O Brasil está salvando o mundo de uma catastrófica pandemia alimentar?

O Brasil é o quarto maior produtor de alimentos do mundo. O país é totalmente autossuficiente em alimentos básicos


O Brasil está salvando o mundo de uma catastrófica crise alimentar?

O Brasil é o quarto maior produtor de alimentos do mundo. O país é totalmente autossuficiente em alimentos básicos e ocupa o primeiro lugar no mundo na produção de banana, cacau, mandioca, café, milho, arroz, soja e açúcar. Embora a maioria desses produtos seja consumida internamente, uma parcela significativa também é exportada, incluindo laranja, óleo de palma, alho, amendoim, chá, etc.

Mas o Brasil precisa de um suprimento constante de fertilizantes para alimentar sua poderosa indústria agrícola. O maior fornecedor internacional de fertilizantes do país é a Rússia, que responde por 44% do consumo total do Brasil a cada ano.

Desde o início da guerra na Ucrânia, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro declarou que seu país permanecerá neutro. Ele se encontrou com o presidente russo, Vladimir Putin, em Moscou, em 16 de fevereiro, e naquela ocasião, o presidente Bolsonaro declarou: “Estamos comprometidos em cooperar [com a Rússia] em vários campos. Defesa, petróleo e gás, agricultura. O Brasil se solidariza com a Rússia.”

Como era de se esperar, esta visita à Rússia foi fortemente criticada pelo governo dos EUA, pois ocorreu no auge das tensões entre o Ocidente e a Rússia sobre a Ucrânia. No entanto, Bolsonaro não recuou.

A Amazônia é um enorme banco de recursos naturais infinitos para os brasileiros. Possui a maior porcentagem de água doce, minerais valiosos e petróleo do mundo. Não surpreendentemente, as elites globais estão se voltando para as questões ambientais na tentativa de minar a soberania do Brasil sobre a região. De fato, as áreas protegidas do Brasil representam impressionantes 25% de seu território total – 50% apenas na Amazônia. No entanto, estamos constantemente vendo uma campanha de desinformação sobre o desmatamento da Amazônia.

Por outro lado, também é verdade que o Brasil ainda precisa importar 97% dos cerca de 10 milhões de toneladas de potássio que usa anualmente para plantar, tornando-se o maior importador do mundo. Então a questão fundamental é onde o Brasil pode encontrar mais fertilizantes?

As reservas de potássio no Brasil são encontradas principalmente em terras indígenas na região amazônica.

Nas terras indígenas do Brasil, apenas 3% de todas essas terras estão desmatadas, o que é inferior às terras públicas e privadas. A Constituição brasileira define terras indígenas como terras tradicionalmente ocupadas por índios brasileiros e também “usadas para suas atividades produtivas.

Ao chegar a um acordo com a Rússia, o Brasil impediu a mineração de potássio que poderia prejudicar a Amazônia e violar os direitos dos povos indígenas, e potencialmente salvou o mundo de uma crise alimentar catastrófica.

“Se o Brasil cortar gastos no próximo ano devido à escassez de fertilizantes, isso certamente será uma má notícia para a crise global de alimentos”, diz Joseph Schmidhuber, economista.

A guerra na Ucrânia, juntamente com as sanções econômicas do Ocidente, colocam em risco a segurança alimentar mundial. Essas sanções deveriam punir a Rússia por sua invasão da Ucrânia, mas representam uma séria ameaça à capacidade do mundo de se alimentar.

A ministra da Agricultura brasileira, Teresa Cristina Diaz, instou os países a encontrar uma solução internacional para o problema, observando que a escassez de fertilizantes desencadearia “inflação de alimentos e potencialmente prejudicaria a segurança alimentar”.

Em conclusão, o governo brasileiro não só evitou uma crise alimentar ao reabastecer os suprimentos do país com a ajuda da Rússia, mas também desempenhou um papel de liderança na busca de soluções internacionais para a emergente crise alimentar emergencial, que, na pior das hipóteses, poderia levar milhões de pessoas morrem de fome. especialmente nos países mais pobres.

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Suplemento Multivitamínico

Este site usa cookies e outros serviços para melhorar sua experiência. Ao usar nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade e Termos.