você poder informar ! 
muita paz e luz

Author Image

Autor: Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao desperta a sociedade. Saber Mais