Coletividade Evolutiva , Remdesivir mata: Famílias clamam por justiça em frente a hospitais de Michigan , Coronavírus , Covid-19 , Pandemias , saúde , Saúde e medicina ,

Remdesivir mata: Famílias clamam por justiça em frente a hospitais de Michigan

Várias enfermeiras simpáticas saíram para falar com eles e que concordaram que os protocolos COVID estavam matando pacientes


Remdesivir mata: Famílias e ativistas pela liberdade médica clamam por justiça em frente a hospitais de Michigan

Ativistas da liberdade médica protestaram em frente a três hospitais do Estado de Michigan-(EUA) no último domingo para chamar a atenção para os efeitos fatais que o Remdesivir teve em seus entes queridos. Segundo as informações, várias enfermeiras simpáticas saíram para falar com eles e que concordaram que os protocolos COVID estavam matando pacientes.

O remdesivir foi aprovado de forma controversa pela reguladora americana Food and Drug Administration (FDA) e posteriormente pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para pessoas que contraíram COVID-19. Além disso, a Anvisa e outras agências de saúde se tornaram irresponsáveis com aprovação de vacinas experimentais e outras substâncias recém lançadas - e suprimindo medicamentos baratos e eficazes na era pandemia, como a Ivermectina, por exemplo.

Desde então, o controverso medicamento remdesivir, recebeu luz verde para bebês, uma medida que é contestada pela Children's Health Defense de Robert F. Kennedy Jr. devido à sua taxa de reação adversa de 72%. O Dr. Anthony Fauci tem sido o principal defensor do medicamento, citando seus supostos benefícios no combate ao ebola. (Veja também: A grande mídia é um dos culpados: agora o Wall Street Journal afirma que a censura Covid custou vidas!)

No entanto, como apontado por vários profissionais de saúde nos últimos anos, o Remdesivir realmente teve uma taxa de mortalidade de mais de 50% nos testes de ebola, fazendo com que fosse descontinuado. O Dr. Bryan Ardis, da Fundação Truth for Health, disse ao LifeSite em 2021 que Fauci "estava mentindo para o público americano" sobre a eficácia do Remdesivir. como ele saberia sobre seus efeitos nocivos.

Teresa Cichewicz ajudou a organizar os protestos de domingo, que ocorreram em frente à Trinity Health, em Grand Rapids, ao Hospital Henry Ford, em Clinton Township, e ao Hospital Beaumont, em Detroit. Ela disse ao LifeSite que várias enfermeiras simpáticas saíram para falar com eles, e que concordaram que os protocolos estavam matando pacientes. (Veja também: Erros de diagnóstico ligados a quase 800.000 mortes ou incapacidade permanente nos EUA a cada ano, estima estudo)

Tratamento Covid Redemsivir mata


Cichewicz atua como secretária de Michigan da Fundação Nacional de Liberdade do FormerFedsGroup. A organização lançou recentemente o Projeto de Memória de Traição da Humanidade COVID-19 para lançar luz sobre "crimes contra a humanidade". Mais de 1.000 casos de mortes hospitalares evitáveis foram relatados em seu site. Cichewicz disse ao LifeSite por e-mail que seu pai morreu após receber uma dose não autorizada de Remdesivir:

Meu pai sempre foi contra as vacinas e os protocolos hospitalares. Ele não queria que a gente o internasse quando ele pegou COVID. No entanto, quando o nível de oxigênio dele caiu, precisávamos ir. Só depois de sua morte é que recebi informações em seus relatórios médicos que mostravam que ele recebeu Remdesivir contra nossa vontade. Seus rins e outros órgãos estavam se fechando como resultado, e em quatro dias eles o mataram. Ele só foi internado por precisar de oxigênio, mas lhe deram Remdesivir e morreu em poucos dias. Até o momento, os hospitais ainda estão usando apenas esse protocolo. Ainda está matando pessoas todos os dias.

Durante a pandemia, os hospitais foram financeiramente incentivados pelo governo dos EUA com um bônus de reembolso de 20% para administrar o Remdesivir. Eles também conseguiram dinheiro para classificar as mortes como decorrentes da Covid-19. Os críticos alegam que as políticas aliciavam os profissionais médicos a usar tratamentos ineficazes como forma de aumentar os lucros de forma antiética.

A FormerFedsGroup Freedom Foundation lançou recentemente uma campanha de outdoors em Michigan. O objetivo é incentivar as pessoas cujos familiares morreram devido aos protocolos da Covid a se manifestarem. Eles também estão tentando entrar com uma ação coletiva por morte culposa.

Dados obtidos dos Centros de Serviços Medicare e Medicaid (CMS) mostram que quase 26% dos pacientes que receberam prescrição de Remdesivir morreram, principalmente devido à falência múltipla de órgãos. (Veja também: Conspiração revelada: Mais de 100 profissionais médicos expõem a FRAUDE ACADÊMICA que difamou a Hidroxicloroquina
)

"Não conhecemos nenhum efeito positivo dessa droga, só conhecemos efeitos tóxicos", disse Wolfgang Wodarg, médico, político e ex-chefe do departamento de saúde pública em Flensburg, na Alemanha, ao LifeSite em 2021.

Em comparação, a taxa de letalidade de pacientes com Covid que receberam Ivermectina foi de apenas 7,2%. 76 % dos pacientes com Covid com menos de 65 anos que foram colocados em ventiladores morreram. Mais de um milhão de reações adversas à vacina COVID foram registradas no banco de dados de autonotificação do governo dos EUA até o momento, relatou o Life Site

Obtenha o Extrato de Própolis Verde, Vitamina C, D e Zinco para melhor Imunidade e Proteção contra doenças oportunistas - Clique aqui


Siga-nos: | | e | Inscreva-se na nossa | Nos Apoie: Doar
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Fechar Menu
Entre em nosso Telegram

Entre para nosso canal do Telegram

ENTRAR

Nos siga no X (Twitter)

Compartilhamos nossos artigos e outras informações

SEGUIR

Apoie Coletividade Evolutiva - Doação

Apoie nosso projeto com uma contribuição.

DOAR