Relatório secreto do CDC: milhares de jovens "morreram repentinamente" nos EUA após as vacinas COVID-19

É o excesso de mortalidade das crianças dos EUA após o lançamento da vacina contra a covid-19 são verdadeiramente um massacre silencioso.


Relatório secreto do CDC: milhares de jovens "morreram repentinamente" nos EUA após as vacinas COVID-19

Os Centros de Controle de Doenças (CDC) relataram sub-repticiamente dados de excesso de mortalidade nos últimos três anos, ignorando completamente suas implicações. Os dados são disponibilizados na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OEC). Fundada em 1961, a OEC é uma organização intergovernamental com 38 países membros. 

A organização coleta dados sobre mortalidade para entender o progresso econômico e o comércio mundial. É o excesso de mortalidade das crianças dos EUA após o lançamento da vacina contra a covid-19 são verdadeiramente um massacre silencioso. Inúmeras agências de saúde/ mídia de massa / políticos, entre outros, usaram propaganda, mentiras e manipulação para coagir os pais a vacinarem seus filhos.

Para o excesso de mortes em crianças e adultos de 0 a 44 anos, houve 31.332 mortes em excesso em 2020, 58.559 em 2021 e 39.012 em 2022. Esses dados incluíram apenas o excesso de mortalidade registrado nas semanas 1 a 40.

Excesso de mortes de crianças e jovens adultos aumenta após disseminação da vacina contra a covid, não durante a pandemia


O excesso de mortalidade para crianças e jovens adultos dos EUA está disponível para as primeiras 40 semanas de 2020, 2021 e 2022. Quando os dados são comparados com o período de cinco anos pré-pandemia, fica claro que as ações do governo nos últimos três anos – especialmente o lançamento da vacina contra a covid – causaram sofrimento e morte em massa. 

De acordo com os dados, o excesso de mortalidade começou em 2020 e aumentou em 2021 e durante o primeiro semestre de 2022. Quando os números são comparados com os totais pré-vacina, infelizmente, fica claro que mais de 118.000 crianças dos EUA morreram repentinamente após o lançamento da vacina covid.

De acordo com os dados, houve um ligeiro aumento no excesso de mortes entre crianças e jovens adultos quando a primeira rodada de lockdowns foi iniciada. Quando as vacinas contra a covid-19 foram introduzidas em 2021, o excesso de mortes deveria ter caído significativamente. No entanto, ocorreu a realidade oposta. 

O excesso de mortes em 2021 foi maior em 38 das 40 semanas, em comparação com os números de 2020. Na semana 31 de 2021, o excesso de mortes aumentou ainda mais significativamente e permaneceu astronomicamente alto no primeiro semestre de 2022.

O ano de 2021 foi, de longe, o pior, com 27.227 mortes a mais até a semana 40 após o lançamento da vacina contra a covid, do que o que ocorreu em 2020, no auge da suposta pandemia de Covid-19.


Funcionários do governo e profissionais médicos obedientes mentiram e destruíram milhares de vidas jovens


Quando a pandemia de covid-19 foi anunciada pela primeira vez, os temores de hospitalização e morte em massa levaram o CDC e os governos estaduais a tomar medidas autoritárias drásticas que levaram muitos jovens/e todos em geral ao isolamento e à doença mental/ medo / psicose-corona. 

O conluio global dos governos desempenharam um papel central na destruição de vidas e meios de subsistência – causando taxas mais altas de depressão, overdose de drogas e suicídio em jovens. Para piorar, esperava-se que os jovens participassem de experimentos médicos que eram completamente desnecessários e causavam sérios problemas de saúde, incluindo, mas não se limitando a: miocardite e pericardite.

Durante o lançamento coercitivo da vacina de mRNA, políticos, funcionários dos governos/ e Estados, empurraram as vacinas para menores, mesmo depois que as evidências mostraram claramente que as vacinas são desnecessárias e perigosas para os jovens. 

Foi prometido ao mundo que essas injeções eram "seguras e eficazes" e eram a chave para "voltar ao normal". Aqueles que compraram essa linha viviam em perpétuo medo e isolamento, fazendo pouco contato com outras pessoas, evitando a interação humana e recorrendo a cotonetes, máscaras e outros protocolos insidiosos e escravizantes que encorajavam um estado de polícia médica.

Aquele estado de polícia médica, cheio de adultos complacentes, modelou um futuro distópico ao qual as crianças foram submetidas ao experimento mortal. Era um futuro de medo perpétuo, privação de oxigênio, isolamento e vacinas de reforço que causam coágulos sanguíneos, deficiências imunológicas e inflamação cardíaca. 

Toda essa propaganda e manipulação coagiu os pais a entregarem seus filhos a esses experimentos de vacinas que causavam mais problemas de saúde. Hoje, a miocardite e a morte súbita e inexplicável de jovens se normalizaram. 

Em todo o cenário da mídia e nos consultórios médicos de todo o país, há um silêncio ensurdecedor, mas revelador, quando se trata de abordar os danos que esse experimento global causou. Relatou o Expose-News.com

Compartilhe a realidade com todos - Desperte o público dessa agenda genocida antes que seja tarde demais,,,


Anúncio
Anúncio
Anúncio
Uma pequena pausa antes de continuar


Este site usa cookies e outros serviços para melhorar sua experiência. Ao usar nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade e Termos.