Coletividade Evolutiva , A "identificação digital" de Bill Gates se tornará obrigatória para participar da sociedade? , Ciência e tecnologia , Nova ordem mundial , Sociedade e governo , Tecnologia ,

A "identificação digital" de Bill Gates se tornará obrigatória para participar da sociedade?

No dia 8 de novembro de 2023, ocorreu um evento virtual de lançamento da chamada agenda "50 em 5".


A "identificação digital" de Bill Gates se tornará obrigatória para participar da sociedade?
A "identificação digital" de Bill Gates se tornará obrigatória para participar da sociedade? - Republicado Global Research

As Nações Unidas, a Fundação Bill e Melinda Gates e parceiros da Fundação Rockefeller estão lançando uma campanha para acelerar os lançamentos de identidade digital, pagamentos digitais e compartilhamento de dados em 50 países sob o guarda-chuva da infraestrutura pública digital (DPI) até 2028. (Fonte).

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) anunciou planos para lançar "IDs digitais" em todo o mundo até o ano de 2030, e elas serão obrigatórias para as pessoas que desejam participar da sociedade, dizem os defensores da liberdade de expressão e da liberdade individual online.

Sistema de Crédito Social


O impulso para a Infraestrutura Pública Digital (DPI) que inclui. "IDs digitais", passaportes de vacina e moedas digitais de bancos centrais (CBDC) – está sendo defendido pelo WEF globalista e, sem surpresa, é apoiado por Bill Gates, juntamente com a ONU e a União Europeia (UE).

O editor do Sociable, Tim Hinchliffe, diz: 

"Os defensores são inflexíveis de que o DPI é essencial para a participação nos mercados e na sociedade – assim como vimos com os passaportes de vacina – apenas em um escopo muito mais amplo e "Se bem-sucedido, o DPI dará aos governos e corporações o poder de implementar sistemas de crédito social que podem determinar onde e como você pode viajar, o que você tem permissão para consumir e como você será capaz de transacionar com seu dinheiro programável.

"Pense em rastreadores individuais de pegada de carbono, Zonas de Ultra Baixa Emissão (ULEZ) e CBDC programados para restringir compras "menos desejáveis" – todos os quais estão sendo pressionados pelos defensores do grande reset." (Fonte)




A Campanha "50 em 5"


O "50 em 5" se apresenta como "uma campanha de advocacia liderada pelo país. Até 2028, a campanha 50 em 5 terá ajudado 50 países a projetar, lançar e escalar componentes de sua infraestrutura pública digital", de acordo com o anúncio oficial. Os 50 países são designados como bancos de ensaio globais (cobaias) e os DPI serão primeiro em África (subsaariana, em particular) e na Índia, mas o plano é lançar IDs digitais globalmente até 2030 para incluir todos os cidadãos dos Estados-membros da ONU, de acordo com o Planet Today

A campanha "50 em 5" também é, sem surpresa, uma colaboração entre a Fundação Bill e Melinda Gates, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, a Digital Public Goods Alliance e a Co-Develop. 

A Co-Develop foi fundada pela Fundação Rockefeller, pela Fundação Bill Melinda Gates, pela Nilekani Philanthropies e pela Omidyar Network. A Digital Public Goods Alliance lista as fundações Gates e Rockefeller em seu roteiro apresentando "atividades que promovem bens públicos digitais", juntamente com outras organizações e vários governos. (Fonte)

A Infraestrutura Pública Digital (DPI) é essencial para que os países melhorem as suas economias e o bem-estar das pessoas.

Junte-se a nós no lançamento da iniciativa #50in5 para discutir como a construção de DPI inclusivo pode promover economias fortes e sociedades equitativas;

Os DPIs estão sendo vendidos como um mecanismo de inclusão financeira, conveniência, melhoria da saúde e progresso verde. Mas é uma "frase abrangente aplicada a um sistema de governança tecnocrático iminente alimentado por três componentes fundamentais: ID digital, pagamentos digitais como moedas digitais de bancos centrais (CBDCs) e compartilhamento massivo de dados".

O Fórum Econômico Mundial


O WEF publicou uma série de artigos em setembro essencialmente pressionando pela aplicação do DPI e, claro, o WEF está lá "pensando nas crianças" como o melhor deles, "Os direitos das crianças em todo o mundo podem ser impulsionados investindo em infraestruturas públicas digitais", disse uma legenda em um artigo publicado em 18 de setembro de 2023, intitulado

"Dois terços dos ODS relacionados às crianças estão fora do ritmo para cumprir as metas": Eis por que devemos investir em infraestrutura pública digital agora.

"2023 marca o meio do caminho para alcançar os objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS) das Nações Unidas", lembra o WEF, esta marca intermediária "é uma oportunidade para "avaliar e recalibrar" os esforços para concretizar os direitos de todas as crianças, em todos os lugares e com apenas sete anos pela frente, para a meta de 2030, dois terços dos indicadores relacionados com a criança estão fora do ritmo para cumprir as suas metas, de acordo com um novo relatório da UNICEF, (Para cada criança, um futuro sustentável) For Every Child a Sustainable Future.

  • 1,9 bilhão de crianças deixadas para trás – Se o progresso recente continuar, apenas 60 países, onde vivem apenas 25% da população infantil, terão cumprido suas metas até 2030, deixando cerca de 1,9 bilhão de crianças em 140 países para trás.
  • O mundo de hoje parece improvável de alcançar as metas ambiciosas que estabelecemos para as crianças em 2015.
  • Fome – O mundo está de volta a níveis de fome não vistos desde 2005, e os preços dos alimentos continuam mais altos em mais países do que no período de 2015 a 2019.
  • Crianças estão sem habilidades básicas – Enquanto na educação, dados mostram que 600 milhões de crianças e adolescentes não estão adquirindo habilidades básicas de leitura e matemática e 11 milhões de crianças adicionais de dez anos não têm habilidades fundamentais.

A "Solução" para o "Problema"? O "problema", diz o WEF, tem sido a pandemia, claro, que "agravou a situação", e a infraestrutura pública digital é a "solução", uma vez que foi identificada como uma "transição fundamental necessária para acelerar a ação e os resultados dos ODS para as crianças até 2030".

Proteger os "direitos ou a segurança das crianças" tem sido uma tática usada antes pelos globalistas não eleitos, ao mesmo tempo em que promove um sistema tecnocrático que realmente retirará os direitos de todos os indivíduos, incluindo as crianças.

"DPI é um chavão usado em concórdia um tanto interessante/alarmante por organizações como a ONU, mas também a União Europeia (UE), a Fundação Gates e, claro, o Fórum Econômico Mundial (WEF) nunca está completamente fora de qualquer um desses quadros.

"O que os DPIs devem fazer, na melhor das hipóteses, é ajudar o desenvolvimento de várias maneiras. Aqueles que se aprofundam em platitudes e "corporatespeak" vindos dessas organizações, no entanto, estão descartando o termo e a política como um ardil para acelerar a introdução de IDs digitais e pagamentos, com prazo até 2030.

Eles concluem: "Se você é um cidadão de um Estado-membro da ONU, e seu governo (ou seja, contribuintes) está contribuindo para vários esforços da ONU e, você se sente desconfortável ou apenas insuficientemente informado sobre tudo isso, bem, muito ruim. Eles estão indo em frente de qualquer maneira." (Fonte). - Artigo republicado do: Global Research


Obtenha o Extrato de Própolis Verde, Vitamina C, D e Zinco para melhor Imunidade e Proteção contra doenças oportunistas - Clique aqui


Siga-nos: | | e | Inscreva-se na nossa | Nos Apoie: Doar
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Fechar Menu
Entre em nosso Telegram

Entre para nosso canal do Telegram

ENTRAR

Nos siga no X (Twitter)

Compartilhamos nossos artigos e outras informações

SEGUIR

Apoie Coletividade Evolutiva - Doação

Apoie nosso projeto com uma contribuição.

DOAR