Estudo: Deficiência de vitamina D aumenta risco de infecção por coronavírus

Compartilhar - estamos no |Telegram
Estudo: Deficiência de vitamina D aumenta risco de infecção por coronavírus

Os números de pessoas infectadas e mortas por coronavírus covid-19 só aumentam, no entanto, estamos vendo médicos e enfermeiros, comentando que não há ninguém nos hospitais doentes por coronavírus, inclusive doentes por outras causas. Alguns, na internet afirmam que a quarentena no Brasil, é o real fator de mortalidade, e não é por coronavírus em si, apesar de o coronavírus ser uma realidade em muitos aspectos, no entanto, segundo eles, todos que sofrem qualquer condição pre existente de alguma doença, é alegado como coronavírus. Essas opiniões de alguma forma fazem sentido, logo que, confinamento residencial, leva a deficiência de ar puro, e luz solar natural (vitamina D), e até mesmo a falta do simples exercício diário de caminhar, o que pode elevar o risco de infecção por coronavírus, e consequentemente a condições de saúde muito propícias a novas doenças, e por medo de coronavírus, não ir até um hospital para ser atendido pode ser fatal.


Conforme confirma um estudo, pessoas que sofrem de deficiência de vitamina D têm maior risco de contrair uma infecção fatal por coronavírus. A luz solar natural, e o melhor meio de obter vitamina D natural, tomar sol entre 12.00 hrs a 14.00 hrs, de 15 a 20 minutos por dia é essencial para manter os níveis de vitamina D suficiente. Uma equipe de pesquisa da Northwestern University conduziu uma análise estatística de dados coletados de hospitais e clínicas em diferentes países, como China, França, Alemanha, Itália, Irã, Coréia do Sul, Espanha, Suíça, Reino Unido e Estados Unidos.



Vadim Backman, um professor de engenharia biomédica na Universidade Northwestern de McCormick Escola de Engenharia e Ciência Aplicada , que liderou a equipe de pesquisa, disse que eles foram inspirados para examinar os níveis de vitamina D, depois de perceber diferenças inexplicáveis no COVID-19 taxas de mortalidade de país para país.

De acordo com Vadim Backman, embora alguns tenham levantado a hipótese de que fatores como diferenças na qualidade dos cuidados de saúde, distribuição de idades na população e taxas de testes possam ser responsáveis, sua equipe não ficou convencida.

"Nenhum desses fatores parece desempenhar um papel significativo", disse Vadim Backman, que também é diretor do Centro de Genômica Física e Engenharia da Northwestern . Ele ressaltou que o sistema de saúde da Itália é um dos melhores do mundo e que existem diferenças nas taxas de mortalidade nas mesmas faixas etárias, bem como em países com taxas de teste semelhantes.

Foi quando os pesquisadores analisaram atentamente os dados de pacientes oriundos de países com altas taxas de mortalidade por COVID-19, como Itália, Espanha e Reino Unido, que observaram um denominador comum: eles geralmente tinham níveis mais baixos de vitamina D em comparação com pacientes de países que tiveram taxas de mortalidade significativamente mais baixas.

Além disso, após um exame mais aprofundado dos dados dos pacientes, os pesquisadores descobriram uma ligação entre os baixos níveis de vitamina D e as "tempestades de citocinas", uma condição hiperinflamatória causada por um sistema imunológico hiperativo.

"As tempestades de citocinas podem danificar gravemente os pulmões e levar à síndrome do desconforto respiratório agudo e à morte em pacientes", afirmou Ali Daneshkhah, pesquisador de pós-doutorado da McCormick School of Engineering da Northwestern.

Segundo 
Ali Daneshkhah, essa tempestade de citocinas é o que parece matar a maioria dos pacientes com COVID-19, e não a destruição dos pulmões pelo próprio vírus, como se acreditava anteriormente.

"São as complicações do incêndio mal direcionado do sistema imunológico", afirmou 
Ali Daneshkhah, o primeiro autor do estudo.

É exatamente aqui que a vitamina D - um nutriente essencial, muitas vezes chamado de" vitamina do sol", porque é produzida pelo organismo como uma resposta à exposição ao sol - desempenha um papel importante.

Segundo 
Vadim Backman, a vitamina D não apenas melhora o sistema imunológico, mas também o impede de se tornar hiperativo, acrescentando que ter níveis saudáveis ​​de vitamina D poderia proteger os pacientes contra as complicações mais graves do COVID-19 - incluindo a morte.

Apesar de suas descobertas, a equipe de pesquisa não recomenda o armazenamento imediato de suplementos de vitamina D no mercado - nem mesmo para aqueles que estão em risco de deficiência.

"Embora eu ache importante que as pessoas saibam que a deficiência de vitamina D pode desempenhar um papel na mortalidade, não precisamos pressionar a vitamina D em todos", disse 
Vadim Backman, observando que os resultados de suas pesquisas ainda precisam ser estudados. mais minuciosamente.

Isso precisa de mais estudos , e espero que nosso trabalho estimule o interesse nessa área. Os dados também podem iluminar o mecanismo da mortalidade, que, se comprovado, pode levar a novos alvos terapêuticos”, disse 
Vadim Backman.

"É difícil dizer qual dose é mais benéfica para o COVID-19", acrescentou. “No entanto, é claro que a deficiência de vitamina D é prejudicial e pode ser facilmente tratada com suplementação adequada. Isso pode ser outra chave para ajudar a proteger populações vulneráveis, como pacientes afro-americanos e idosos, que têm uma prevalência de deficiência de vitamina D. ”

As fontes incluem:

Continue lendo após a publicidade
Continue lendo após a publicidade
Estar havendo uma extrema censura por parte dos gigantes da tecnologia. Por isso, incentivamos que todos que desejam receber nosso conteúdo valioso , a se inscreverem na nossa lista de e-mail. - Depois de se increver acesse sua caixa de entrada ou de spam para confirmar sua inscrição.
Se conecte com nós nas redes | Instagram | Facebook |Twitter |Telegram

Compartilhar

Fabio Allves

Fabio Allves
Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar. | Telegram