O despertar e o colapso: O Despertar dos povos contra o sistema globalista - documentário

Ao longo do documentário, exploramos as várias maneiras pelas quais os globalistas têm influenciado o sistema de controle mundial.


O despertar e o colapso: O Despertar dos povos contra o sistema globalista

As pessoas são mantidas num estado constante de medo, terror e ignorância perpétua, de modo que os poucos que controlam os muitos podem viver suas vidas ao máximo. Usando ferramentas como educação, vigilância, direito e os principais meios de comunicação, os globalistas ou conhecidos como os Illuminati, é capaz de manter a população do mundo em uma teia inescapável de controle.

No entanto, nos últimos anos, temos observado um crescente movimento de conscientização global, onde povos de diversas nações estão se unindo contra o sistema global controlado por uma elite globalista. Este despertar coletivo também levanta preocupações profundas sobre o impacto que esses poucos poderosos têm sobre a economia global, o fornecimento de alimentos e a estrutura financeira do mundo.

Uma das áreas mais críticas e alarme é o controle que os bilionários globalistas possuem sobre a indústria alimentícia. Empresas gigantes do setor, muitas delas lideradas por esses magnatas, controlam uma grande parcela da produção e distribuição de alimentos ao redor do mundo. Se essas empresas decidissem implementar tecnologia vacinal de mRNA nos alimentos ou interromper, ou restringir o fornecimento de alimentos, isso poderia desencadear uma crise global sem precedentes.

A dependência de poucos conglomerados para algo tão essencial como o alimento coloca a população mundial em uma posição vulnerável. Uma interrupção no fornecimento pode levar a escassez, fome e, consequentemente, ao caos social. Esse cenário é particularmente alarmante quando se considera que o controle sobre os alimentos pode ser utilizado como uma ferramenta de manipulação e dominação.

Quando publiquei sobre o Rio Grande do Sul estar sendo alvo de tecnologias avançadas de modificação climática, não foi um alarme infundado. O que estamos testemunhando no sul do Brasil é parte de um fenômeno mais amplo, uma guerra climática global que ameaça a humanidade. Estamos vendo diversas regiões ao redor do mundo sofrendo ataques deliberados através de manipulação climática, com impactos devastadores na agricultura, economia e estabilidade social.

Estão mirando o agronegócio brasileiro por que é uma das maiores forças econômicas do país e um dos pilares fundamentais para a segurança alimentar global. O Brasil é um dos maiores produtores e exportadores de alimentos do mundo, contribuindo significativamente para o abastecimento mundial de soja, milho, carne bovina, açúcar, café, e muitos outros produtos agrícolas.

Assista e entenda o sistema global que vivemos:


O Controle Globalista e o Grande Reset Global


Estratégias para Enfraquecer o Agronegócio Brasileiro

Há várias maneiras pelas quais os globalistas poderiam estar tentando enfraquecer o agronegócio brasileiro:

Pressões Regulatórias e Comerciais: Organizações internacionais e países com interesses globalistas têm exercido pressões sobre o Brasil para adotar regulamentações ambientais e comerciais que poderiam restringir a produção agrícola. Essas medidas são muitas vezes justificadas sob o pretexto de proteção ambiental, mas podem ser vistas como tentativas de reduzir a competitividade do agronegócio brasileiro no mercado global.

Campanhas de Desinformação: Utilizando a mídia global e campanhas de desinformação, há uma tentativa de manchar a imagem do agronegócio brasileiro. Atribuir desmatamento ilegal, más práticas ambientais e questões trabalhistas ao setor são estratégias para desacreditar e isolar o Brasil economicamente.

Sanções Econômicas e Tarifas: A imposição de sanções econômicas e tarifas sobre produtos agrícolas brasileiros por parte de nações influentes pode ser uma ferramenta para dificultar as exportações e reduzir a participação do Brasil nos mercados internacionais.

Fomento a Competição Internacional: Promover e subsidiar agressivamente a agricultura em outras partes do mundo para competir diretamente com o Brasil também pode ser uma tática. Países com forte influência globalista podem incentivar a produção agrícola interna ou em países aliados para diminuir a dependência dos produtos brasileiros.

Manipulação Climática como Ferramenta de Desestabilização


Outra preocupação crescente é a manipulação climática, os globalistas estão utilizando tecnologia para influenciar padrões climáticos com o intuito de desestabilizar nações dependentes da agricultura e sistemas de grandes cidades de nações. Essa manipulação climática pode incluir:

Modificação do Tempo e Clima: Através de tecnologias como a geoengenharia, HAARP, estamos vendo os padrões de chuva, secas prolongadas, ou tempestades severas em regiões específicas em todo o mundo. Tais mudanças podem devastar colheitas, reduzir a produtividade agrícola e, eventualmente, colapsar economias dependentes do agronegócio.

Indução de Desastres Naturais: Certas tecnologias de manipulação climática estão sendo utilizadas sob o manto de Mudanças Climáticas, para induzir tempestades extremas, secas, terremotos, tsunamis ou furacões, destruindo infraestruturas agrícolas e causando perdas maciças de colheitas e animais.

Aquecimento Global e Mudanças Climáticas: A promoção de narrativas de mudanças climáticas catastróficas sem medidas eficazes para mitigação pode ser vista como uma forma de manter países em desenvolvimento como o Brasil em constante estado de crise e insegurança alimentar.

Impacto e Resposta


Se essas estratégias forem eficazes, o impacto sobre o Brasil e o mundo seria profundo:

  • Insegurança Alimentar Global: Com o colapso do agronegócio brasileiro, a segurança alimentar global estaria em risco, levando a aumentos drásticos nos preços dos alimentos e escassez generalizada.
  • Crise Econômica e Social: A economia brasileira sofreria imensamente, resultando em desemprego em massa, crises sociais e potencial instabilidade política.
  • Dependência Externa: Nações ao redor do mundo poderiam tornar-se mais dependentes dos países que controlam a produção e distribuição de alimentos, aumentando o poder e a influência dos globalistas.

Conscientizar a população e promover transparência em questões ambientais e agrícolas também são passos cruciais para resistir a essas tentativas de controle e garantir a soberania alimentar e econômica do Brasil e do mundo. Essas são apenas algumas das muitas que estão acontecendo sutilmente.
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Suplemento Multivitamínico

Este site usa cookies e outros serviços para melhorar sua experiência. Ao usar nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade e Termos.