CDC: milhares de crianças feridas após vacinas COVID-19: 397 sofreram inflamação cardíaca

Vacinação: CDC: milhares de crianças feridas após vacinas COVID-19: 397 sofreram inflamação cardíaca... Quase 400 crianças com idades entre 12 e 17 foram diagnosticadas com inflamação cardíaca após receberem a vacina Pfizer-BioNTech COVID-19

Fabio Allves
Compartilhe:

CDC: milhares de crianças feridas após vacinas COVID-19: 397 sofreram inflamação cardíaca

Um estudo publicado pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) em 30 de julho descobriu que quase 400 crianças entre 12 e 17 anos tiveram efeito colateral de inflamação cardíaca chamada miocardite após receberem a injeção experimental do coronavírus Pfizer-BioNTech de tecnologia mRNA, também produzida pela Moderna. Você acha que os riscos superam os benefícios de tomar ou aceitar seu filho (a) tomar um tiro experimental de uma tecnologia que pode modificar permanentemente o sistema humano?

A tecnologia ilegal dessas injeções de mRNA altera diretamente o material genético de quem o recebe, muito parecido com o que acontece quando “cientistas” fazem engenharia genética (OGM) em safras de soja ou milho para torná-las resistentes a insetos ou à seca. Simplificando, "humanos geneticamente modificados", então, poderão ser patenteados por empresas, já que agora não é mais um organismo natural com o código (DNA) de Deus (Criador). Você foi informado sobre isso?

Os efeitos de miocardite não são os únicos que estão acontecendo em massa


A condição ocorreu principalmente em meninos. A inflamação do coração como sempre está sendo colocada em casos raros ou que não foi identificada como uma reação adversa durante os testes de segurança da vacina, mas o CDC anunciou em junho que a agência reguladora Food and Drug Administration (FDA) adicionaria um aviso às vacinas de coronavírus Pfizer e Moderna (COVID-19) sobre uma possível ligação com casos de miocardite em adolescentes e adultos jovens.

Miocardite é uma condição que envolve inflamação do músculo cardíaco. Os sintomas podem incluir febre e fadiga, bem como falta de ar e um tipo muito específico de dor no peito. Os pacientes tendem a dizer que seu peito dói mais quando se inclinam para a frente. Lamentavelmente milhões de pessoas estão sofrendo reações graves após as injeções Covid, no entanto, as narrativas sempre distanciam a verdade do público, que essas injeções possivelmente estão matando pessoas ou ferindo para sempre.

O Comitê Consultivo em Práticas de Imunização (ACIP), grupo consultivo de vacinas do CDC, se reuniu em junho para discutir casos de miocardite em pessoas com 30 anos ou menos que receberam uma vacina de mRNA COVID-19. A Pfizer e a Moderna usam a tecnologia de mRNA em suas injeções COVID-19, enquanto a Johnson & Johnson usa a tecnologia mais tradicional baseada em vírus.

O Grupo de Trabalho Técnico de Segurança de Vacinas (VaST) COVID-19, que faz parte do ACIP, avaliou os casos relatados e observou que o risco de miocardite após a vacinação com as injeções baseadas em mRNA em adolescentes e adultos jovens é notavelmente maior após a segunda dose, particularmente em homens.

De acordo com o VaST, os dados sugerem uma provável associação de miocardite com vacinação de mRNA em adolescentes e adultos jovens.

Novo estudo é baseado em relatos de reações adversas entre crianças... Mas sempre ignoram o problema da vacina: Até quando esse crime será permitido?


O CDC conduziu o novo estudo revisando notificações de reações adversas ao Sistema de Notificação de Eventos Adversos de Vacinas (VAERS) entre 14 de dezembro de 2020 e 16 de julho de 2021.

VAERS recebeu um total de 9.246 notificações de reações adversas entre crianças durante esse período, 90,7 por cento das quais foram constituídas por “eventos adversos não graves”. Os 397 relatos de inflamação do coração representaram 4,3% do total. Recomendado: Anvisa reconhece risco de inflamação cardíaca após injeção da Pfizer, mas mantém o uso

Quatorze crianças morreram após receber a vacina Pfizer, de acordo com o estudo. A causa da morte como sempre em mantido em segredo, não estava disponível para seis dos casos. Das outras oito crianças, duas morreram de hemorragia intracraniana, duas morreram de embolia pulmonar, duas cometeram suicídio, uma morreu de insuficiência cardíaca e uma morreu de um problema de sangue. Nenhuma das mortes relatadas foi causada por inflamação do coração. Isso significa apenas mais uns das centenas de efeitos adversos que estão sendo ignorados ou tratados como "comuns".

“As impressões sobre a causa da morte não indicaram um padrão sugestivo de relação causal com a vacinação. No entanto, a causa da morte de alguns falecidos depende do recebimento de informações adicionais”, escreveu Anne Hause, a autora correspondente do CDC.

Embora o sistema seja considerado passivo em geral, os médicos são obrigados a relatar todos os eventos graves após as vacinações. O estudo também não foi projetado para capturar todos os casos de inflamação do coração e apenas contou os relatórios que usavam o termo “miocardite”. Recomendado: Crianças têm 50 vezes mais chances de morrer pela vacina Covid do que pelo próprio Covid

O FDA emitiu uma autorização de uso de emergência para a vacina Pfizer para crianças de 16 anos ou mais em 11 de dezembro de 2020 e expandiu a autorização para crianças com 12 anos ou mais em 10 de maio de 2021. Essas agências estão ignorando essas mortes e essas reações graves que estão ferindo para sempre pessoas. Isso é criminoso o que estão fazendo. Isso é um experimento em massa e levará muitos danos no mundo, já que efeitos colaterais a longo prazo são completamente desconhecidos.

O grupo consultivo de vacinas do CDC ainda quer que as crianças corram o risco como um tiro no escuro


Depois que relatos de inflamação do coração começaram a surgir em junho, o ACIP concluiu que os riscos de alta inflamação não superavam os benefícios da vacina COVID-19 da Pfizer e decidiu continuar recomendando-a para crianças a partir de 12 anos.

A taxa mais alta do que o esperado de casos de miocardite entre americanos com menos de 30 anos é consistente com os dados de Israel.

O Ministério da Saúde de Israel identificou mais de 200 casos de miocardite em homens entre 16 e 30 anos , a grande maioria deles ocorrendo na faixa mais jovem. Isso equivale a um risco entre 1 em 3.000 e 1 em 6.000 de sofrer de inflamação do coração.

A Pfizer disse anteriormente que não havia observado uma taxa maior de inflamação cardíaca do que seria normalmente esperado na população em geral. A Moderna também disse que não conseguiu identificar uma associação causal com os casos de inflamação do coração e sua vacina.

Compartilhe:

EXPLORE MAIS SOBRE:

Ciência | Ciência e tecnologia | Coronavírus | Covid-19 | Governo | saúde | Vacina | Vacinação
Fabio Allves

Autor: Fabio Allves

Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar.