Ao longo do tempo novos efeitos colaterais vão aparecendo: Agora são inflamação renal, distúrbios renais e reações na pele

Vacinação: Ao longo do tempo novos efeitos colaterais vão aparecendo: Agora são inflamação renal, distúrbios renais e reações na pele... Novos eventos adversos das vacinas experimentais COVID-19 fabricadas pela Pfizer e Moderna

Fabio Allves
Compartilhe:
Novos efeitos colaterais das vacinas Pfizer e Moderna incluem inflamação renal, distúrbios renais e reações na pele

A Reguladora European Medicine Agency (EMA) está relatando novos eventos adversos das vacinas experimentais COVID-19 fabricadas pela Pfizer e Moderna de tecnologia de mRNA. Esses "novos" eventos adversos, que incluem reações na pele e doenças renais, são mais do que apenas efeitos colaterais - são sintomas de envenenamento, sinais de que o sangue e os órgãos de filtração do receptor estão contaminados por toxinas estranhas. 

E é exatamente para isso que essas vacinas foram projetadas - infiltrar-se no sangue e nos órgãos com proteínas de pico projetadas para ser replicadas à força pelas próprias células do corpo.

Os problemas de saúde recentemente identificados incluem problemas de microvasculatura na pele, inflamação dos rins e perda excessiva de proteínas


Essas reações cutâneas e doenças renais recém-identificadas podem não estar na lista da EMA de eventos adversos notificados após a vacinação, portanto, a agência não é capaz de coletar dados precisos e compreender a extensão do envenenamento. As doenças recentemente identificadas incluem o eritema multiforme, uma reação cutânea mediada por células imunes na microvasculatura superficial da pele e nas membranas mucosas orais.

 A reação cutânea pode ser leve ou grave, causando a formação de lesões na pele. O eritema multiforme pode ocorrer após uma infecção ou após a exposição ao medicamento. Como as proteínas de pico da vacina são distribuídas fora da célula, podem circular no sangue e causar a formação de mini coágulos na microvasculatura, essa condição de pele é provavelmente um sintoma de dano da vacina.

Outra possível reação recentemente identificada é a glomerulonefrite, um tipo de inflamação renal. Como a proteína do pico pode circular no sangue, é inflamatória por natureza e pode se concentrar em órgãos vitais como os rins, essa lesão causada pela vacina é mais do que possível.

Por fim, a EMA está examinando como as vacinas COVID causam a síndrome nefrótica. Este distúrbio renal leva a grandes perdas de proteínas urinárias. À medida que mais pessoas relatam esse problema de saúde após a vacinação, este pode ser um dos primeiros sinais de que essa tecnologia experimental de vacina de mRNA retreinou as células do sistema imunológico para atacar as proteínas naturais do corpo. 

Esta tecnologia experimental é a primeira tentativa de criar toxinas estranhas nas células do próprio corpo. Se as células imunológicas aprenderem a atacar o que as próprias células do corpo produziram, um efeito descontrolado pode ocorrer, pelo qual as células imunológicas têm como alvo as proteínas naturais do corpo. Por outro lado, o corpo pode estar despejando proteínas em excesso na tentativa de eliminar as proteínas de pico do corpo, levando à perda excessiva de outras proteínas importantes causando assim problemas de saúde.

Condições sistêmicas autoimunes, cardiovasculares e inflamatórias não são diagnosticadas, pois as proteínas de pico causam estragos na população


A EMA divulgou esses novos efeitos colaterais quando atualizou a seção de segurança de seu banco de dados de vacinas, acrescentando mais problemas de saúde em potencial a uma lista crescente de danos graves causados ​​pelas vacinas. No entanto, como a maioria dos eventos adversos, esses problemas renais e reações cutâneas não serão divulgados no rótulo da vacina.

A reguladora Anvisa e a americana FDA já reconheceram que os pacientes jovens estão experimentando inflamação cardíaca desnecessária após serem vacinados. Essas injeções também estão causando coágulos sanguíneos, cegueira e outros danos cardiovasculares graves. No momento, nenhum desses problemas graves de saúde importa para a Anvisa, o CDC, a OMS, o NHS, a EMA e outras agências regulatórias. Todas estão ignorando milhões de efeitos colaterais graves, se não ocultando esses fatos.

 Essas agências reguladoras acreditam que esses venenos proporcionam benefícios que valem o sofrimento, ignorando ou tratando esses efeitos que muda o sistema humano para sempre como comuns, mas não são. Muitos desses novos problemas de saúde que ocorrem dentro do corpo das pessoas vacinadas não podem ser identificados com precisão como um evento adverso ou efeito colateral porque os problemas que ocorrem dentro deles são sistêmicos, afetam vários órgãos de maneiras diferentes e exibem vários efeitos autoimunes desconhecidos que não pode ser medido de forma consistente. 

Esses novos efeitos, são aqueles não testados a médio e longo prazo sobre o que essas substâncias fariam no corpo a um prazo de 2,3,4 anos e assim suscetivamente. Ao longo dos anos para frente veremos muitas outras reações começarem a matar milhares.

Republicado do Naturalnews.com : Referência: coletividade-evolutiva.com.br

Compartilhe:

EXPLORE MAIS SOBRE:

Ciência | Coronavírus | Covid-19 | descobrindo | Governo | saúde | Sociedade | Vacina | Vacinação
Fabio Allves

Autor: Fabio Allves

Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar.