Cientista-chefe da OMS afirma que “não há evidências” das vacinas COVID-19 impeça a transmissão viral... então, para que servem?

Vacinação: Cientista-chefe da OMS afirma que “não há evidências” das vacinas COVID-19 impeça a transmissão viral... então, para que servem? - “Não acredito que tenhamos evidências sobre qualquer uma das vacinas para ter certeza de que vai impedir que as pessoas contraiam a infecção

Fabio Allves
Cientista-chefe da OMS afirma que “não há evidências” das vacinas COVID-19 impeça a transmissão viral... então, para que servem?

A Organização Mundial da Saúde recentemente foi pega tentando encobrir o governo chinês em termos de ajudar Pequim a encobrir sua responsabilidade pelo Covid-19 e a resultante "pandemia" global que o vírus causou. Na verdade, o acobertamento foi tão flagrante que o presidente Donald Trump deu o passo extraordinário de cortar laços do seu governo com a OMS, sendo ela agora tendo como seu maior financiador, o eugenista globalista pró-vacina, Bill Gates.

Durante uma coletiva de imprensa virtual no início desta semana, a cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan, parece ter deixado escapar o obvio para muitos, ela foi específica em dizer: “Não acredito que tenhamos evidências sobre qualquer uma das vacinas para ter certeza de que vai impedir que as pessoas contraiam a infecção e, igualmente, se capazes impedir a disseminação. ”

É importante ressaltar que se, todo o propósito por trás de uma vacina em primeiro lugar é curar - não apenas inocular as pessoas, mas também prevenir a disseminação da doença que a vacina visa atingir. Então, se elas não fazem realmente o que deveriam fazer, porque os governos, incluindo o nosso, estão gastando bilhões para fabricá-los e distribuí-los? Além disso, uma vacina leva no mínimo uns 10 anos para se ter certeza dos seus efeitos adversos de longo prazo e sua eficácia. Efeitos dessas vacinas Covid-19 a longo prazo são desconhecidos, pois, foram "testadas" em menos de um ano. Recomendado: EMERGÊNCIA: vacinas COVID-19 contêm epítopos inseguros que causarão doenças auto-imunes

Conforme alertamos que as empresas de vacinas estão isentas de quaisquer responsabilidades por danos causados por suas vacinas, um comentário semelhante foi dito no vídeo logo abaixo, um usuário dizendo o seguinte: Impacto? Eles não divulgaram quais são os atuais efeitos médicos de longo prazo que as vacinas terão. E não podem porque não têm os dados de 5 a 10 anos para fazer backup. A maioria dos governos indenizou os produtores de vacinas, o que significa que, se houver problemas, os países pagam.

“Não acredito que tenhamos evidências sobre qualquer uma das vacinas para ter certeza de que vai impedir que as pessoas contraiam a infecção e, portanto, sejam capazes de transmiti-la”, disse o cientista-chefe da OMS

Conforme observado por Zero Hedge , “uma análise detalhada da pesquisa divulgada pela Pfizer e Moderna mostra que os estudos não testaram se as vacinas realmente previnem a transmissão do vírus; o objetivo dos ensaios era verificar se os pacientes vacinados apresentavam sintomas de COVID em uma taxa substancialmente menos frequente do que os indivíduos que não haviam sido vacinados. É basicamente isso. ”

Embora os dados disponíveis possam sugerir que as vacinas irão reduzir as taxas de transmissão, aparentemente os cientistas (e os fabricantes de vacinas) ainda não têm essa informação.

No entanto, esses dados parecem extremamente importantes, considerando o objetivo por trás da vacinação em massa.

E tem mais: as vacinas podem na verdade já estar matando pessoas.

A mídia israelense noticiou esta semana que um homem de 75 anos de Beit Shean morreu após receber sua primeira vacina da Pfizer (duas são necessárias para 'imunidade total'). Naturalmente, de acordo com o ministério da saúde do país, os israelenses e o resto do mundo estão sendo informados de que a vacina, como sempre irão negar até o fim que, não teve absolutamente nada a ver com a morte (no entanto, as pessoas que morrem de doenças cardíacas ou pulmonares e são COVID-19 positivas são contadas como 'mortes de COVID' ).

O homem recebeu a vacina às 8h30 da manhã e esperou o horário habitual no posto de saúde antes de receber alta em casa sentindo-se bem.

Algum tempo depois, o homem perdeu a consciência e mais tarde foi confirmado como morto por insuficiência cardíaca.

A insuficiência cardíaca, embora positiva com coronavírus, é causada por COVID; insuficiência cardíaca e morte após a vacinação contra COVID é ... devido a “insuficiência cardíaca”. Entendi?

Enquanto isso, autoridades de saúde na Suíça disseram que uma pessoa do cantão suíço de Lucerna também morreu depois de ser uma das primeiras do país a receber a vacina.

“Estamos cientes do caso”, disse um porta-voz, observando ainda que o caso foi encaminhado à agência reguladora de medicamentos do país, a Swissmedic.

Mais uma coisa, todo o dinheiro do mundo é pouco para admitir os fatos: uma enfermeira do pronto-socorro de San Diego ficou doente com COVID esta semana depois de ser vacinada , embora, novamente, os 'especialistas' estejam dizendo a todos que as vacinas são supereficazes e que não há nada com que se preocupar.
Continue lendo após publicidade
Continue lendo após publicidade

Compartilhe :Cientista-chefe da OMS afirma que “não há evidências” das vacinas COVID-19 impeça a transmissão viral... então, para que servem?

MARCADORES [Coletividade Evolutiva] Coronavírus | Covid-19 | descobrindo | Governo | Notícias alternativas | saúde | Sociedade | Vacina | Vacinação


Autor: Fabio Allves
Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar.