Coletividade Evolutiva , Preparando-se para a ‘Doença X’: Grupo apoiado por Gates financia tecnologia ‘Wafer’ de vacina de mRNA sem agulha , Vacina , Vacinação ,

Preparando-se para a ‘Doença X’: Grupo apoiado por Gates financia tecnologia ‘Wafer’ de vacina de mRNA sem agulha

Startup estar criando vacinas tipo bolachas que coloca debaixo da língua que podem ser armazenadas a qualquer temperatura.


Preparando-se para a ‘Doença X’: Grupo apoiado por Gates financia tecnologia ‘Wafer’ de vacina de mRNA sem agulha
Preparando-se para a ‘Doença X’: Grupo apoiado por Gates financia tecnologia ‘Wafer’ de vacina de mRNA sem agulha - Artigo reprodução do: Children's Health Defense/ The Defender - imagem: The Defender

A Coalizão para Inovações em Preparação para Epidemias (CEPI) está fazendo parceria com a Jurata Thin Film Inc. para desenvolver um filme de mRNA semelhante a um ‘wafer’ [  um wafer é uma fina fatia de material semicondutor ] que pode ser armazenado em temperatura ambiente e colocado sob a língua para administração de vacina sem agulha.

A parceria começará com um investimento de US$ 1,2 milhão para ajudar a Jurata a desenvolver sua plataforma proprietária de vacinas, que, segundo a empresa, estabiliza tecnologias de vacinas de nanopartículas lipídicas contendo mRNA em uma película fina.

Jurata afirma que a película foi projetada para ser “termoestável”, produzida e armazenada em temperatura ambiente e permanecer estável por três anos, eliminando a necessidade de armazenamento refrigerado com uso intensivo de energia exigido pelas atuais vacinas de mRNA.

A película pode ser colocada dentro da bochecha ou sob a língua para administrar a vacina. Também pode ser reidratado com solução aquosa e administrado por via nasal ou por outros meios que não necessitem de passagem pelo trato digestivo.

Jurata e a CEPI consideram a tecnologia fundamental para levar vacinas às pessoas pobres em todo o mundo. “Se for bem sucedida”, disse a CEPI no seu comunicado de imprensa , a tecnologia “ajudará a expandir o acesso a vacinas de mRNA em regiões mal servidas e a avançar a resposta global a futuros surtos de doenças infecciosas emergentes”.

No entanto, os cientistas que falaram com o The Defender disseram que o “sucesso” parecia improvável tão cedo. Eles também disseram que a tecnologia pode causar problemas além dos sérios riscos conhecidos da tecnologia existente de transfecção de mRNA.

Brian Hooker, Ph.D., diretor sênior de ciência e pesquisa da Children’s Health Defense (CHD), disse:

“As vacinas requerem armazenamento refrigerado (principalmente refrigeração) e as vacinas de mRNA são especialmente suscetíveis a danos causados ​​pelo calor durante o transporte e armazenamento. Uma plataforma termoestável eliminaria completamente a necessidade de refrigeração e seria um enorme avanço na eliminação dos “requisitos da cadeia de frio” no fornecimento de vacinas ao mundo em desenvolvimento e também constituiria uma grande poupança de custos na implantação global.”

“Mas, fora os outros problemas óbvios com as vacinas de mRNA, eu ficaria preocupado que o mRNA não fosse tão termoestável como se supõe e isso induziria mutações na sequência e outros danos ao código genético”.

Jurata é uma pequena empresa de biotecnologia que desenvolve películas para administração de vacinas e outras terapêuticas. Seus fundadores também fundaram a Bamboo Therapeutics, uma empresa de biotecnologia de terapia genética adquirida em 2016 pela Pfizer em um negócio avaliado em US$ 827 milhões.

Vacinas termoestáveis ​​e sem agulha são uma “pista falsa”


Jurata é o quinto parceiro anunciado como parte da chamada de propostas da CEPI de janeiro de 2022 para inovações na fabricação de vacinas termoestáveis. A empresa disse que mais anúncios estão no horizonte.

Recentemente, organizações como a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Gavi, a Vaccine Alliance e a Fundação Bill & Melinda Gates, entre outras, elogiaram os benefícios potenciais das tecnologias de administração de vacinas sem agulha, incluindo adesivos de microarranjos, canetas e agora micropelículas (microfilmes) como “inovador”, “que muda o jogo” e “o futuro da vacinação”.

Eles afirmam que estas tecnologias têm o potencial de tornar as vacinas acessíveis a áreas remotas, particularmente no Sul Global, onde falta infraestrutura para o armazenamento refrigerado necessário para as vacinas, especialmente para vacinas de mRNA que requerem temperaturas ultrafrias de -20 graus Celsius para – 80 C.

Eles também afirmam que estas tecnologias podem “ajudar a promover a aceitação da vacina em áreas de hesitação vacinal” e reduzir a necessidade de fornecedores, permitindo que as pessoas autoadministrem vacinas.

Nos termos do acordo com a CEPI, Jurata comprometeu-se a garantir o fornecimento de vacinas para o Sul Global, produzindo um volume de vacinas “necessário para atender às necessidades de saúde pública”, estabelecendo preços acessíveis para os países do Sul Global e potencialmente transferindo a tecnologia para os fabricantes do Sul Global.

As tecnologias termoestáveis ​​sem agulhas estão a ser amplamente promovidas, embora poucos ensaios clínicos sobre qualquer uma destas tecnologias tenham sido concluídos e nenhuma vacina deste tipo tenha ainda sido aprovada pelos reguladores.

Cientista da equipe do CHD J. Jay Couey, Ph.D., disse ao The Defender que acha que o hype em torno de tais tecnologias é uma “pista falsa” destinada a fazer o público pensar que quaisquer problemas com essas vacinas são questões técnicas de armazenamento ou método de entrega – em vez da ameaça muito mais séria representada pelas próprias tecnologias de transfecção de mRNA.

Apesar de todo o incentivo em torno de novos métodos de administração de vacinas , o primeiro ensaio clínico de adesivos de vacina em crianças para a vacina contra sarampo e rubéola testado na Gâmbia só foi partilhado em Maio pela Micron Biomedical durante a conferência Microneedles 2023 em Seattle.

O ensaio de Fase 1/2 apresentou resultados “promissores”, embora até à data os resultados do ensaio não tenham sido publicados numa publicação revista por pares.

Apesar da investigação limitada, a Fundação Gates concedeu em Novembro à Micron Biomedical 23,6 milhões de dólares para financiar a primeira produção em massa de tecnologia de vacina sem agulha. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças também fizeram parceria com a Micron.

A CEPI afirma que espera utilizar o seu financiamento para impulsionar o desenvolvimento de tais vacinas.

“Estamos realmente procurando ver uma mudança radical na forma como algumas dessas vacinas podem ser armazenadas e entregues”, disse Ingrid Kromann, diretora interina de Fabricação e Cadeia de Fornecimento de Vacinas da CEPI, em um comunicado à imprensa sobre a oportunidade de financiamento .

Dos US$ 17,5 milhões que a CEPI está dedicando ao desenvolvimento de vacinas termoestáveis, ela já concedeu US$ 2 milhões à Tiba Biotech para sua plataforma de entrega de nanopartículas de RNA e US$ 4,3 milhões à Vaxxas para ensaios pré-clínicos em um adesivo de microarray, US$ 3,6 milhões à Gennova Biopharmaceuticals para auto-amplificação da plataforma de mRNA e US$ 1,6 milhão para AvaxziPen — uma plataforma sem agulha para fornecer formulações de vacinas em doses sólidas por meio de um aplicador de caneta.

No caso do microfilme de Jurata, o financiamento do CEPI apoiará ensaios pré-clínicos.

Dado que a tecnologia de mRNA se tornou “uma das ‘estrelas brilhantes’ tecnológicas durante a pandemia de COVID-19”, disse Kromman, vacinas termoestáveis ​​com entrega fácil como a de Jurata serão fundamentais para “avançar no plano de preparação para pandemias da CEPI para acelerar a velocidade e a escala de nossa resposta a futuras epidemias e pandemias e aumentar o acesso a doses de vacinas.”

‘Mais uma iniciativa apoiada pelo controligarca’

A CEPI descreve-se como “uma parceria global inovadora entre organizações públicas, privadas, filantrópicas e da sociedade civil” lançada no Fórum Econômico Mundial (WEF) em Davos em 2017, “para encurtar o tempo de resposta às epidemias através da criação de vacinas que possam ser libertadas rapidamente assim que ocorrer um surto.”

A Fundação Gates cofundou a CEPI com um investimento de US$ 460 milhões. O Wellcome Trust e o WEF também são financiadores. O CEO da CEPI, Dr. Richard J. Hatchett, foi anteriormente diretor interino da Autoridade de Pesquisa e Desenvolvimento Biomédico Avançado dos EUA.

Explicando porque fundou a CEPI, Bill Gates disse:

“Infelizmente, embora haja um risco substancial de epidemias, não existe um mercado natural para vacinas. É preciso que os governos criem a estrutura de incentivos adequada. Se você puder prever quais serão os patógenos e conseguir armazenar vacinas, então isso seria uma resposta muito boa.”

Os funcionários da Fundação Gates ocupam cargos com e sem direito a voto no conselho da CEPI, assim como os funcionários da OMS.

“A CEPI é mais uma iniciativa apoiada pelo ‘Controligarca’ que procura minar a soberania nacional e a autonomia individual sob o pretexto de filantropia e de salvar vidas”, Seamus Bruner , autor de “Controligarcas: expondo a classe bilionária, seus acordos secretos e o conspirar globalista para dominar sua vida”, disse ao The Defender.

“Eles fazem isso aproveitando crises – reais e fabricadas – para transferir a tomada de decisões dos representantes eleitos para os chamados especialistas e organizações supranacionais como a Organização Mundial da Saúde, que são financiadas e controladas por uma elite não eleita – e, portanto, irresponsável –”, Bruner disse.

O financiamento atual faz parte do plano de preparação para pandemias de 3,5 mil milhões de dólares da CEPI , lançado em Março de 2021 para desenvolver tecnologias que aumentem a velocidade e a escala do desenvolvimento de vacinas para pandemias emergentes, de modo a que os tempos de desenvolvimento de vacinas possam ser reduzidos para 100 dias.

Historicamente, as vacinas levaram de 10 a 15 anos para serem desenvolvidas . As vacinas mRNA COVID-19 foram desenvolvidas no âmbito da Operação Warp Speed (Rápido) ​​em menos de um ano.

O número de eventos adversos relatados no Sistema de Notificação de Eventos Adversos de Vacinas (VAERS) apenas com as vacinas contra a COVID-19 não tem precedentes na história da vacina, com 1.872.034 eventos relatados até 24 de novembro.

Investigadores da Correlation Research in the Public Interest estimam que as vacinas estão causalmente ligadas a aproximadamente 17 milhões de mortes em todo o mundo.

A missão da CEPI no âmbito do seu plano de preparação é financiar o desenvolvimento de “plataformas de resposta rápida para desenvolver vacinas contra a ‘Doença X‘” – o nome substituto da OMS para uma doença que é atualmente desconhecida ou não existe, mas que tem o potencial de ser devastadora para a humanidade.

O espectro da Doença X fez parte da justificativa para a Assembleia Mundial da Saúde aumentar o orçamento da OMS em 20% em Junho.

A CEPI argumenta que “quanto mais rápido uma vacina eficaz for desenvolvida e implementada, mais rapidamente uma potencial ameaça pandémica poderá ser contida e controlada se for utilizada”.

“O regime interminável de medicamentos e terapias genéticas em que o CEPI está a trabalhar – administrados através de injeções e outros mecanismos – pode acabar por ser voluntário. Mas se Controligarcas como o principal benfeitor individual da CEPI, Bill Gates, conseguirem o que querem, eles serão obrigatórios”, disse Bruner.

Preparando-se para a ‘Doença X’: Grupo apoiado por Gates financia tecnologia ‘Wafer’ de vacina de mRNA sem agulha - Artigo original em : Children's Health Defense/ The Defender - imagem: The Defender


Obtenha o Extrato de Própolis Verde, Vitamina C, D e Zinco para melhor Imunidade e Proteção contra doenças oportunistas - Clique aqui


Siga-nos: | | e | Inscreva-se na nossa | Nos Apoie: Doar
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Fechar Menu
Entre em nosso Telegram

Entre para nosso canal do Telegram

ENTRAR

Nos siga no X (Twitter)

Compartilhamos nossos artigos e outras informações

SEGUIR

Apoie Coletividade Evolutiva - Doação

Apoie nosso projeto com uma contribuição.

DOAR