Experimento médico muito perigoso: CDC expande esquemas de vacinação para crianças, mulheres grávidas e a maioria dos adultos

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças publicaram seus calendários de vacinação de 2024, que incluem pelo menos 76 doses totais de 18 vacinas

Experimento médico muito perigoso: CDC expande esquemas de vacinação para crianças, mulheres grávidas e a maioria dos adultos

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) recentemente publicaram seus calendários de vacinação para 2024, aumentando significativamente o número de doses recomendadas para crianças, mulheres grávidas e adultos. 
Além disso, há críticas crescentes à priorização de vacinas pelo CDC em detrimento de preocupações mais amplas de saúde pública e sua suscetibilidade à influência farmacêutica. Fique em alerta, tudo que eles querem agora é injetar qualquer coisa em todo o mundo.

Infelizmente, nos últimos anos, o cronograma de injeção infantil se expandiu além de abordar as doenças que afetam mais comumente as crianças, como sarampo, caxumba e rubéola, para abranger doenças como vírus sincicial respiratório (VSR), COVID-19 e até hepatite. Este ano, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) propuseram novas adições ao calendário de imunização, levando a uma maior apreensão.

A escalada no número de doses administradas em intervalos espaçados durante a infância levantou preocupações significativas. Alguns grupos de defesa da infância estão agora questionando os motivos do CDC e as medidas de segurança envolvidas na recomendação dessas alterações no cronograma de vacinas.

O notável aumento de doses recomendadas nas últimas décadas é inconfundível. O cronograma atualizado agora inclui novas recomendações destinadas a combater as cepas do vírus recentemente identificadas. Alguns críticos podem afirmar que o termo vírus "recém-criados" poderia descrever com mais precisão esses patógenos emergentes.

Os críticos estão expressando preocupações sobre esse número crescente de injeções, com alguns rotulando-o de "um experimento médico perigoso". Eles argumentam que o CDC não submeteu todo o calendário de imunização infantil a testes completos de segurança ou eficácia.

Vários especialistas médicos criticam o calendário ampliado de vacinas, considerando-o desnecessário e prejudicial às crianças. 


O novo cronograma inclui pelo menos 76 doses totais de 18 vacinas para crianças de 0 a 18 anos, gerando críticas de especialistas devido à falta de testes de segurança e eficácia dessas vacinas.

A atualização do cronograma, divulgada em setembro do ano passado, acelerou os pagamentos de seguro para as vacinas recém-recomendadas, segundo a Academia Americana de Pediatria. No entanto, a falta de testes de segurança levantou preocupações entre especialistas, destacando a natureza arriscada desse "experimento médico".

Brian Hooker, Ph.D., diretor sênior de ciência e pesquisa da Children's Health Defense (CHD), apontou que o CDC nunca testou a eficácia ou a segurança do esquema de vacinação infantil como um todo. 

A Dra. Mary Kelly Sutton, médica integrativa, criticou o CDC por agir mais como promotor de vacinas do que como protetor da saúde pública, destacando a falta de evidências da eficácia das vacinas e a ausência de pesquisas oficialmente aceitas sobre seus potenciais efeitos adversos.

O novo cronograma inclui recomendações para prevenir COVID-19, vírus sincicial respiratório (VSR), gripe e doença pneumocócica. No entanto, muitos especialistas acreditam que a expansão desse programa de vacinação pode representar um risco significativo, especialmente devido à falta de testes rigorosos.

A Dra. Michelle Perro, pediatra e coautora de "O que está deixando nossas crianças doentes?", classificou o novo cronograma como ultrajante e desnecessário, alertando que ele pode prejudicar as crianças.

A equipe científica da CHD revisou cuidadosamente os novos cronogramas do CDC e determinou que crianças de 0 a 18 anos podem receber até 80 doses de 18 vacinas diferentes, dependendo da formulação e outros fatores. Essa quantidade representa um aumento significativo em comparação com as 11 doses de 7 vacinas recomendadas em 1983.

Entre as novas imunizações, destacam-se a vacinação contra o VSR com o medicamento Nirsevimab, a vacina pneumocócica conjugada 20-valente (PCV20) e atualizações para vacinas COVID-19 da Moderna e Pfizer/BioNTech de mRNA - as mais perigosas e mortais.

Em relação à responsabilidade, o cronograma do CDC afirma:

"O Programa Nacional de Compensação de Danos por Vacinas (VICP) é uma alternativa sem culpa ao sistema legal tradicional para resolver reivindicações de danos causados por vacinas. Todas as vacinas incluídas no calendário vacinal da criança e do adolescente são cobertas pelo VICP, exceto as vacinas contra dengue, PPSV23, VSR, Mpox e COVID-19. As vacinas Mpox e COVID-19 são cobertas pelo Programa de Compensação de Danos por Contramedidas (CICP)."

Até o momento, o CICP compensou apenas 11 reclamações de quase 13.000 registradas por lesões por vacinas COVID-19.

(Em dezembro, a Informed Consent Action Network, ou ICAN, anunciou seu apoio a uma ação judicial contra o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA para derrubar as proteções de imunidade e as disposições CICP da Lei PREP (Prontidão Pública e Preparação para Emergências), afirmando: "Eles violam os direitos constitucionais daqueles feridos ou mortos por uma vacina COVID-19.")

Especialistas, incluindo o Dr. Paul Thomas, autor de "The Vaccine-Friendly Plan," expressaram preocupações sobre a falta de dados de segurança, especialmente ao combinar várias vacinas no mesmo cronograma. Thomas destaca a ausência de estudos sobre os efeitos do cronograma completo de vacinação, associando o aumento no número de vacinas a um aumento nas doenças crônicas e problemas de neurodesenvolvimento em crianças.

O CDC também recomenda um mínimo de 80 doses totais de vacinas para adultos de 19 a 79 anos, excluindo as vacinas COVID-19. Isso inclui doses para hepatite B, tétano, difteria, coqueluche, varicela e influenza, entre outras.

Especialistas pedem uma abordagem mais cautelosa e baseada em evidências na implementação desses cronogramas de vacinação expandidos, destacando a importância de estudos de segurança abrangentes para garantir a saúde e o bem-estar da população. 
O debate sobre os riscos e benefícios dessas extensas campanhas de vacinação continua, enquanto a sociedade procura equilibrar a prevenção de doenças com a segurança dos indivíduos.


OBTENHA O SEU JÁ: Ômega 3 da Noruega Ultra Concentrado Certificado IFOS (90 cápsulas) - obtenha o seu hoje! - A saúde do cérebro, dos olhos e do sistema cardiovascular; Reduzir inflamações, coagulação do sangue, colesterol ruim e triglicerídeos; Aumentar o colesterol bom, a disposição, a imunidade e o bem estar; Auxiliar na cognição, na memória, no desenvolvimento muscular e no emagrecimento; Prevenir e reduzir sintomas de doenças crônicas, mentais e cardiovasculares.
OBTENHA aqui o Extrato de Própolis Verde com essa combinação: Vitamina B, E, C, D3, A, Selênio e Zinco. Aumente suas defesas naturais! Proteção contra doenças oportunistas - Clique aqui
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Siga-nos: | | e | Nos Apoie: Doar
Fechar Menu
Extrato de Própolis Verde, Vitamina C, D e Zinco, Imunidade e Proteção, Fortalvit, 60 Cápsulas

VER

Apoie Coletividade Evolutiva - Doação

Apoie nosso projeto com uma contribuição.

DOAR