A nova vacina contra o covid-19 causará efeitos colaterais permanentes?

Compartilhar - estamos no |Telegram

Existem soluções naturais que podem combater varias doenças, uma delas está o uso de vitamina C intravenosa, que pode prevenir contra doenças infecciosas como gripes, resfriados e coronavírus covid-19, e isso está sendo claramente suprimido por organizações que buscam favorecer os interesses da indústria de vacinas, e de financiadores como Bill Gates, quem tem sua fala bem clara, que a melhor forma de reduzir a população global, seria com vacinas. No entanto, o mundo parece ter esquecido da medicina original, aquela onde hoje se chama de medicina alternativa, que se tratava pacientes com sucesso, usando evas, vitaminas e outras terapias naturais. 

O mundo está com muito medo do covid-19, e por essa razão, muitos estão desesperados, esperando a solução das autoridades de saúde, na esperança de uma vacina "milagrosa" contra covid-19 o mais rápido possível. Porém, já vimos essa historia antes com a pandemia da gripe suína H1N1 em julho de 2009 a agosto de 2010, que rapidamente surgiu uma vacina "solucionadora" na época, que acabou demonstrando ainda mais terrível que a própria gripe suína H1N1 em si, porque causou efeitos colaterais horríveis permanentes. 

Estamos vivendo uma mesma situação parecida, mas ainda pior que o da gripe suiná H1N1,― com essa pandemia do novo coronavírus (Covid-19), as autoridades de saúde estão prometendo uma vacina que mais do que provavelmente virão com efeitos adversos prejudiciais semelhantes na população global. Vacinas estão sendo testadas em formas absurdamente rápidas, no qual não se sabe com certeza dos seus efeitos no corpo humano a médio e longo prazo. Uma vacina para ser criada devidamente testada sua seguridade, leva-se no mínimo uns 10 a 15 anos, no entanto, estão criando contra o coronavírus menos de 1 ou 2 anos, é bem provável que até 2021 já lancem a vacina no mercado, sem quaisquer dados sólidos, mas sim dados superficiais de testes.


De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 70 candidatas a vacina contra coronavírus estão sendo desenvolvidas , com três já em avaliação clínica.

Conforme ressalta o pediatra David Greenberg, vice-presidente científico e médico-chefe do laboratório Sanofi Pasteur nos Estados Unidos

Em geral, é um caminho longo e complicado que leva muito tempo. São de dez a 15 anos para desenvolver uma nova solução para uma doença infecciosa. É preciso primeiro saber a causa da doença, estudar a fundo o vírus ou a bactéria, entender a reação do organismo… Quando temos todas essas informações, começamos a trabalhar na vacina em si. Isso vai tomar mais alguns anos até chegar aos ensaios clínicos. Nessas últimas etapas, precisamos ter contato direto com as agências regulatórias para conduzir os estudos finais e obter, depois, a liberação do produto.

Devido o pânico do coronavírus covid-19 pessoas podem se entregar a vacina não devidamente testada a longo prazo


Uma pesquisa de 2018 da Wellcome Trust sobre atitudes em relação às vacinas em todo o mundo constatou que oito em cada 10 pessoas (79%) concordam certa ou fortemente que as vacinas são seguras, enquanto 7% discordam certa ou fortemente. Os números variam em todo o mundo, com 72% na América do Norte e 73% no norte da Europa concordando que as vacinas são seguras, mas apenas 59% na Europa Ocidental e 40% na Europa Oriental.

A escala e a gravidade da crise global de coronavírus podem, no entanto, estar corroendo a resistência à vacina. Uma pesquisa recente da VCP no país mais avesso à imunização do mundo, a França, onde 33% não vêem as vacinas como seguras, descobriu que apenas 18% dos entrevistados recusariam uma vacina contra o coronavírus.


"Os extremistas, os grupos baseados em crenças que rejeitam a vacinação por princípio, cujo objetivo é interromper e polarizar, não estão mudando, na verdade estão capitalizando", disse Heidi Larson, diretora do Vaccine Confidence Project, com sede em Londres. (VCP).

Algumas personalidades de destaque com grandes seguidores nas mídias sociais também expressaram ceticismo. Novak Djokovic, o tenista número 1 do mundo, sugeriu no Facebook que sua oposição às vacinas poderia impedir seu retorno ao esporte, dizendo que "não gostaria de ser forçado por alguém a tomar uma vacina" para viajar.

A franca rapper britânica MIA também recebeu críticas generalizadas por twittar: "Se eu tiver que escolher a vacina ou chip, vou escolher a morte", enquanto a atriz australiana Isabel Lucas foi deixada de embaixadora de uma instituição de caridade para meninas depois de dizer que não o fez. “Confie no caminho da vacinação”.

Del Bigtree, produtor do Vaxxed (Vacina), o “documentário” de 2016 escrito por Wakefield, reuniu uma apresentação de uma hora - ainda disponível no Facebook e no YouTube - que argumenta que o Covid-19 é uma instalação da indústria farmacêutica para enriquecer em si.

Robert Kennedy Jr, filho do líder democrata assassinado, acusou Bill Gates e as principais autoridades de saúde pública no Twitter de conspirar para produzir uma vacina com "perigos únicos e assustadores".

Scott Ratzan, da escola de saúde pública da Universidade da Cidade de Nova York, disse estar alarmado com os resultados de uma pesquisa na cidade de Nova York que mostra que apenas 53% dos residentes certamente tomarão uma vacina contra o coronavírus e 29% se recusarão.

"E se um grande número de pessoas decidir não vacinar a si ou a seus filhos?" Ratzan disse . “Neste momento, apenas metade dos nova-iorquinos nos diz que farão isso. Se for esse o caso, não poderemos proteger nossa comunidade contra uma nova onda. ”
Continue lendo após a publicidade
Continue lendo após a publicidade
Estar havendo uma extrema censura por parte dos gigantes da tecnologia. Por isso, incentivamos que todos que desejam receber nosso conteúdo valioso , a se inscreverem na nossa lista de e-mail. - Depois de se increver acesse sua caixa de entrada ou de spam para confirmar sua inscrição.
Se conecte com nós nas redes | Instagram | Facebook |Twitter |Telegram

Compartilhar

Fabio Allves

Fabio Allves
Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar. | Telegram