BOMBA: Estudo descobre que vacinas atuais da Covid causarão "doença grave induzida por vacina" quando infectadas com variante

Vacinação: BOMBA: Estudo descobre que vacinas atuais da Covid causarão "doença grave induzida por vacina" quando infectadas com variante... Estudo científico que mostra que a variante SARS-CoV-2 Delta “está pronta para adquirir resistência completa” às vacinas existentes atuais.

Fabio Allves
Compartilhe:
BOMBA: Estudo descobre que vacinas atuais da Covid causarão "doença grave induzida por vacina" quando infectadas com variante

As injeções de Covid-19 (experimentais) continuam a ser defendidas como a única solução para a "pandemia", mesmo com a ocorrência pandêmica está se mostrando cada vez mais propagada pelas próprias injeções, são cada vez, maiores as infecções “revolucionárias”. Mas um grupo de pesquisadores japoneses divulgou um estudo científico que mostra que a variante SARS-CoV-2 Delta “está pronta para adquirir resistência completa” às vacinas existentes atuais. Isso significa que o pandemônio será sustentando pelas próprias injeções ditas como seguras e eficazes. Em outras palavras, uma arma biológica disfarçada de cura, que criará variantes mais mortais e resistentes na população na medida que vacinam todo o mundo.

Os Pesquisadores japoneses publicaram um novo estudo sobre como os "totalmente vacinados" provavelmente sofrerão aumento da doença quando forem reexpostos a variantes do coronavírus do tipo selvagem, como o Delta. O estudo mostra que a variante Delta do SARS-CoV-2 “está preparada para adquirir resistência completa” ao suprimento de vacina existente e colocará os vacinados em risco aumentado de doença grave. ( Recomendado: Israel é a prova clara que os experimentos de vacina COVID-19 é um grande problema... imunidade natural pode ser a grande vantagem)

O fenômeno científico, conhecido como realce dependente de anticorpos, foi testemunhado pela primeira vez em testes com vacinas que falharam contra a SARS.
Depois de serem injetados com a tecnologia de mRNA, todos os animais morreram após a reinfecção com o vírus do tipo selvagem. O vencedor do Prêmio Nobel Luc Montagnier, um virologista e professor francês, já havia alertado para esse fenômeno, quando disse que as injeções estão desencadeando um fenômeno conhecido como “realce dependente de anticorpos”, ou ADE, que uma vez totalmente “ativado” acabará matando todos que forem reprogramados por ele. (Recomendado: DESASTRE SEM PRECEDENTES: Pessoas vacinadas da Covid carregam 251 vezes carga viral, ameaçando os não vacinados)

Como essas novas vacinas que serão rotineiramente aplicadas na massa, levando pelo que parece a morte de muitos, de mRNA covid-19 foram apressadas no processo de aprovação de agências reguladoras em um pingo de desessencia, os estudos em animais foram ignorados. É por isso que muitos céticos acham que somos os estudos com animais, somos a cobaia desses experimentos ilegais. (Recomendado: Relatório CHOCANTE do Canadá: 106 jovens hospitalizados com inflamação do coração após injeções COVID)

A vacina de mRNA estimula mutações de coronavírus que os supostos "anticorpos" induzidos pela vacina eventualmente não podem reconhecer


No estudo, a variante Delta foi pressionada em quatro mutações comuns. As proteínas de pico da substância experimental (mRNA) da Pfizer e Moderna chamada de vacina Covid que são transcritas em células humanas não preparam o corpo para lutar contra as novas variantes que estão sendo pressionadas a existir por esses mesmos programas de vacinas. Na verdade, a vacina aumenta a infectividade da variante, fazendo com que o vírus seja ainda mais resistente ao sistema imunológico humano.

 Os cientistas identificaram três mutações do SARS-CoV-2 que já superam a tecnologia de vacina de mRNA. De acordo com este estudo, depois que uma quarta mutação emerge dominante na população, os vacinados ficarão mais suscetíveis a doenças graves.

“O domínio de ligação ao receptor (RBD) da proteína spike se liga ao receptor da célula hospedeira ACE2, e a interação medeia a fusão da membrana durante a infecção por SARS-CoV-2”, escreveram os autores do estudo. “Os anticorpos neutralizantes contra o SARS-CoV-2 são direcionados principalmente para o RBD e bloqueiam a interação entre o RBD e o ACE2. A maioria das variantes do SARS-CoV-2 adquiriu mutações nos epítopos de anticorpos neutralizantes do RBD, resultando em escape de anticorpos neutralizantes. ”

A vacina foi eficaz por um curto período de tempo contra uma única mutação. A maioria dos anticorpos do domínio de ligação do anti-receptor (induzidos pela vacina) foram capazes de reconhecer a proteína spike e prevenir infecções graves. No entanto, após quatro mutações, os anticorpos induzidos pela vacina foram incapazes de reconhecer a proteína spike. Consequentemente, a infectividade do Delta 4+ foi aumentada, pois o vacinado tornou-se imunocomprometido e mais suscetível a doenças graves.

De acordo vacinam milhões, de acordo um número potencialmente de vacinados morrerão


Pior ainda, agora há evidências de que as taxas de transmissão e vacinação do SARS-CoV-2 impulsionam a rápida evolução das cepas resistentes às vacinas . É apenas uma questão de tempo antes que o público aceite que a exposição total a essas mutações são necessária para desenvolver a resposta imunológica humana após o fracasso desta falsa ciência da vacina ditas como segura e eficazes, propagandista da mentira.

 A resposta da saúde pública nos últimos quase dois anos manteve as pessoas presas na expectativa de um programa de vacina salvador. À medida que esse programa falha, a resposta de saúde pública deve mudar, focando em reduzir a inflamação nas células humanas, corrigindo problemas de saúde subjacentes e aumentando a resposta imunológica humana inata. Tratamentos eficazes, baratos e seguros foram suprimidos do público, demonizando o que poderia já ter acabado como a pandemia.

A exposição anterior e a imunidade adquirida naturalmente ao SARS-CoV-2 já mostraram conferir imunidade mais duradoura a essas novas variantes. Pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Washington forneceram evidências de que a exposição anterior e a recuperação da infecção por SARS-CoV-2 conferem imunidade vitalícia, mesmo quando a infecção é leve. A orientação atual de saúde pública de vacinar todos está exacerbando doenças graves e aumentando a hospitalização e a morte. Essa coisa nunca acabou agora.

Explore mais sobre:

Compartilhe:
RELATAR ERROS:
Fabio Allves

Autor: Fabio Allves

Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar.