Estudo Iraniano Destaca Eficácia da Ivermectina no Tratamento de COVID-19

Outro ensaio mostra que a ivermectina oferece enormes benefícios para a saúde, com reduções drásticas na hospitalização


Estudo Iraniano Destaca Eficácia da Ivermectina no Tratamento de COVID-19

Um estudo recente publicado no Jundishapur Journal of Health Sciences reforçou a eficácia da ivermectina no tratamento da COVID-19. Pesquisadores iranianos investigaram o potencial desse medicamento, aprovado pela reguladora americana FDA, para tratar a pandemia de coronavírus, especialmente após anos de restrições ao seu uso em países ocidentais, incluindo os Estados Unidos e no Brasil

A pesquisa envolveu cientistas de várias universidades iranianas, como a Universidade de Ciências Médicas Ahvaz Jundishapur e a Universidade Islâmica Azad. O estudo foi um ensaio clínico duplo-cego e randomizado com 110 pacientes que apresentavam infecção moderada a grave por COVID-19. Os participantes foram divididos em dois grupos: metade recebeu 14 miligramas de ivermectina a cada 12 horas por três dias, enquanto a outra metade recebeu um placebo.

Os resultados mostraram que os pacientes tratados com ivermectina tinham significativamente menos probabilidade de necessitar de hospitalização na unidade de terapia intensiva (UTI). Aqueles que ainda precisaram de cuidados intensivos passaram menos tempo na UTI, com uma média de quatro dias, em comparação com seis dias no grupo placebo. Esses dados sugerem que a ivermectina pode ser um medicamento seguro e eficaz para pacientes com COVID-19 de gravidade moderada.

Comparação com Pesquisas Ocidentais


Enquanto o estudo iraniano apresenta resultados positivos, a aceitação da ivermectina no Ocidente foi lenta. Nos Estados Unidos, a FDA levou mais de três anos para permitir que os médicos prescrevessem ivermectina para a COVID-19, resultando em questionamentos sobre o número de vidas que poderiam ter sido salvas com o uso mais precoce do medicamento.

Os pesquisadores iranianos expressaram preocupação com as mais de 3,8 milhões de mortes globais atribuídas à COVID-19 até junho de 2021, muitas das quais, argumentam, poderiam ter sido evitadas com o uso de tratamentos eficazes como a ivermectina. Os autores do estudo enfatizam a importância de tratamentos alternativos, especialmente para populações vulneráveis como idosos e imunossuprimidos.

Considerações para Pacientes e Médicos


Para os pacientes, pode ser benéfico discutir com seus médicos a possibilidade de usar ivermectina como parte de um plano de tratamento para infecções virais semelhantes à COVID-19. A ivermectina é um medicamento genérico de baixo custo, amplamente disponível em vários países, como a Índia, onde é vendido a preços acessíveis.

Se um médico estiver disposto a prescrever ivermectina, é provável que ele ou ela esteja mais focado no bem-estar dos pacientes do que em ganhos financeiros. Alguns pacientes relataram experiências positivas com o uso regular de ivermectina para desparasitação, indicando sua confiança na segurança e eficácia do medicamento.

Considerações Finais


O estudo iraniano sobre a ivermectina é um exemplo de pesquisa científica independente que desafia as narrativas predominantes nos países ocidentais. À medida que mais estudos como este emergem, é crucial que as autoridades de saúde global considerem todas as opções viáveis para o tratamento de pandemias, priorizando a saúde e a segurança dos pacientes acima de interesses econômicos.

Para aqueles interessados em explorar a ivermectina como uma opção de tratamento, é importante consultar profissionais de saúde qualificados e considerar todas as informações disponíveis antes de tomar decisões informadas sobre sua saúde.
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Suplemento Multivitamínico

Este site usa cookies e outros serviços para melhorar sua experiência. Ao usar nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade e Termos.