Covid-19: hospitalizações caem 84% tratando pacientes com hidroxicloroquina, revela estudo

Saúde e medicina - Covid-19: hospitalizações caem 84% tratando pacientes com hidroxicloroquina, revela estudo

Compartilhe
Covid-19: hospitalizações caem 84% tratando pacientes com hidroxicloroquina, revela estudo 

Um estudo que em breve será publicado no International Journal of Antimicrobial Agents descobriu que um tratamento com hidroxicloroquina reduziu significativamente as hospitalizações e as taxas de mortalidade em pacientes com coronavírus.

De acordo com o estudo, a chance de pacientes tratados com Hidroxicloroquina serem hospitalizados foi 84% menor do que a de pacientes não tratados. Apenas um paciente no grupo de tratamento morreu contra 13 no grupo não tratado. O paciente do grupo de tratamento que faleceu tinha um histórico de câncer e só havia feito a terapia tripla uma vez antes de ser admitido no hospital.

O estudo comparou dois grupos de pessoas. O primeiro foi um grupo de 141 pacientes que foram diagnosticados com COVID-19 e foram tratados com um coquetel de três medicamentos por um período de cinco dias. Os três medicamentos incluíam uma dose baixa do medicamento antimalárico hidroxicloroquina, o mineral zinco e o antibiótico azitromicina. Esses pacientes foram comparados a um grupo de controle de 377 pessoas que também tinham o vírus, mas não receberam o tratamento.

A hidroxicloroquina foi mostrada em estudo após estudo como um tratamento eficaz para a doença, mas a grande mídia tem feito tudo para criticá-la desde que o presidente Trump expressou seu apoio à droga nos primeiros dias da pandemia.

Pesquisas anteriores comprovam a eficácia da Hidroxicloroquina


O principal autor do estudo mais recente, Dr. Vladimir Zelenko, e sua equipe decidiram determinar como os pacientes de alto risco com casos confirmados em laboratório de coronavírus se sairiam com um tratamento precoce do coquetel de três drogas.

Os autores do estudo escreveram: “Nesta avaliação multi-hospitalar, ao controlar os fatores de risco, Covid-19, o tratamento com hidroxicloroquina sozinho e em combinação com azitromicina foi associado à redução na mortalidade associada a Covid-19.” 

Eles afirmam que o que diferencia o estudo deles é o fato de os pacientes envolvidos terem sido diagnosticados com o vírus desde muito cedo, em regime ambulatorial, e o tratamento ser dado apenas aos considerados de alto risco.

Infelizmente, é um tratamento que muitos pacientes nunca terão, graças aos esforços da OMS, grande mídia e da mídia social. Um grupo de médicos chamado America's Frontline Doctors realizou um evento neste ano em frente à Suprema Corte, no qual compartilharam seus sucessos no tratamento de pacientes com Covid-19 com a droga.

Um dos médicos no evento, Dr. Stella Immanuel, disse que ela tratou com sucesso 350 pacientes com coronavírus que estavam nos estágios iniciais da doença usando o tratamento.

O vídeo foi compartilhado nas redes sociais, inclusive pelo presidente Trump. No entanto, não muito depois, YouTube, Twitter e Facebook retiraram o vídeo, alegando que ele estava espalhando desinformação sobre o vírus. Donald Trump viu sua conta no Twitter suspensa após compartilhar o vídeo.

Um estudo fraudulento que foi publicado no The Lancet alegando que a Hidroxicloroquina poderia ser perigoso para alguns pacientes foi posteriormente retirado, embora a mídia também não tenha noticiado muito sobre isso. Tudo foi um golpe armado para retirar o medicamento barato das mãos do público, mantendo assim a narrativo de que a única saída para tratar o coronavírus é uma vacina.

Dr. Zelenko disse: “É uma pena que grande parte da cobertura da mídia em torno da hidroxicloroquina tenha sido negativa. Esses três medicamentos são acessíveis, estão disponíveis na forma de pílula e funcionam em sinergia contra Covid-19. ”

Enquanto a OMS, gigantes da Tecnologia e a grande mídia continuarem a proteger os lucros de seus patrocinadores da grande indústria farmacêutica, esse tratamento potencialmente valioso provavelmente não será amplamente utilizado, apesar de todos os estudos mostrarem que ele tem o potencial de salvar milhares de vidas.

Compartilhe
Continue lendo após publicidade
Continue lendo após publicidade
Coletividade Evolutiva é uma mídia independente e alternativa, sem financiamento ou apoio por donos bilionários, políticos ou acionistas. Se gostou que acabou de ler, mostre seu apoio curtindo ou seguindo nas redes sociais, ou inscrevendo-se por E-mail para receber as últimas notícias. Siga.
Instagram | Facebook |Twitter |Telegram |>>NOS POIE

Fabio Allves

Fabio Allves
Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar. | Telegram