Governo da Omissão e Negligência: Autoridades e Mídia na Tragédia do Rio Grande do Sul

Desde a disseminação de informações falsas até a recusa em aceitar ajuda externa e a falta de atenção às necessidades das comunidades mais afetadas

Omissão e Negligência: Autoridades e Mídia na Tragédia do Rio Grande do Sul

A recente tragédia que assola o Rio Grande do Sul não apenas expõe a vulnerabilidade das comunidades locais diante de "desastres naturais", mas também revela uma série de omissões e negligências por parte das autoridades governamentais e da mídia estatal, mais especificamente a Rede Globo. 

As consequências devastadoras das tempestades, inundações, falta de abrigo, alimentos básicos e assistência médica (E pessoas ainda em espera por socorro), o regime LULA, e o governador do Rio Grande do Sul (RS), Eduardo Leite, e até mesmo o exército, podem ter falhado em prestar assistência adequada.



As mais recentes negligências: Desde a disseminação de informações falsas até a recusa em aceitar ajuda externa e a falta de atenção às necessidades das comunidades mais afetadas, diversos aspectos preocupantes têm sido observados neste regime Lula da Silva:

Propaganda Enganosa e Manipulação Midiática: A mídia, muitas vezes financiada pelo estado (Dinheiro do povo) e supostamente responsável por informar a população de forma imparcial, tem sido acusada de propaganda enganosa e manipulação psicológica. A acusação direta de uma pessoa por supostas desinformação, posteriormente provadas como verdadeiras, levanta questões sobre a integridade jornalística e a responsabilidade da mídia em informar com precisão.

O impacto da coragem e da determinação de Pablo Marçal ressoará muito além deste episódio específico. Sua defesa incansável da verdade e sua disposição de enfrentar as consequências de sua luta inspiram outros a se levantarem contra a injustiça e a desinformação, criando um legado duradouro de integridade e coragem cívica.


Em nota oficial, o SBT reforçou os fatos, sobre a desinformação da Globo: O SBT reforça seu compromisso com a verdade e ressalta que todo o departamento de jornalismo da emissora é guiado pela premissa de responsabilidade com a informação e com a sociedade. A emissora não produz e não divulga inverdades e não tem o objetivo de politizar qualquer assunto conduzido pela equipe de jornalismo.

Recusa de Ajuda Externa: A recusa do regime Lula em aceitar ajuda externa, incluindo lanchas, aviões e drones oferecidos pelo Uruguai para auxiliar no resgate às vítimas, levanta sérias preocupações sobre as prioridades e o compromisso das autoridades com o bem-estar da população. A justificativa de que os equipamentos não seriam necessários, apesar das condições precárias em Porto Alegre, parece não apenas omissão e negligente, mas genocídio intencional.


Orientações Questionáveis das Autoridades: Além disso, as orientações dadas pela Ministra da Saúde, Nísia Trindade, para que a população afetada pelas enchentes evite o uso preventivo de antibióticos, parecem irresponsáveis e colocam em risco a saúde pública. Pedir às pessoas para esperarem ficar doentes antes de procurar tratamento médico em meio ao caos e à falta de condições adequadas de atendimento é altamente preocupante:


Priorização Questionável na Distribuição de Alimentos: Da mesma forma, o pedido da Ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, para que as famílias ciganas, quilombolas e de terreiros sejam priorizadas na distribuição de alimentos, ignorando outras comunidades afetadas, levanta questões sobre equidade e justiça social. Em uma situação de crise, todas as pessoas afetadas deveriam receber assistência igualitária, independentemente de sua etnia ou origem.


Falta de Solidariedade Política: Por fim, a falta de apoio de deputados de esquerda a um projeto de lei que destinaria 50% do fundo eleitoral ao Rio Grande do Sul é outra omissão preocupante. Em momentos de crise, espera-se que os líderes políticos demonstrem solidariedade e cooperação para ajudar as comunidades afetadas a se recuperarem e reconstruírem.

Conclusão: Em suma, as omissões e negligências das autoridades governamentais e da mídia no contexto da tragédia do Rio Grande do Sul são profundamente preocupantes e exigem uma resposta imediata e eficaz - isso está beirando a genocídio assistido.


É fundamental que haja transparência, responsabilidade e compromisso com o bem-estar da população, além de uma abordagem solidária e colaborativa para enfrentar os desafios decorrentes da tragédia. A falta de ação adequada pode ter consequências devastadoras para as comunidades afetadas e para o país como um todo.

Mais atualização 09/05/2024 - milhares de corpos:


Para piorar, indo contra os fatos e a realidade vivida e denunciada pelo povo do Rio Grande do Sul: presidente do PT, Gleisi Hoffmann, em um vídeo publicado hoje, 9 de maio, nos canais do partido, vestida de preto, fala sobre fake news, faz discurso político, e dedica somente alguns míseros segundos para se “solidarizar” com o povo gaúcho. 

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Sugestão de suplemento

Postar um comentário

0 Comentários

Fechar Menu