Teia de controle: ONU busca controle global a vacinação e documentos digitais de saúde

A Declaração enfatiza fortemente a "cooperação internacional" para garantir o acesso mundial às vacinas,"documentos de saúde" digitais...


Política de Pandemia da ONU busca acesso global a vacinas e documentos digitais de saúde

A "Declaração Política da Reunião de Alto Nível da Assembleia Geral das Nações Unidas sobre Prevenção, Preparação e Resposta a Pandemias" está a circular entre os Estados-membros da ONU através de um procedimento de silêncio, em que o silêncio é interpretado como a aceitação do documento por um Estado-membro.

Se um Estado-membro enviar uma carta ou e-mail ao presidente da Assembleia Geral da ONU (AGNU) se opondo ao documento, o presidente "pode escolher" encaminhar o projeto de resolução a certos representantes da ONU para revisão, a ser seguida por "outra rodada do procedimento de silêncio".

No entanto, se não houver objeções no prazo de 72 horas a contar do momento em que o documento for distribuído, ele será oficialmente adotado por todos os Estados-membros. (Diretrizes da OMS e Tratado de Pandemia para impor ao mundo: Advogados faz alerta global, defenda-se agora ou será tarde demais!)

A Declaração Política enfatiza fortemente a importância do acesso global às vacinas não apenas para enfrentar pandemias reais, mas como medida preventiva. O documento expressa a aspiração da ONU a um esforço globalmente coordenado para fornecer tais vacinas, afirmando que seu primeiro objetivo acionável é:

"Fortalecer a cooperação regional e internacional, o multilateralismo, a solidariedade global, a coordenação e a governança nos mais altos níveis políticos e em todos os setores relevantes, com a determinação de [garantir] o acesso eficiente e oportuno a contramedidas médicas, incluindo vacinas... para prevenir, preparar e responder a pandemias e outras emergências de saúde..."

Declaração: "hesitação vacinal" um problema a ser combatido


A Declaração considera a adoção de vacinas uma prioridade tão alta que considera qualquer mensagem encorajando a "hesitação vacinal" um problema a ser combatido. Um dos objetivos declarados do documento, portanto, é combater os "impactos negativos" da chamada "desinformação, desinformação, discurso de ódio e estigmatização relacionados à saúde, especialmente nas plataformas de mídia social, na saúde física e mental das pessoas, incluindo o combate à hesitação vacinal no contexto da prevenção da pandemia". "

No contexto do surto de COVID-19, a "hesitação vacinal" foi geralmente expressa devido a preocupações sobre o prazo extraordinariamente curto para desenvolver e testar "vacinas" COVID;tecnologia nova de mRNA que, até as vacinas COVID, era frequentemente abandonada pelas empresas farmacêuticas por causa de preocupações de toxicidade; e a disparada dos relatos de mortes e feridos após o lançamento dos covid-19.

O documento apela ainda ao reconhecimento do potencial das tecnologias digitais de saúde no reforço das comunicações seguras em situações de emergência sanitária, na implementação e apoio a medidas de saúde pública e no reforço dos esforços nacionais de resposta a pandemias", bem como à importância de "documentos de saúde digitalizados".

Embora a Declaração não especifique exatamente o que essas "tecnologias digitais de saúde" implicariam, elas poderiam teoricamente incluir passaportes digitais de vacina, que estão sendo desenvolvidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e União Europeia. Se implementados, esses passaportes poderiam ser vinculados a identidades digitais propostas pela ONU.

O rastreamento digital de contatos também pode ser mais amplamente usado durante o próximo surto da doença, considerando que a ONU compartilhou a orientação da OMS sobre o uso do rastreamento de contatos durante o surto de COVID-19.

ONU :"acesso universal aos serviços de saúde sexual e reprodutiva" até 2030


A Declaração defende ainda o "acesso universal aos serviços de saúde sexual e reprodutiva" até 2030, que a ONU tradicionalmente define como incluindo o aborto.

Também parece promover cuidados de saúde socializados, defendendo "uma abordagem de todo o governo e de toda a sociedade para alcançar a cobertura universal de saúde", bem como a "extensão" da "reunião de recursos alocados à saúde" e a "alocação equitativa dos gastos em saúde".

A Declaração Política da Pandemia também pede a promoção da "partilha justa, equitativa e oportuna dos benefícios decorrentes do uso de patógenos, sequências ou quaisquer outros materiais, com potencial pandêmico por meio de um sistema multilateral", mas não especifica a natureza de tais benefícios, Relata o Life site News
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Uma pequena pausa antes de continuar


Este site usa cookies e outros serviços para melhorar sua experiência. Ao usar nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade e Termos.