Bill Gates admite que as injeções mRNA COVID contêm nanotecnologia

Vacinados Covid e "cargas úteis"; a tecnologia 5G ativará a carga e desencadeará um "apocalipse Zumbi"?

Vídeo dublado por IA
O debate em torno da segurança e eficácia das vacinas contra a COVID-19 tem sido intenso desde o início da pandemia. Uma série de informações tem circulado, levantando questões sobre os possíveis efeitos colaterais das vacinas, especialmente baseadas na tecnologia de mRNA produzidas pelo Pfizer e Moderna. Um dos pontos mais críticos é a possibilidade de os componentes das injeções, como os lipídios nanoparticulados (LNPs), se espalharem pelo corpo e causarem efeitos adversos ou morte.

É importante ressaltar, que uma das revelações mais alarmantes surgiu a partir de uma palestra do professor canadense de teologia Dr. Pierre Gilbert, em 1995, na qual ele alertou sobre uma vacina obrigatória contendo cristais líquidos que poderiam transformar os receptores da vacina em "zumbis" quando expostos a frequências magnéticas. Embora essa teoria possa parecer distante da realidade, uma pesquisa recente conduzida no Japão trouxe à tona novas preocupações.

estudo, conhecido como "Pfizer confidencial", revelou que os LNPs contendo mRNA da vacina Pfizer ou Moderna, circulam amplamente pelo corpo após a vacinação, atingindo órgãos como cérebro, baço, intestino grosso, coração, fígado, pulmões e outros. Essas descobertas levantam sérias questões sobre os possíveis impactos na saúde, especialmente relacionados à fertilidade e à reprodução.

Estudos da Universidade da Pensilvânia (UPenn) mostrou que as nanopartículas lipídicas, que transportam o mRNA da COVID-19 nas vacinas, causam inflamação dentro das células. Eles descobriram que todas as nanopartículas lipídicas testadas causam inflamação ao danificar componentes celulares chamados endossomas. Há alguns estudos que indicam síndromes hiperinflamatórias que ocorrem após a vacinação.

Essas injeções tecnológicas de plataformas de mRNA, é como um tipo de “sistema operacional” de computador, projetado para programar seres humanos, e transformar suas células em sistemas eficientes de entrega de "medicamentos" ou informações, como admitido no próprio site da empresa Moderna. Este sistema é uma manipulação celular usando moléculas biológicas estranhas para codificar, decodificar, regular, mudar a expressão e alterar as instruções fisiológicas dentro dos seres humanos. 

No início da vacinação experimental mRNA, milhares de pessoas ao redor do munto relataram em vídeos que objetos de metais (irmãs) estavam colando nos seus corpos - as deixando magnetizadas, antenas vivas, algo como receptores de eletromagnetismo ou algo que estaria sendo injetado nos seus corpos e sendo marcadas com esse experimento global de monitoramento e controle populacional mediante uma rede global, talvez através do 5G, veja isso :


Veja aqui uma pequena explicação simples do professor e Dr. Sucharit Bhakdi – mais de 40 anos de dedicação à Medicina - sobre as injeções de mRNA:


Em uma entrevista ao podcast "On Point", o Dr. Byram Bridle, professor associado de Imunologia Viral da Universidade de Guelph, expressou preocupações sobre os danos potenciais causados pela proteína spike presente nas vacinas. 

Ele explicou que a proteína spike, quando em circulação, pode causar danos ao sistema cardiovascular, coagulação sanguínea e até mesmo danos neurológicos. Além disso, ele destacou a possibilidade de acumulação nos ovários, levantando preocupações sobre a fertilidade.

Na entrevista. Dr. Bridle diz as seguintes coisas impressionantes. Lembre-se ao ler isto que o Dr. Bridle é 100% pró-vacina e não tem críticas sobre outras vacinas, mas a da Covid-19 ele está terrivelmente preocupado:

… A proteína spike, por si só, é quase inteiramente responsável pelos danos ao sistema cardiovascular. Se entrar em circulação, na verdade, se você injetar a proteína spike purificada no sangue de animais de pesquisa, eles causam todos os tipos de danos ao sistema cardiovascular e podem cruzar a barreira hematoencefálica e causar danos ao cérebro.

Eles encontraram a proteína de pico em circulação, ou seja, no sangue de 11 dos 13 profissionais de saúde que receberam a vacina. Isso significa que sabemos há muito tempo que a proteína do pico é uma proteína patogênica. É uma toxina. Ele pode causar danos em nosso corpo se entrar em circulação. 

Agora, temos evidências claras de que as vacinas que fazem nossos corpos ou músculos ou células em nossos músculos deltóides, fabricam essa proteína, não a vacina em si, mais a proteína entra na circulação sanguínea. Quando em circulação, a proteína spike pode se ligar aos receptores que estão em nossas plaquetas e às células que revestem nossos vasos sanguíneos. Quando isso acontece, ele pode fazer uma de duas coisas. Ele pode causar o acúmulo de plaquetas e levar à coagulação.

É exatamente por isso que temos visto distúrbios de coagulação associados a essas vacinas. Também pode causar sangramento. E, claro, o coração está envolvido, é uma parte fundamental do sistema cardiovascular. É por isso que estamos vendo problemas cardíacos. A proteína, também pode atravessar a barreira hematoencefálica e causar danos neurológicos. É por isso que também nos casos fatais de coágulos sanguíneos, muitas vezes é visto no cérebro.

Resumindo, a conclusão é que cometemos um grande erro . Não tínhamos percebido isso até agora. Vimos que a proteína spike era um ótimo antígeno-alvo. Nunca soubemos que a proteína spike, em si, era uma toxina e uma proteína patogênica. Assim, ao vacinar as pessoas, estamos inadvertidamente inoculando-as com uma toxina e, em algumas pessoas, isso entra em circulação. E quando isso acontece em algumas pessoas, pode causar danos, principalmente no sistema cardiovascular. Não tenho tempo, mas muitas outras questões legítimas sobre a segurança a longo prazo desta vacina. Por exemplo, com o acúmulo nos ovários, uma das minhas perguntas é: "vamos tornar os jovens inférteis, alguns deles inférteis?" Então, vou parar por aí.

Essas revelações levantam questões urgentes sobre a segurança das vacinas contra a COVID-19 e destacam a importância de uma análise cuidadosa dos potenciais riscos.

Bill Gates admite que as injeções mRNA COVID contêm nanotecnologia
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Sugestão de suplemento

Postar um comentário

0 Comentários

Fechar Menu