Dra. Lucie Kerr: Vacinação Obrigatória de Bebês e Crianças Contra COVID-19 é Um Crime

Governo Lula juntamente com o Regime de Moraes, está a violar direitos fundamentais em troca de negócios obscuros com a Big Pharma?

Dra. Lucie Kerr: Vacinação Obrigatória de Bebês e Crianças Contra COVID-19 é Um Crime

Nos últimos tempos, tem havido um intenso debate sobre a vacinação obrigatória de bebês e crianças contra a COVID-19 no Brasil (seus efeitos a longo prazo ainda são desconhecidos). Algumas vozes levantam sérias preocupações sobre a legalidade e a ética dessa medida, especialmente quando se considera o contexto político atual e os interesses envolvidos.

O regime Lula, juntamente com o chamado "Regime de Moraes", tem sido acusado de violar direitos fundamentais em troca de supostos negócios obscuros com a indústria farmacêutica. A imposição da vacinação obrigatória para bebês e crianças é vista por muitos como uma ação autoritária que não leva em conta os direitos dos cidadãos e o princípio da liberdade individual.

As Razões da Dra. Lucie Kerr


A Dra. Lucie Kerr, uma voz proeminente no campo da saúde infantil, tem se manifestado contra a vacinação de crianças contra a COVID-19. Ela argumenta que não há base científica sólida para essa medida, especialmente quando se considera o baixo risco que as crianças enfrentam em relação à doença.

Outro ponto levantado é que as crianças não são grandes transmissoras do vírus. Embora a transmissão entre crianças e adultos seja possível, há evidências que sugerem que as crianças têm menor probabilidade de espalhar o vírus em comparação com adultos. Portanto, a justificativa para vacinar esse grupo para interromper a transmissão comunitária pode não ser tão sólida quanto se pensava inicialmente.


De acordo com dados recentes da Academia Americana de Pediatria, as crianças representam uma parcela mínima das mortes e casos graves de COVID-19. Em muitos estados dos EUA, nenhum caso fatal foi relatado entre crianças, e a taxa de mortalidade entre elas é extremamente baixa. Essas estatísticas levantam dúvidas sobre a necessidade de vacinar esse grupo etário, especialmente de forma obrigatória.

As injeções para bebês e crianças fazem mais mal ou morte do que supostos benefícios: Vacinação COVID em crianças norueguesas, causaram anafilaxia, miocardite, gânglios linfáticos inchados e apendicite, revela estudo. As vacinas COVID-19 da Pfizer e da Moderna associadas a um maior risco de linfadenopatia, segundo os pesquisadores.

Conclusão: Uma Questão Complexa e Sensível


A questão da vacinação obrigatória de bebês e crianças contra a COVID-19 é, sem dúvida, complexa e sensível. Envolve considerações éticas, legais, científicas e de saúde pública que não podem ser ignoradas. É essencial que haja um debate aberto e transparente sobre o assunto, levando em conta todas as perspectivas e preocupações envolvidas.

Independentemente da posição adotada, é crucial que a segurança e o bem-estar das crianças sejam sempre priorizados. Qualquer decisão relacionada à vacinação obrigatória deve ser baseada em evidências científicas sólidas, respeito aos direitos individuais e uma avaliação cuidadosa dos potenciais benefícios e riscos envolvidos.
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Sugestão de suplemento

Postar um comentário

0 Comentários

Fechar Menu