Crianças de Gaza de até 10 anos e mulheres participaram de massacre maciço de judeus em Israel em 7 de outubro

Vários vídeos foram divulgados e publicados após os terríveis e maléficos ataques de bárbaros do Hamas contra civis israelenses


Crianças doutrinadas de Gaza de até 10 anos e mulheres participaram do massacre maciço contra judeus em Israel em 7 de outubro
Um jovem de Gaza se junta aos terroristas do Hamas enquanto eles massacram 1.400 judeus em Israel.

Há um mês, em 7 de outubro de 2023, terroristas do Hamas invadiram a fronteira com Israel e assassinaram 1.400 israelenses e estrangeiros, na maior matança em massa de judeus desde a Segunda Guerra Mundial e o Holocausto.

Mais de 240 judeus também foram feitos reféns naquele dia, incluindo crianças, idosos, homens e mulheres. 
As crianças mais novas tinham cerca de 10 anos, de acordo com vários dos sobreviventes, um dos quais forneceu fotografias de algumas das mulheres e crianças que viu. Os sobreviventes falaram em um hotel em Eilat, cidade turística do Mar Vermelho de Israel, onde a maioria deles foi temporariamente realocada.

Vários vídeos foram divulgados e publicados após os terríveis e maléficos ataques de bárbaros do Hamas contra civis israelenses e jovens adultos e crianças na festa de dança Nova no sul de Israel.

O Hamas planejou intencionalmente atacar e assassinar adolescentes e jovens adultos inocentes em uma festa de dança no deserto durante o ataque. O Hamas também planejou massacrar judeus nas aldeias locais e saquear seus pertences.

Em um desenvolvimento chocante, o Washington Free Beacon revelou que crianças e mulheres se juntaram aos assassinos em massa enquanto massacravam judeus em Israel.

Erez Calderon, um menino judeu de 12 anos de Nir Oz, foi uma das crianças israelenses sequestradas por terroristas do Hamas em 7 de outubro. Observe o jovem do Hamas com uma arma que ajuda a arrastá-lo para Gaza.

Crianças de até 10 anos se juntaram ao assassinato em massa de judeus.

Smilansky foi um dos doze sobreviventes do massacre de Nir Oz que disseram ao Washington Free Beacon que testemunharam meninos ou mulheres da Faixa de Gaza saqueando o kibutz, ajudando os terroristas armados e, aparentemente, se divertindo. 

Embora o envolvimento de crianças e mulheres de Gaza no ataque terrorista do Hamas não seja amplamente compreendido, existem evidências de domínio público. Um vídeo online do sequestro de um menino israelense de 12 anos em Nir Oz, Israel, parece mostrar um menino de Gaza da mesma idade acompanhando os sequestradores. 

Meninos estavam entre a multidão de habitantes de Gaza gravados cruzando para Israel depois que terroristas do Hamas invadiram a fronteira. E um cordelista da Associated Press, ligado ao Hamas, fotografou um menino de Gaza entrando em Kfar Aza, um kibutz cerca de 15 quilômetros ao norte de Nir Oz.

O Hamas usou suas quase duas décadas de domínio sobre Gaza para armar uma geração de palestinos contra o Estado judeu, segundo analistas. Além das crianças, centenas de cidadãos comuns de Gaza, incluindo adolescentes, se juntaram ao ataque sangrento do Hamas pelas comunidades do sul de Israel, informou o Free Beacon.

"O Hamas orientou o sistema educacional, a mídia e as instituições religiosas a fazer lavagem cerebral nas crianças, que representam metade da população de 2,2 milhões de habitantes de Gaza", disse Michael Milshtein, chefe do Fórum de Estudos Palestinos do Centro Moshe Dayan da Universidade de Tel Aviv, ao Free Beacon. "Os israelenses tiveram seu primeiro olhar de perto para esta geração Z palestina em 7 de outubro."

Leia o resto aqui.
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Suplemento Multivitamínico



Este site usa cookies e outros serviços para melhorar sua experiência. Ao usar nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade e Termos.