Sobre a Ditadura sanitária — Passaportes de vacinas é um "absurdo científico", alerta Professor de Harvard

Vacinação: Sobre a Ditadura sanitária — Passaportes de vacinas é um "absurdo científico", alerta Professor de Harvard... Os mandatos de vacinas não são apenas um absurdo científico, [mas] também são discriminatórios e antiéticos

Fabio Allves
Compartilhe:
Sobre a Ditadura sanitária — Professor de Harvard diz que passaportes de vacinas é um "absurdo científico", e fala sobre a imunidade natural

A corrida para procurar uma solução verdadeira para um vírus parece que está revelando as verdadeiras intenções de muitas autoridades nos bastidores das vacinas, o chamado Covid agora é apenas um pretexto para instaurar uma ditadura sanitária, destruir o estado de direito democrático.

 Um professor da Harvard Medical School (HMS) classificou os passaportes de vacinas como "um absurdo científico". O professor do HMS Martin Kulldorff fez a observação após a publicação de um estudo dizendo que a imunidade natural oferece melhor proteção contra o coronavírus Wuhan (COVID-19) do que as vacinas. Dados os resultados do estudo, Kulldorff observou que os passaportes de vacina são “discriminatórios e antiéticos”.

O professor tweetou : “Os mandatos de vacinas não são apenas um absurdo científico, [mas] também são discriminatórios e antiéticos.” Kulldorff argumentou que os passaportes para vacinas favoreciam os profissionais vacinados em relação às pessoas da classe trabalhadora que desenvolveram imunidade natural contra COVID-19.

Kuldorff citou um estudo israelense que analisou a maioria da população vacinada em Israel. Em uma análise de mais de 32.000 israelenses vacinados, pesquisadores do Centro de Pesquisa e Inovação Kahn Sagol Maccabi (KSM) descobriram que as pessoas vacinadas tinham 27 vezes mais probabilidade de desenvolver (COVID-19) sintomático do que as não vacinadas. Eles também descobriram que as pessoas vacinadas tinham oito vezes mais probabilidade de serem hospitalizadas por COVID-19.

Em uma análise separada, os pesquisadores do KSM descobriram que as pessoas injetadas com vacinas COVID-19 têm uma chance maior de contrair o vírus do que os sobreviventes de COVID-19 não vacinados. Na verdade, indivíduos vacinados sem infecção prévia tinham seis a 13 vezes mais probabilidade de serem infectados do que indivíduos não vacinados previamente infectados com o coronavírus. 

“A proteção imunológica natural que se desenvolve após uma infecção por SARS-CoV-2 oferece consideravelmente mais proteção contra a variante delta [B16172] do que duas doses da vacina Pfizer / BioNTech”, disse o estudo. Israel administrou a vacina experimental de duas doses de mRNA (que nunca foi usado em humanos antes) a uma grande parte de sua população.

Na verdade, pessoas vacinadas, são como super propagadores do vírus, como já alertaram especialistas e relatórios.

Dois especialistas médicos elogiaram a descoberta do estudo israelense de que a imunidade natural é melhor do que a suposta proteção artificial induzida por vacina, que agora como podemos observar, se mostraram que são completamente um desastre. O Dr. Eric Topol, do Scripps Research Institute na Califórnia, disse:

“Continuamos a subestimar a importância da imunidade natural à infecção... Especialmente quando [a infecção] é recente”. Enquanto isso, a Dra. Charlotte Thalin, do Instituto Karolinska da Suécia, descreveu a descoberta do estudo israelense como um "exemplo clássico de como a imunidade natural é realmente melhor do que a vacinação".

Autoridades ignoram imunidade natural para obrigar vacinas falhas


Apesar das evidências, muitos governos em todo o mundo está seguindo as ordens de uma agenda globalista nefasta, que matará milhões nessa de ainda preferirem a "imunidade induzida por vacina" para seus cidadãos. Na verdade, muitos instituíram políticas que obrigam, coagem ou incentivam a vacinação contra COVID-19. A França e a Itália, inclusive aqui no Brasil, estão entre os muitos países que agora exigem que seus cidadãos mostrem um comprovante de vacinação ao pisar ao ar livre. Isso é um crime direto contra as liberdades humanas e contra a constituição

Enquanto isso, autoridades aqui no Brasil, em cidades como Rio de Janeiro e São Paulo, estão trabalhando para impor a "ditadura sanitária" com a armadilha do chamado “passaporte Covid” ou passaporte sanitário, a versão do passaporte para vacinas do país, será exigido em vários estabelecimentos. As autoridades impuseram para vários estabelecimentos para solicitar aos cidadães um comprovante de vacina antes de permitir a entrada.

Em um artigo publicado em 30 de agosto, o Editor-chefe da Foundation for Economic Education, Jon Miltimore, expressou sua oposição a passaportes para vacinas “moralmente duvidosos” que limitam a liberdade de movimento - um direito humano básico. “Passaportes de vacinas seriam imorais e um grande exagero do governo, mesmo na ausência de descobertas [do estudo israelense]. Simplesmente não há paralelo histórico para governos que tentam restringir os movimentos de pessoas saudáveis ​​por causa de um vírus respiratório dessa maneira”, escreveu ele.

Miltimore também disse que, uma vez que há ampla evidência de imunidade natural fornecendo proteção muito superior em comparação com os vacinados, os governos dobrando os passaportes de vacinas “torna-se não apenas errado, mas absurdo”.

MedicalTyranny.com tem mais artigos sobre governos que exigem passaportes para vacinas, apesar da oposição de cidadãos e especialistas em saúde.

Compartilhe:

EXPLORE MAIS SOBRE:

Brasil | Coronavírus | Covid-19 | dinheiro | Governo | saúde | Sociedade | Sociedade e governo | Vacina | Vacinação
Fabio Allves

Autor: Fabio Allves

Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar.