Revolução das máquinas: IA atingirá 40% dos empregos e agravará desigualdade, diz FMI

A inteligência artificial deve afetar quase 40% de todos os empregos, de acordo com uma nova análise do Fundo Monetário Internacional (FMI).


Revolução das máquinas: IA atingirá 40% dos empregos e agravará desigualdade, diz FMI

Já imaginou você ser substituído por uma máquina? pois então, isso já não esta longe de acontecer de acordo com estudo de pesquisadores da Universidade de Oxford que descobriram que 47% do mercado de trabalho só nos EUA sozinho está em risco de ser mecanizado.

A inteligência artificial deve afetar quase 40% de todos os empregos, de acordo com uma nova análise do Fundo Monetário Internacional (FMI). A diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, diz que "na maioria dos cenários, a IA provavelmente agravará a desigualdade geral".

Georgieva acrescenta que os formuladores de políticas devem abordar a "tendência preocupante" para "evitar que a tecnologia alimente ainda mais as tensões sociais". (Relacionado: REVOLUÇÃO 4.0: Em cinco anos, quase METADE dos trabalhos humanos serão substituídos por IA
)

Esta é a quarta ou quinta revolução que se estenderá a cada ano, que aos poucos esta se infiltrando em todos os sentidos da humanidade, os robôs irão tomar nossos empregos. Estudos têm demonstrado que a mudança tecnológica em vez de comércio tem sido responsável pela grande maioria dos postos de trabalho perdidos na fabricação no mundo desenvolvido e logo tomará conta do mundo inteiro.

A proliferação da IA colocou seus benefícios e riscos sob os holofotes.


O FMI disse que a IA provavelmente afetará uma proporção maior de empregos - colocados em torno de 60% - nas economias avançadas. Em metade desses casos, os trabalhadores podem esperar se beneficiar da integração da IA, o que aumentará sua produtividade.

Em outros casos, a IA terá a capacidade de executar tarefas-chave que atualmente são executadas por humanos. Isso poderia diminuir a demanda por mão de obra, afetando os salários e até mesmo erradicando empregos.

Relacionado: O que vai acontecer com a sociedade à medida que a IA e os robôs tomam a maior parte dos empregos?

Enquanto isso, o FMI projeta que a tecnologia afetará apenas 26% dos empregos em países de baixa renda.


Ele ecoa um relatório do Goldman Sachs em 2023, que estimou que a IA poderia substituir o equivalente a 300 milhões de empregos em tempo integral - mas disse que também pode haver novos empregos ao lado de um boom na produtividade.

Enquanto isso, o primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak, disse em novembro que as pessoas não deveriam se preocupar com o impacto da IA nos empregos, porque as reformas na educação aumentariam as habilidades.

Georgieva disse que "muitos desses países não têm infraestrutura ou mão de obra qualificada para aproveitar os benefícios da IA, aumentando o risco de que, com o tempo, a tecnologia possa piorar a desigualdade entre as nações".

De forma mais geral, trabalhadores de renda mais alta e mais jovens podem ver um aumento desproporcional em seus salários após a adoção da IA.

Trabalhadores de baixa renda e mais velhos podem ficar para trás, acredita o FMI.


"É crucial que os países estabeleçam redes de segurança social abrangentes e ofereçam programas de reciclagem para trabalhadores vulneráveis", disse Georgieva. "Ao fazer isso, podemos tornar a transição da IA mais inclusiva, protegendo meios de subsistência e reduzindo a desigualdade."

A análise do FMI ocorre no momento em que líderes empresariais e políticos globais se reúnem no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.

A IA é um tópico de discussão, após o aumento da popularidade de aplicativos como o ChatGPT.


A tecnologia enfrenta uma regulamentação crescente em todo o mundo. No mês passado, autoridades da União Europeia chegaram a um acordo provisório sobre as primeiras leis abrangentes do mundo para regular o uso de IA.

O Parlamento Europeu votará as propostas da Lei da IA no início deste ano, mas qualquer legislação não entrará em vigor até pelo menos 2025. EUA, Reino Unido e China ainda não publicaram suas próprias diretrizes de IA.

Artigo: Revolução das máquinas: IA atingirá 40% dos empregos e agravará desigualdade, diz FMI - Republicado de: CNN
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Suplemento Multivitamínico

Fechar Menu