“Segura e eficaz” — Injeção de mRNA da COVID INTERROMPIDA em três países devido à inflamação do coração

Vacinação: “Segura e eficaz” — Injeção de mRNA da COVID INTERROMPIDA em três países devido à inflamação do coração... Dinamarca, Suécia e Finlândia, interromperam repentinamente o lançamento de uma dessas injeções das gigantes farmacêuticas.

Fabio Allves
Compartilhe:
“Segura e eficaz” — Injeção de mRNA da COVID INTERROMPIDA em três países devido à inflamação do coração

Em setembro, a Dinamarca abandonou todas as suas restrições contra à pandemia, incluindo o passaporte sanitário da COVID, que não é mais necessário para entrar em casas noturnas, restaurantes e outros espaços públicos. De acordo com a NPR, o governo dinamarquês não considera mais a COVID-19 "uma doença socialmente crítica".

As autoridades creditam a alta taxa de vacinação na Dinamarca - onde supostamente 80% das pessoas com mais de 12 anos receberam 2 doses de uma injeção de tecnologia de mRNA da Pfizer ou Moderna. Mas recentemente, a Dinamarca e outro país da Europa interromperam repentinamente o lançamento de uma dessas injeções das gigantes farmacêuticas para populações mais jovens devido aos efeitos prejudiciais à saúde observados.

Dois outros países europeus dizem NÃO para as injeções da Moderna para grupos de idades mais jovens porque a injeção causa inflamação do coração


Em 6 de outubro, a Reuters anunciou que os reguladores da Dinamarca e da Suécia decidiram parar de administrar a injeção COVID da Moderna em pessoas mais jovens devido ao aumento do risco de inflamação do coração após a injeção entre os jovens receptores. Em 8 de outubro, soubemos que a Finlândia também suspendeu o uso da injeção de COVID-19 da Moderna para pessoas jovens.

De acordo com o National Institute of Health, a inflamação do coração, incluindo miocardite e pericardite, pode levar a muitas consequências graves, incluindo insuficiência cardíaca, choque, acidente vascular cerebral e problemas pulmonares em casos graves ou não tratados, entre outras complicações.

Autoridades suecas de saúde pública declararam que estão interrompendo a administração da vacina de mRNA da Moderna para qualquer pessoa nascida em 1991 ou depois devido à ligação cada vez mais observada entre a injeção e a inflamação do coração em homens mais jovens.

A agência de saúde sueca afirmou que “a conexão é especialmente clara em relação à vacina da Moderna ... especialmente após a segunda dose”.

Funcionários da Dinamarca ecoaram essas declarações quando disseram que em "dados preliminares... há uma suspeita de um risco aumentado de inflamação do coração quando vacinado com a Moderna".

Esses funcionários estão fazendo a devida diligência - ou isso é uma tentativa velada de posicionar a Pfizer como o líder do golpe?


Quando as autoridades americanas interromperam temporariamente o uso das injeções da Johnson & Johnson para investigar o risco de coágulos sanguíneos perigosos após a vacina COVID-19, a grande mídia usou-o como exemplo para elogiar o governo por sua diligência em proteger o público.

Mas alguns céticos tinham uma perspectiva diferente: a de que Johnson & Johnson estava sendo sacrificada em um discurso público para pintar as tomadas de mRNA da Pfizer e Moderna em uma luz melhor, embora os dados do VAERS e estudos de pesquisas - incluindo um estudo de julho de 2021 da Espanha - tenham indicado um risco aumentado de coágulos sanguíneos após as injeções de mRNA também.

O mesmo ceticismo está surgindo agora na Europa. Depois que a Dinamarca e a Suécia disseram que estão pausando as injeções de Moderna para jovens, eles recomendam a injeção de Comirnaty® da Pfizer / BioNTech. Oficiais na Noruega também aconselharam homens com menos de 30 anos para obter Comirnaty® em vez de outras opções de tiro COVID.

O que você acha: há dados suficientes para sugerir que a injeção da Pfizer ou qualquer outra é a opção mais “segura” das injeções COVID disponíveis, especialmente para pessoas mais jovens? Para pessoas jovens e saudáveis ​​que provavelmente não ficarão gravemente doentes com COVID-19, os “benefícios” potenciais de obter uma injeção COVID realmente superam os riscos potenciais? E a imunidade natural já obtida pela maioria dos jovens, o que acontecerá ao tomar uma injeção mal testada e estudada? Quais serão os efeitos a longo prazo dessas novas injeções de terceira, quarta, quinta e assim por diante a longo prazo? Pois, as primeiras injeções já revelaram seus primeiros sinais de fracasso, mais eficaz em efeitos adversos a médio prazo: coágulos sanguíneos, inflamação do coração, paralisias, doenças autoimunes, etc...

E, finalmente, você não acha estranho que o único medicamento que continua saindo na frente - na mídia - seja produzido pela empresa que pagou a maior multa criminal da história dos Estados Unidos por fraude na área de saúde? Resumindo: o que quer que você decida, certifique-se de que seja uma escolha informada. Essas injeções, provavelmente, não é para parar um vírus, parece ser para um extermínio silencioso com várias rodadas de injeções ao mesmo tempo, em que nos fazem de ratos de laboratório para uma futura injeção bem sucedida de tecnologia e humano.

Explore mais sobre:

Compartilhe:
RELATAR ERROS:
Fabio Allves

Autor: Fabio Allves

Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar.