Visão geral da Bula: Quais consequências da experiência vacinal Qdenga e quais consequências a longo prazo? Quem se responsabilizará por danos?

A vacinação obrigatória será um experimento em massa no Brasil, por não ser NUNCA usada em uma grande população,


Visão geral da Bula: Quais consequências da vacina experimental Qdenga e quais consequências a longo prazo? Quem se responsabilizará por danos?

A vacina Qdenga indicada supostamente para combater dengue, possui composto do vírus vivo da própria dengue de forma "atenuado/ enfraquecido" de 1,2,3,e 4 sorotipos [, ou seja, você será infectado para supostamente criar imunidade contra o vírus natural], foi desenvolvida pelo laboratório japonês Takeda Pharma. Portanto, efeitos colaterais da própria doença poderão ser sentidas, já que o vírus vivo enfraquecido  1,2,3 e até 4 estão presente na substância e podem ser severas dependendo de cada hospedeiro.

A vacinação obrigatória será um experimento em massa no Brasil, por não ter sido NUNCA usada em grande escala antes, será um experimento em massa agora no Brasil. No entanto, o registro da vacina foi concedido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em março de 2023. Os estudos apresentados não apresentam uma essência de segurança a longo prazo, portanto efeitos a longo prazo são desconhecidos, conforme o documento.

Mas lembre-se, na era pandemia, as autoridades e instituições de saúde, a grande mídia, todos mentiram sobre a segurança da nova vacina COVID com tecnologia mRNA nunca antes usada em humanos, e o que vemos agora é uma pandemia de vacinados morrendo subitamente e outras doenças. 

Eles estão soltando mosquitos OGMs que possivelmente passa doenças para os humanos, não os naturais,  e querem pegar todos justamente no carnaval para empurrar narrativa de pandemia da dengue, onde haverá uma inundação de doenças transmissíveis e hospitalizações - talvez essa será a chamada doença x. E então, aí poderemos ver a ditadura sanitária da OMS sob o tratado de pandemia entrar em vigor sobre nossas cabeças.

E a Vacinação obrigatória, sejam crianças ou não, é um crime hediondo contra a liberdade humana e contra a lei - os incentivadores devem assina pelo menos um termo de responsabilidade! Também estar na lei: Art. 15. Numero 10.406 - Ninguém pode ser constrangido a submeter-se, com risco de vida, a tratamento médico ou a intervenção cirúrgica. - Faça o seu direito valer ou eles farão o deles por você!

Quais as reações esperadas para a vacina? Os mesmos efeitos quando se fica doente por dengue.


Algumas reações são esperadas para quem for imunizado com a Qdenga. Segundo a bula, os efeitos mais comuns são dor e vermelhidão no local da injeção, dor de cabeça, dor muscular, fraqueza, febre, diminuição do apetite, irritabilidade e sonolência e muito mais:

O que há na vacina da Dengue?


Visão Geral da Bula - copilada pelo portal pugnaculum.com - por Paladin


Apresentação e Composição:
  • vacina QDENGA é apresentada como pó liofilizado e diluente para solução injetável.
  • Contém os sorotipos 1, 2, 3 e 4 do vírus da dengue, atenuados, produzidos por tecnologia de DNA recombinante.
  • A composição inclui organismos geneticamente modificados, e os excipientes estão listados.
Via de Administração e Público-Alvo:
  • Administração via subcutânea.
  • Indicada para uso em adultos e pediátrico dos 4 aos 60 anos.
Resultados de Eficácia:
  • Avaliação realizada no estudo DEN-301, fase 3, em países da América Latina e Ásia.
  • Eficácia avaliada por vigilância ativa, com confirmação virológica.
  • Dados de eficácia para participantes de 4 a 16 anos apresentados na Tabela 1.
  • População do estudo diversificada em idade, região e sorologia na linha de base.
Características Farmacológicas:
  • Grupo farmacoterapêutico: Vacinas virais.
  • Mecanismo de ação: Replicação local do vírus vacinal, induzindo respostas imunológicas contra os sorotipos do vírus da dengue.
  • Não foram realizados estudos farmacocinéticos.
Contraindicações e Advertências:
  • Contraindicada em casos de hipersensibilidade, imunodeficiência, infecção por HIV, gravidez e amamentação.
  • Categoria C de risco na gravidez.
  • Advertências incluem anafilaxia, revisão do histórico médico, doença concomitante e limitações da efetividade.
Segurança Pré-Clínica e Reações Adversas:
  • Dados pré-clínicos indicam segurança, com baixo risco de propagação do vírus no ambiente.
  • Advertências sobre anafilaxia e reações relacionadas à ansiedade.
  • Recomendação de medidas de proteção pessoal contra picadas de mosquito após a vacinação.
Fertilidade, Gravidez e Lactação:
  • Categoria C de risco na gravidez.
  • Contraindicada durante a gestação e amamentação.
  • Recomendação para mulheres com potencial para engravidar evitar a gravidez por pelo menos um mês após a vacinação.
Interações Medicamentosas:
  • Recomendação de aguardar pelo menos seis semanas após o término do tratamento com imunoglobulinas antes de administrar QDENGA.
  • Não deve ser administrada em pacientes recebendo terapias imunossupressoras.
Uso com Outras Vacinas e Incompatibilidades:
  • Pode ser administrada concomitantemente com vacinas contra hepatite A e febre amarela.
  • Não deve ser misturada com outras vacinas ou medicamentos, exceto o diluente fornecido.

Reações Adversas da Vacina QDENGA: Uma Perspectiva Geral


Resumo do Perfil de Segurança:
  • Em estudos clínicos, reações adversas mais comuns em participantes de 4 a 60 anos foram dor no local da injeção, cefaleia, mialgia, eritema no local de injeção, mal-estar, astenia e febre.
  • A maioria das reações ocorreu dentro de dois dias após a injeção, sendo de gravidade leve a moderada, de curta duração (1 a 3 dias) e menos frequentes após a segunda dose.
Viremia por Vacina:
  • Observada em participantes do estudo, sendo mais frequente em não infectados previamente (49%) do que em infectados anteriormente (16%).
  • Associação com sintomas transitórios, como cefaleia, artralgia, mialgia e erupção cutânea.
  • Raramente detectada após a segunda dose.
População Pediátrica:
  • Segurança avaliada em crianças de 4 a 17 anos.
  • Reações adversas em crianças foram geralmente compatíveis com as observadas em adultos.
  • Reações mais comuns em crianças: febre, infecção das vias aéreas superiores, nasofaringite, faringotonsilite e doença semelhante à gripe.
Reações menos comuns em crianças: 
  • eritema no local da injeção, náusea e artralgia.
  • Em crianças com menos de 6 anos, reações incluíram diminuição do apetite, sonolência e irritabilidade.
Dados de Participantes com Menos de 4 Anos:
  • Avaliação em 78 participantes com menos de 4 anos.
  • Reações frequentes: irritabilidade, febre, dor no local da injeção e perda de apetite.
  • Sonolência e eritema no local da injeção foram comuns.
  • Inchaço no local da injeção não foi observado nessa faixa etária.
Aviso sobre Eventos Adversos Desconhecidos:
  • Destaca que, mesmo com eficácia e segurança indicadas nas pesquisas, eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos podem ocorrer.
  • Recomenda a notificação de eventos adversos pelo Sistema VigiMed da Anvisa.

A vacina QDENGA é uma opção para a prevenção da dengue, com resultados de eficácia baseados em estudos clínicos. No entanto, existem contraindicações específicas e precauções a serem consideradas, como anafilaxia, histórico médico, e a necessidade de proteção contínua contra picadas de mosquito. A análise abrange aspectos farmacológicos, de segurança e recomendações para diferentes grupos populacionais.
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Uma pequena pausa antes de continuar


Este site usa cookies e outros serviços para melhorar sua experiência. Ao usar nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade e Termos.