Rio Grande do Sul sob ataque: HAARP, armas eletromagnéticas e feixes de luzes estranhas no céu do RS - Veja

Guerra Climática: HAARP, Armas Eletromagnéticas e Feixes de Luzes no Céu do Rio Grande do Sul São Filmadas por Moradores


Rio Grande do Sul sob ataque: HAARP, armas eletromagnéticas e feixes de luzes estranhas no céu do Rio Grande do Sul - Veja

Desde sua criação em 1988 pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente e pela Organização Meteorológica Mundial da ONU, o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) tem sido uma fonte crucial de manipulação de dados e análises sobre mudanças climáticas. Vamos explorar o que está acontecendo no Rio Grande do Sul e sobre os programas globais de modificação climática e suas aplicações globais...

O IPCC mantém silêncio sobre aplicações militares de modificação do clima como arma de guerra geofísica, que continuam a impactar eventos climáticos extremos. Esses eventos, frequentemente atribuídos às mudanças climáticas, podem, na verdade, ser influenciados por programas governamentais destinados a modificar o clima, induzir terremotos, secas, chuvas e até tsunamis.

Os programas globais de modificação climática do tipo geoengenharia e o HAARP (High Frequency Active Auroral Research Program)/ (Programa de pesquisa Auroral ativo de alta frequência): um programa de defesa militar dos EUA desenvolvido para supostamente estudar a ionosfera, a camada superior da atmosfera que varia de cerca de 50 km a 1.000 km acima da Terra. 

O HAARP está localizado em Gakona, Alasca. Mas existem outros em vários pontos do planeta, Rússia e China também possui essa tecnologia. Aqui estão alguns detalhes técnicos sobre o campo de antenas do HAARP:

  • Número de Antenas: O campo de antenas do HAARP possui um total de 180 antenas.
  • Altura das Antenas: Cada uma dessas antenas tem aproximadamente 22 metros de altura. Essas antenas trabalham em conjunto para enviar sinais de alta frequência para a ionosfera (qualquer ponto específico do planeta que direcioná-la), a fim de supostamente estudá-la e conduzir experimentos científicos.
  • Os experimentos são feitos utilizando 180 antenas dispostas em 33 hectares — cerca de 33 campos de futebol — no Alasca. 


A instalação está localizada no Alasca e utiliza frequências eletromagnéticas para excitar temporariamente áreas limitadas da ionosfera (Algo como um aquecedor/ tipo um micro-ondas doméstico). Segundo o site oficial do HAARP, o objetivo é compreender melhor essa camada e usá-la para melhorar as comunicações e os sistemas de vigilância, tanto para fins civis quanto de defesa.

No entanto, não são apenas os "teóricos da conspiração" que estão preocupados com o HAARP. Em Janeiro de 1999, conforme o documentário televisível CBC, a União Europeia classificou o projeto como uma preocupação global e aprovou uma resolução pedindo mais informações sobre seus riscos à saúde e ao meio ambiente. 

Para assistir a este envolvente documentário de 15 minutos da CBC online, clique aqui.- Ative legendas...

Um documento da União Europeia (UE) que coloca em questão o HAARP e armas eletromagnéticas similares, (Aqui )  (Veja outro aqui ) - afirmava no ponto 24 deste documento que a UE "considera o HAARP, em virtude de seu impacto de longo alcance no meio ambiente, uma preocupação global e pede que suas implicações legais, ecológicas e éticas sejam examinadas por um organismo internacional independente antes de qualquer pesquisa e teste adicionais". 

Este documento revelador afirma ainda que a UE lamenta a recusa reiterada do governo dos EUA em enviar alguém para depor sobre o HAARP. Para um documentário ainda mais detalhado e revelador de 45 minutos do History Channel sobre HAARP e outras armas secretas usadas para guerra eletromagnética, clique aqui. Abaixo estão duas citações do documentário do History Channel:

"As armas eletromagnéticas (...) Um embalo invisível centenas de vezes mais potente do que a corrente elétrica em um raio. Um pode explodir mísseis inimigos do céu, outro pode ser usado para cegar soldados no campo de batalha, outro ainda para controlar uma multidão indisciplinada queimando a superfície de sua pele. Se detonada sobre uma grande cidade, uma arma eletromagnética poderia destruir todos os eletrônicos em segundos. Todos eles usam energia direcionada para criar um poderoso pulso eletromagnético."

"A energia direcionada é uma tecnologia tão poderosa que poderia ser usada para aquecer a ionosfera para transformar o clima em uma arma de guerra. Imagine usar uma enchente para destruir uma cidade ou tornados para dizimar um exército que se aproxima no deserto. Os militares gastaram uma enorme quantidade de tempo na modificação do clima como um conceito para ambientes de batalha. Se um pulso eletromagnético disparasse sobre uma cidade, basicamente todas as coisas eletrônicas em sua casa piscariam e se apagariam, e seriam permanentemente destruídas."

Apesar dessas preocupações, funcionários do HAARP insistem que o projeto não é nada mais sinistro do que uma instalação de pesquisa científica de rádio. No entanto, a controvérsia em torno do HAARP (High Frequency Active Auroral Research Program) persiste, alimentada por alegações de capacidades ocultas e implicações geopolíticas significativas.

No entanto, Além disso, a Força Aérea dos EUA se referiu a "possuir o clima para uso militar".

A modificação do clima se tornará parte da segurança doméstica e internacional e poderá ser feita unilateralmente... Pode ter aplicações ofensivas e defensivas e até ser usado para fins de dissuasão. A capacidade de gerar precipitação, nevoeiro e tempestades na Terra ou de modificar o clima espacial, ... e a produção de clima artificial fazem parte de um conjunto integrado de tecnologias que podem proporcionar um aumento substancial da capacidade de um adversário para alcançar consciência, alcance e poder globais. (Força Aérea dos EUA, grifo nosso. Universidade Aérea da Força Aérea dos EUA, Relatório Final AF 2025,

 

Estranhas Luzes no Céu: O Rio Grande do Sul Está Sob Ataque?

No caso do Rio Grande do Sul, parece que estamos sob um ataque orquestrado em que se enfrenta uma série de eventos climáticos extremos e calamidades que têm levantado preocupações sobre possíveis intenções globais subjacentes. 

O aumento de eventos climáticos extremos no Rio Grande do Sul, juntamente com os relatos de luzes estranhas, sugere a possibilidade de que a região esteja sendo alvo de experimentos ou intervenções deliberadas de ataque climático induzido. A destruição de infraestruturas críticas, como a agrícola, poderia ter repercussões globais, afetando a segurança alimentar e econômica.

Relatos de feixes de luzes estranhas e incomuns no céu da região têm alimentado especulações sobre a modificação deliberada do clima e suas possíveis implicações. Esse cenário levanta questões sobre a derrubada da estrutura alimentar, o agronegócio, e a criação de uma nova forma de cidade resiliente e inteligente. A calamidade no Rio Grande do Sul levanta questões importantes sobre as causas subjacentes dos eventos climáticos extremos e suas possíveis conexões com programas de modificação do clima como o HAARP e a Geoengenharia global. 
Após as fortes chuvas extremas induzidas pelos programas global de manipulação climática:


O Programa de Modificação do Clima - Guerra Climática


Nos Estados Unidos, o programa de modificação do clima tem mais de 70 anos de história. Anúncios de serviço público na década de 1960 já alertavam sobre a intenção do governo de modificar o clima. Um dos programas mais controversos nessa área é o HAARP (High Frequency Active Auroral Research Program)/ (Programa de pesquisa Auroral ativo de alta frequência), um projeto de defesa militar dos EUA que tem sido alvo de inúmeras teorias e preocupações.

O HAARP é uma instalação de pesquisa científica de rádio que supostamente estuda as propriedades e o comportamento da ionosfera, com o objetivo de melhorar as comunicações e os sistemas de vigilância para fins civis e de defesa (Esse é o relato oficial, mas vai muito além...). No entanto, algumas pesquisas indicam que suas capacidades podem ir além desses objetivos oficiais. Pesquisadores como Dr. Michel Chossudovsky e Dr. Nick Begich alegam que o HAARP tem o potencial de modificar o clima, causar terremotos e tsunamis, e interromper sistemas de comunicação globais.
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Suplemento Multivitamínico

Este site usa cookies e outros serviços para melhorar sua experiência. Ao usar nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade e Termos.