Esterilizante geneticamente modificado para gatos e cães – em breve também para humanos?

Os cientistas lutam para desenvolver esse produto há mais de 20 anos, mas todos os esforços falharam – até agora.

Coletividade EvolutivaCiênciaEsterilizante geneticamente modificado para gatos e cães – em breve também para humanos?



Vírus da infertilidade geneticamente modificado criado para gatos e cães – em breve também para humanos?

Os especialistas chamam isso de santo graal da contracepção para animais de estimação: uma única injeção ou pílula que esterilizaria permanentemente cães e gatos sem a necessidade de uma cirurgia de castração. Os cientistas lutam para desenvolver esse produto há mais de 20 anos, mas todos os esforços falharam – até agora.

Em um estudo publicado na Nature Communications, pesquisadores relatam uma abordagem de terapia gênica que parece esterilizar a concepção em gatas. Os pesquisadores administraram com sucesso um adenovírus mutado por genes em gatos, o que os torna inférteis. Eles nem estavam dispostos a acasalar após a infecção, que foi acompanhada por efeitos colaterais, como um "resfriado inofensivo". Quanto tempo você acha que levará para que esse vírus seja desenvolvido para humanos?

Se você é mulher, imagine que tem algum tipo de "resfriado leve" e pouco tempo depois perde todo o interesse sexual. E mesmo que você ainda tenha relações sexuais (por exemplo, por causa do desejo de ter filhos), você simplesmente não vai engravidar. Isso soa utópico? Quem sabe por quanto tempo. Um estudo com gatos mostra que talvez nem estejamos tão longe desse cenário.

"Esta pesquisa é um grande salto – estamos muito animados com isso", diz Joyce Briggs, presidente da Alliance for Contraception in Cats & Dogs, uma organização sem fins lucrativos que defende um contraceptivo não cirúrgico desde 2000. Briggs diz que, se a abordagem puder ser ampliada - e funcionar também em cães - pode causar um "enorme impacto" na crise de superpopulação de cães e gatos em todo o mundo.

Assim, cientistas americanos desenvolveram um adenovírus feito sob medida (AAV9-fcMISv2). Eles inseriram a versão felina do gene AMH em um adenovírus inofensivo, que é frequentemente usado em terapia gênica para introduzir genes de substituição nas células. AMH significa "hormônio anti-Mülleriano", que é produzido pelos folículos no ovário. 

David Pépin, que trabalha como biólogo reprodutivo no Hospital Geral de Massachusetts, vem pesquisando esse hormônio há algum tempo. Quando, em um experimento, ele aumentou a expressão do hormônio em camundongos fêmeas, seus ovários pararam de formar folículos, o que fez com que os animais fossem esterilizados.

Então, esse experimento foi repetido em gatos. Um artigo na revista "Nature" afirma:

"No entanto, se o cio é definido pelo comportamento da fêmea, o que permite escalada e coito, um efeito do tratamento pode ser claramente observado. Todas as três fêmeas controle acasalaram repetidamente com ambos os machos, enquanto quatro das seis fêmeas tratadas rejeitaram qualquer tentativa de acasalamento pelos machos reprodutores durante ambas as tentativas de acasalamento (Tabela 1 e Tabelas 1 e 2 suplementares). [...] Em contraste, nenhuma das fêmeas tratadas com AAV9-fcMISv2 deu à luz a prole em ambos os ensaios, e nenhum saco gestacional ou fetos foram observados durante as ultrassonografias semanais. Como nenhuma prole nasceu de fêmeas tratadas, não investigamos a transmissão materno-fetal do AMH."

Bem, não são apenas os gatos que são afetados pelo hormônio anti-Mülleriano, os humanos também. É o que demonstra, por exemplo, outro estudo. Embaladas em um adenovírus "inofensivo" que se espalha rapidamente entre a população e não causa suspeitas, uma grande proporção de mulheres em todo o mundo estaria infértil em poucos meses. 

Quando tudo isso for revelado, já seria tarde demais. Dentro de algumas décadas, pode não haver ou quase não haver pessoas na Terra – além de grupos amplamente autossuficientes que não têm contato significativo com o mundo exterior. Provavelmente, antes de liberar um vírus tão manipulado, os despovoadores separariam deliberadamente alguns poucos selecionados, a fim de influenciar o desenvolvimento da humanidade de acordo com suas ideias.

Distopia pura? Ou será que uma potencial arma biológica para a extinção da humanidade foi encontrada "por acaso" sem muito derramamento de sangue? Simplesmente esterilizando todas as mulheres com um vírus tão geneticamente modificado? Às elites globalistas certamente não falta dinheiro e poder para construir refúgios apropriados com pessoas que não estão contaminadas viralmente. 

Em partes remotas do mundo, essas pessoas e seus descendentes também poderiam ser doutrinados no espírito dessas elites e preparados para a vida após a grande extinção. Deixamos para você avaliar a probabilidade de tal cenário...

Referência: Report24
Anúncio
Anúncio
Sugestão de suplemento

Postar um comentário

0 Comentários

Fechar Menu
Fique por dentro do nosso Telegram

SEGUIR

Entre para nosso Canal WhatsApp

Recebar notícias diretamente no WhatsApp

SEGUIR
SUPLEMENTOEvite deficiências nutricionais com Extrato de Própolis Verde, Vitamina B, E, C, D3, A, Selênio e Zinco. Obter já