Coletividade Evolutiva , Bill Gates está apoiando iniciativa do Banco Mundial para controle global digital, diz especialista em criptomoedas , Ciência e tecnologia , Mundo , Tecnologia ,

Bill Gates está apoiando iniciativa do Banco Mundial para controle global digital, diz especialista em criptomoedas

Você não será dono de nada e ficará feliz porque tudo o que você possui estará em uma rede controlada pelo Banco Central


Bill Gates está apoiando iniciativa do Banco Mundial para controle global digital, diz especialista em criptomoedas
Bill Gates

O comentarista de criptomoedas do Reino Unido Guy Turner alertou recentemente que um sistema monetário global ligado à identidade está chegando ao Ocidente – em grande parte em segredo. Coletividade Evolutiva alertou sobre isso, que: Uma parte vital da agenda global também é a conectividade digital e o estabelecimento de um Pacto Digital Global.

"Você não será dono de nada e ficará feliz porque tudo o que você possui estará em uma rede controlada pelo Banco Central, onde o governo pode desligar sua propriedade a qualquer momento. Trazido a você, como tantas vezes, por Bill Gates e pela agenda do Fórum Econômico Mundial."

Em dois vídeos abaixo, transmitidos em julho e agosto, Turner – cofundador da empresa de criptomoedas Coin Bureau, com sede em Dubai – descreve como um movimento pouco divulgado apoiado por Bill Gates está abrindo caminho para uma moeda digital globalizada, ligada a uma identidade digital ao estilo chinês.

Em sua análise sobre o impacto dos novos sistemas de pagamento digital, Turner diz: "Você não será dono de nada e ficará feliz porque tudo o que você possui estará em uma rede controlada pelo Banco Central, onde o governo pode desligar sua propriedade a qualquer momento".

"Trazido a você, como tantas vezes, por Bill Gates."

Quando uma nova moeda digital do Federal Reserve dos EUA chamada FedCoin foi lançada (e imediatamente hackeada), Turner revelou em sua primeira análise que um programa do Banco Mundial apoiado pela Fundação Bill e Melinda Gates está em andamento.

Seu objetivo é a abolição dos pagamentos em dinheiro e com cartão no âmbito de um projeto conhecido como FASTT.


FASTT – que significa "Transações sem atrito, acessíveis, seguras e oportunas" é administrado pelo Grupo de Desenvolvimento de Sistemas de Pagamento (PDSG) do Banco Mundial, cujo próprio site descreve um de seus principais objetivos como "convocação global" em torno da "criação, curadoria e disseminação de conhecimento sobre sistemas de pagamento globais".

Turner alerta que esse sistema FASTT, que está sendo implementado quase sem conhecimento público, é a base para uma moeda digital global centralizada – em si um trampolim para a identificação digital e um sistema de crédito social com alcance mundial.

O cofundador do Coin Bureau admite alegremente que sua segunda apresentação – sobre o futuro globalista digital – soa como uma teoria da conspiração paranoica.

"Identificação digital para tudo? Cidades inteligentes que acompanham seu movimento? Moedas Digitais do Banco Central para todas as transações? Restrições ao dinheiro? Compartilhar suas informações nas redes sociais para criar uma conta bancária?", questionou retoricamente.

"Tudo parece uma teoria da conspiração, você pode dizer."

"Bem, essa é a realidade no terreno na Nigéria hoje, e amanhã será uma realidade em seu país também."

Turner diz que, embora esses planos estejam bem avançados, "o primeiro passo para fazer qualquer coisa" para impedi-lo é "ser informado".

Ambos os seus vídeos se baseiam em informações de domínio público, e das quais ele afirma que uma "conclusão lógica" pode ser tirada.  (Veja também: O Real digital: a armadilha para um Brasil sem dinheiro, apenas números na tela para escravidão digital)

"O fim do jogo é o controle... para influenciar como vivemos nossas vidas, influenciar como gastamos e onde gastamos", diz ele.

Então, quem está jogando este jogo, e o que pode ser feito sobre ele?

Objetivos Globalistas


Turner argumenta que organismos internacionais públicos e privados, como o WEF e a ONU, estão trabalhando juntos para promover esse sistema digital de controle financeiro, que pode facilmente se associar a uma identificação digital para formar um estado de vigilância permanente e automatizado.

Ele se refere ao fato de que o Banco Mundial, cujo sistema de pagamentos FASTT é patrocinado pela Fundação Gates, existe para fornecer empréstimos ao desenvolvimento. Está buscando abolir o dinheiro e os cartões e coordenar uma moeda digital e identidade global. É provável que estes sejam policiados pela ideologia "woke".

Em seu vídeo de 19 de julho, Turner afirma: "O Banco Mundial atribui condições aos seus empréstimos". Essas condições estão atreladas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas – parte de sua Agenda 2030. Essas metas, idênticas em muitos aspectos às pontuações ESG promovidas pelo Fórum Econômico Mundial, atribuem penalidades ao uso de combustíveis fósseis e recompensam a promoção de iniciativas LGBTQ e de "diversidade" semelhantes.

Essas medidas, diz Turner, podem "prender os países em desenvolvimento na pobreza", penalizando o uso de energia barata e disponível.

A BlackRock admitiu em seu Outlook 2023 que a implementação agressiva dessas políticas encerrou o período de prosperidade no Ocidente conhecido como a Grande Moderação.

Scott Shepard, do Centro Nacional de Pesquisa de Políticas Públicas dos EUA, disse que o relatório da BlackRock mostrou como esses sistemas de pontuação inspirados na ONU e no WEF devolveram "uma nova era de esclerose econômica" ao Ocidente, substituindo sua competência institucional pela instabilidade devido à promoção de pessoas com base na "discriminação baseada na equidade", e não no talento.

Controle Digital


Turner mostra como o sistema financeiro global já vincula sua agenda social e ambiental ao acesso – ou restrição – da oferta monetária.

É um modelo óbvio para o comportamento futuro sob um sistema onde todo o dinheiro está sob o controle de um sistema global digitalizado.

Ele mostra como novos produtos financeiros estão sendo introduzidos de uma forma que deixa o público mal informado sobre o que está acontecendo com sua liberdade financeira e pessoal.

O primeiro passo é um sistema de pagamentos destinado a coordenar o banco digital transfronteiriço. Este é o FASTT.

A segunda é a introdução das CBDCs – Moedas Digitais do Banco Central. Essas moedas são digitais como o Bitcoin, mas ao contrário do Bitcoin estão sob o controle total de um banco central do governo.

A substituição de transações em dinheiro e cartão por uma moeda digital é uma transição necessária para habilitar um sistema global de identificação digital. No entanto, Turner também alerta que, embora os governos estejam avançando com CBDCs, o projeto de pagamento FASTT produzirá um resultado idêntico.

"Combinar diferentes operações de pagamento – como pagamento rápido, códigos QR – poderia alcançar muitos dos mesmos objetivos (como CBDCs)", diz ele, mostrando que o FASTT, e sua substituição de dinheiro e cartões por códigos QR, é simplesmente outro meio para o fim de um sistema de moeda digital controlado globalmente.

Bitcoin – Um meio de fuga


Turner defendeu o Bitcoin como um meio de proteger seu dinheiro e se libertar de um sistema emergente de moeda digital global e controle de identidade.

Embora ele promova o Bitcoin como uma "proteção" contra um sistema que ele diz já estar em andamento, ele também argumenta que o entendimento público é fundamental para impedir o lançamento de sistemas de moedas digitais globalizados ligados à identidade e ao "crédito social"

Ele já falou antes sobre as ligações entre novos sistemas de pagamentos bancários, moedas digitais de bancos centrais e os objetivos das Nações Unidas e do Fórum Econômico Mundial. Como Turner disse à Kitco News em outubro de 2022, "The Great Reset é muito sobre como o "capitalismo das partes interessadas" pode criar raízes... e muito disso é sobre controle e vigilância."

Ele menciona que criptomoedas descentralizadas como o Bitcoin são vistas como uma ameaça às moedas digitais globais planejadas, cujos objetivos contradizem a liberdade de seu sistema anônimo e aberto.

Surgiram relatórios afirmando que as criptomoedas fora do controle do governo poderiam "fazer com que o Grande Reset falhasse".

Turner continuou sua entrevista com um aviso.


"É aqui que entram as CBDCs. A ideia de poder ver o que as pessoas estão gastando, quando estão gastando, com o que estão gastando, e até mesmo colocar limites nessas coisas, é uma das partes mais assustadoras."

Por que isso é tão assustador?

Bem, de acordo com Turner, uma moeda digital globalizada e um sistema de identificação podem estar ligados ao seu comportamento online e offline.

"Digamos que você exceda sua reserva anual de carbono... Então você não pode fazer isso, você não pode fazer aquilo. Mas você pode fazer isso se apenas comprar mais créditos de carbono. Trata-se de extrair dinheiro das pessoas comuns."

Além de "extrair dinheiro", tal sistema também permite um sistema de "crédito social" ao estilo chinês, onde qualquer pessoa pode ver suas liberdades pessoais, muito menos acesso ao seu dinheiro, restringidas por causa de sua atividade nas redes sociais ou porque se envolveu com pessoas consideradas "indesejáveis" pelo Estado.

Crédito Social Chinês


De acordo com a NHI Global Partners, uma empresa global de recrutamento, os termos do sistema de crédito social chinês são "... intencionalmente amplo e vago... permitindo a máxima flexibilidade política"

O NHI relata que o sistema de crédito social é baseado na promoção da "confiança", que inclui informações sobre comportamento legal, financeiro e social. Pessoas físicas e jurídicas são pontuadas de acordo. O sistema inclui várias listas negras e sanções, com "punições e recompensas" atribuídas por uma rede automatizada que está sendo constantemente refinada.

Como diz o NHI, "o eventual 'estado final' do sistema é um registro unificado para pessoas, empresas e governo, que pode ser monitorado em tempo real".

Guy Turner, junto com muitas outras pessoas e grupos, como o Instituto Mises Libertário Econômico, argumenta que a arquitetura para esse sistema de controle completo está sendo preparada no Ocidente agora.

Apesar do impulso bem financiado por trás desse projeto globalista, Turner continua convencido de que um público bem informado agirá para impedir que essa distopia seja realizada.

"Tudo o que temos de fazer é manter o ritmo e vamos ganhar a corrida"

Vídeos do texto:

Vídeo 1

Vídeo 2


Original em: Life Site News

Obtenha o Extrato de Própolis Verde, Vitamina C, D e Zinco para melhor Imunidade e Proteção contra doenças oportunistas - Clique aqui


Siga-nos: | | e | Inscreva-se na nossa | Nos Apoie: Doar
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Fechar Menu
Entre em nosso Telegram

Entre para nosso canal do Telegram

ENTRAR

Nos siga no X (Twitter)

Compartilhamos nossos artigos e outras informações

SEGUIR

Apoie Coletividade Evolutiva - Doação

Apoie nosso projeto com uma contribuição.

DOAR