Máscaras não protegem contra coronavírus, revela novo estudo

Pandemias - Máscaras não protegem contra coronavírus, revela novo estudo

Compartilhe
Máscaras não protegem contra coronavírus, revela novo estudo

Houve extensos estudos randomizados controlados e análises de meta-análises de estudos que mostram que máscaras e respiradores não funcionam para prevenir doenças respiratórias semelhantes à influenza ou doenças respiratórias que se acredita serem transmitidas por gotículas e partículas de aerossóis como é o caso do novo coronavírus Covid-19.

Apesar das centenas de evidências comprovarem que máscaras não protegem contra o suposto Coronavírus Covid-19 a grande mídia e as autoridades continuam erroneamente a forçar máscaras em populações inteiras. Em vez de ensinar as populações a fortalecerem o sistema imune, tomando mais vitaminas e minerais, vitamina D, vitamina C, e antivirais comprovadamente, útil, como a hidroxicloroquina,  ar puro, entre outas atividades ao ar livre para se protegerem, as autoridades forçam medidas ridículas, não se protege de vírus lavando mãos e uso de máscaras e aprisionando as pessoas em suas casas, deixando de lado o essencial, fortalecer a imunidade.

 Afinal o que nos protege das doenças e patógenos  é o sisteme imune, para isso as vacinas são projetadas, justamente para fortalecer o sistema imune criando o chamado anticorpos levando o tal a dar uma resposta contra a doença, que no caso de vacina, afeta apenas o vírus especifico, já o sistema imune fortalecido de forma natural busca remover todos os tipos de doenças.

As máscaras não funcionam revela estudo


Agora, uma nova pesquisa nos traz a luz de mais evidências desse fato. Cientistas dinamarqueses finalmente encontraram um jornal corajoso o suficiente para publicar uma nova pesquisa que compilaram para mostrar que o uso de máscara não tem efeito de proteção contra o coronavírus Covid-19).

Ao contrário de algumas autoridades de saúde, como o Anthony Fauci, chefe do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA, e outros, que afirmam que usar uma máscara é a maneira mais eficaz de evitar a infecção, especialistas do outro lado da agenda globalista descobriram que cobrir a boca e o nariz não faz praticamente nada para proteger uma pessoa contra a novo vírus, pelo contrário, pode na verdade, causar certos problemas na boca.

O Estudo Publicado no Annals of Internal Medicine , analisou 4.862 participantes, metade dos quais foram instruídos a usar uma máscara em público. A outra metade foi instruída a viver suas vidas normalmente, respirando ar fresco.

O teste de anticorpos realizado posteriormente na pesquisa revelou que 42 dos participantes que usavam máscara apresentaram resultados positivos em comparação com 53 daqueles que não usavam máscara. Os outros 4.767 participantes tiveram resultados negativos, independentemente de usarem ou não máscara.

Como a taxa de positividade entre usuários e não usuários de máscara era aproximadamente igual a 1,8 por cento e 2,1 por cento, respectivamente, os pesquisadores concluíram que a diferença era estatisticamente insignificante - o que significa que as máscaras não podem ser cientificamente comprovadas para proteger contra o vírus.

“Nosso estudo dá uma indicação de quanto você ganha usando uma máscara”, afirmou o autor principal, Dr. Henning Bundgaard. "Não muito."

Dra. Christine Laine, editora-chefe dos Annals of Internal Medicine , acrescentou um pouco mais de variação às descobertas, sugerindo que as máscaras “não são uma bala mágica”.

Os Centros para Controle e Prevenção de Doenças CDC dos EUA em seu site também explica que a eficácia "no mundo real" das máscaras não foi cientificamente comprovada, já que qualquer pesquisa associada está atualmente "limitada a estudos observacionais e epidemiológicos".

O próprio CDC declara que as máscaras não são eficazes na prevenção da transmissão de vírus


Agora que essas evidências estão surgindo para o público, a grande mídia está lutando para apresentar uma resposta.

O New York Times , por exemplo, afirma que a conclusão do estudo “vai contra outras pesquisas que sugerem que as máscaras protegem o usuário”, embora tal pesquisa não tenha sido delineada.

O Times passou a apresentar declarações feitas pelo CDC em seu último boletim afirmando que as máscaras de pano podem - com ênfase na palavra pode - ajudar a proteger o usuário. Se eles têm ou não certeza, ainda não foi estabelecido.

Desesperado para manter a narrativa pró-máscara, o Times passou a apresentar várias hipóteses que poderiam potencialmente negar a validade dessas últimas descobertas, como os participantes não usarem suas máscaras corretamente.

No entanto, a revista Emerging Infectious Diseases , que por acaso foi publicada pelo CDC, incluiu um estudo próprio na edição de maio de 2020 que discorda do Times e, na verdade, valida esta última pesquisa da Dinamarca.

No resumo desse estudo, os cientistas explicam que após uma revisão de várias medidas de proteção pessoal não farmacêuticas e medidas de higiene ambiental empregadas em vários ambientes não relacionados à saúde, foi determinado que as máscaras “não protegem um efeito substancial na transmissão de gripe."

“Da mesma forma, encontramos evidências limitadas sobre a eficácia da melhoria da higiene e da limpeza ambiental”, acrescenta o jornal.

Em outras palavras, praticamente tudo o que as “autoridades” agora estão dizendo às pessoas para fazer, desde lavar abundantemente as mãos até usar uma máscara o tempo todo e usar constantemente um desinfetante para as mãos, é comprovadamente inútil no que diz respeito à ciência atual.

“Máscaras médicas descartáveis ​​(também conhecidas como máscaras cirúrgicas) são dispositivos folgados que foram projetados para serem usados ​​por equipes médicas para proteger contra contaminação acidental de feridas de pacientes e para proteger o usuário contra respingos ou respingos de fluidos corporais”, o artigo concluído.

“Nossa revisão sistemática não encontrou nenhum efeito significativo das máscaras na transmissão da influenza confirmada por laboratório.”

Precisamos do seu apoio para continuar nosso jornalismo baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado Profundo que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Por favor, considere apoiar o nosso site.Fazer uma doação agora!
Mais sobre Pandemias
Compartilhe
Continue lendo após publicidade
Continue lendo após publicidade
Coletividade Evolutiva é uma mídia independente e alternativa, sem financiamento ou apoio por donos bilionários, políticos ou acionistas. Se gostou que acabou de ler, mostre seu apoio curtindo ou seguindo nas redes sociais, ou inscrevendo-se por E-mail para receber as últimas notícias. Siga.
Instagram | Facebook |Twitter |Telegram |>>NOS POIE

Fabio Allves

Fabio Allves
Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar. | Telegram