Vídeo: A humanidade sob ataque de armas climáticas, inundações/tempestades, secas, ciclones e muito mais

Dane Wigington, o principal pesquisador da Geoengineering Watch, disse que essas operações visam o fornecimento de alimentos.

Coletividade EvolutivaGeoengenhariaVídeo: A humanidade sob ataque de armas climáticas, inundações/tempestades, secas, ciclones e muito mais



Vídeo: A humanidade sob ataque de armas meteorológicas, inundações/tempestades, secas, ciclones e muito mais

A engenharia climática é a maior e mais imediata ameaça contra a humanidade, alerta o especialista em geoengenharia Dane Wigington. Dane Wigington observou que as operações de intervenção climática estão desabilitando a capacidade do planeta Terra de se restaurar.

Wigington, o principal pesquisador da Geoengineering Watch, disse que essas operações visam o fornecimento de alimentos. Regiões agrícolas estão sendo alvo de armas climáticas, causando o colapso de plantações, seja pela seca extrema, inundações/tempestades, ciclones, terremotos ou até mesmo, furacões. A pesca também está sendo alvo, com 90% das populações globais de peixes pelágicos em declínio.

"As operações de intervenção climática estão desabilitando a capacidade do planeta de responder aos danos já causados – ao mesmo tempo em que infligem ainda mais danos no processo", disse ele ao fundador da Informed Consent Action Network, Del Bigtree, durante uma recente aparição no programa "The HighWire".

"Esses programas não são benevolentes de forma alguma. Todas as formas de modificação do tempo são simplesmente usadas como uma cortina de fumaça para mascarar as operações de intervenção climática exponencialmente maiores e inimaginavelmente mais destrutivas, também conhecidas como guerra climática. Há muitas camadas, objetivos e agendas mascarando a verdadeira gravidade dos danos já causados ao planeta."

Enquanto isso, Bigtree destacou que a China e outros países estão envolvidos nessa guerra climática. Ele acrescentou que o complexo militar-industrial poderia usar essa tecnologia para criar uma seca e devastar outras nações envolvidas em conflitos.

Wigington concordou, dizendo que essas tecnologias de geoengenharia são a "joia da coroa" das armas de destruição em massa (ADMs). Isso ocorre porque os controladores de tais armas do clima podem colocar as pessoas de joelhos sem que os alvos saibam que estão sob ataque.

Reportagem antiga que revelou alguns pontos reais da manipulação climática - HAARP:
Assista antes que o YouTube remova

Comunidade científica está mentindo sobre geoengenharia


Wigington ressaltou que esse engano vem acontecendo há décadas. Wigington citou a existência de filmagens de 1923 com aeronaves patenteadas com mecanismos de pulverização. Os padrões, tanques, tubos e bombas dentro dos aviões estão dispersando exatamente o que as pessoas estão vendo nos céus hoje, acrescentou.

As pessoas não podem escapar do que está acontecendo nos céus, de acordo com Wigington. Essas operações de manipulação do clima não apenas destroem a camada de ozônio e os sistemas de suporte à vida do planeta, mas também contaminam tudo no planeta – incluindo o ar e a chuva. Um dumping global consistente resultaria em cerca de 40 a 60 milhões de toneladas de nanopartículas tóxicas de engenharia climática sendo despejadas nos céus anualmente, acrescentou.

Wigington finalmente disse a Bigtree que a gravidade e o imediatismo do que já está se desenrolando nos céus, juntamente com a ameaça que representa para todos na Terra, devem ser tratados logo antes que todas as preocupações se tornem pontos discutíveis.

"Para aqueles que estão fingindo que esses problemas estão em outro lugar do mundo e não os afetarão – isso é como fingir que você faz parte do navio que não foi para debaixo d'água, mas está seguro porque você não está na parte que está debaixo d'água", disse ele. "É novamente uma visão muito míope."

As manipulações climáticas estão acontecendo no Brasil? O Brasil sob ataque?


Wigington também observou que a chamada comunidade científica está mentindo sobre geoengenharia. Afirma que a geoengenharia é impossível, pois não existem tecnologias para isso. No entanto, só os Estados Unidos possuem pelo menos 175 patentes de modificação climática. 

Também um relatório da Casa Branca recentemente revelado faz uma recomendação de geoengenharia para que os Estados Unidos implementem o que foi apelidado de modificação da radiação solar, que alteraria a composição química da atmosfera de tal forma que muito menos luz solar chegue à superfície da Terra.

Há inúmeras sugestões feitas no relatório para alcançar a modificação climática além do simples bloqueio solar. Um dos outros métodos propostos envolve a pulverização da estratosfera com aerossóis químicos, uma tecnologia mais popularmente conhecida como chemtrails.

Os militares dos EUA, Rússia e até a China podem controlar o clima. Isso é confirmado por um documento da Força Aérea dos EUA intitulado “Clima como um multiplicador de força: possuindo o clima em 2025”. E de fato, estamos vendo um amento alarmante, atacando grandes cidades com inundações, altas temperaturas, secas extremas etc...

Isso está acontecendo em todo o mundo há anos, no entanto, entramos em 2023 com esses programas intensificados. De fato, as chuvas que atingem desde outubro em Santa Catarina, por exemplo, há pelo menos em duas semanas causou seis mortes, provocou estragos em 149 cidades e fez 26.509 pessoas desabrigadas no estado - a intenção é colapsar o agro e a economia.

Por outro lado, segundo o Levantamento da Confederação Nacional dos Municípios revela que 5,8 milhões de brasileiros foram diretamente afetados pelo impacto das chuvas e das secas em 2023, incluindo casos de perda de vidas, desalojamentos e perdas econômicas significativas. Agora o calor extremo está sendo a norma em algumas partes do Brasil - enquanto outras, estão sendo assoladas por fortes chuvas, ventos e até ciclones.

As fortes chuvas de outubro em Santa Catarina geraram perdas severas na agropecuária do Estado. Levantamento da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), divulgado nesta sexta-feira (20/10), aponta que as lavouras mais afetadas foram as de trigo, fumo e cebola. Em seguida, estão lavouras permanentes e as benfeitorias.

Dos 160 municípios catarinenses que decretaram situação de emergência, já foi mapeada a área rural de 155, com perdas registradas em 46.941 propriedades.

Segundo a CNN Brasil, 5,8 milhões de brasileiros foram afetados pelas chuvas e secas em 2023. Foram 1.825 decretos causados pelas chuvas e 1.348 provocados pela seca. Dos R$ 50,5 bilhões de prejuízos econômicos do país causados por desastres supostamente naturais, o setor mais impactado foi a agricultura, com prejuízos de R$ 3 bilhões

Os 249 desastres naturais registrados em 2023 afetaram 52,6 milhões de pessoas e mataram 62,4 mil —, segundo dados do Emergency Events Database (EM-DAT), considerando janeiro a outubro. De acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas) o número de impactados por tragédias aumentou 80% em oito anos.

Ao todo, 98 países foram afetados por tragédias, como tempestades, incêndios, atividades vulcânicas, ondas de calor severas e inundações catastróficas – a ponto de estudos apontarem que enchentes que acontecem a cada 100 anos podem ser anuais até fim do século. As mudanças climáticas e todas catástrofes decorrentes revelam o quanto o planeta Terra está doente e a população vulnerável.
Anúncio
Anúncio
Sugestão de suplemento

Postar um comentário

0 Comentários

Fechar Menu
Fique por dentro do nosso Telegram

SEGUIR

Entre para nosso Canal WhatsApp

Recebar notícias diretamente no WhatsApp

SEGUIR
SUPLEMENTOEvite deficiências nutricionais com Extrato de Própolis Verde, Vitamina B, E, C, D3, A, Selênio e Zinco. Obter já