Pandemia de vacinas: quanto mais doses ("Reforço") maior é o risco de doenças e mortes, alertam especialistas

Quanto mais doses uma pessoa toma, mais problemas de saúde duradouros, em particular com seus corações, alertam cardiologistas


Pandemia de vacinas: quanto mais doses maior é o risco de doenças e mortes, alertam especialistas

Dois cardiologistas especializados no assunto, estão alertando as pessoas para que parem de receber terapia genética/ substância tecnológica chamada de vacinas mRNA contra o coronavírus, porque quanto mais doses uma pessoa toma, mais 
 problemas de saúde duradouros, em particular com seus corações. Como tal, a administração das vacinas tem de ser interrompida, e quanto mais cedo, melhor.

O Epoch Times informou que o Dr. Aseem Malhotra e o Dr. Peter McCullough dizem que as vacinas fizeram mais mal do que bem e que uma grande porcentagem de pessoas que tomaram as vacinas sofreram problemas de saúde. 

Eles até citaram os dados V-Safe dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), que descobriram que um quarto daqueles que tomaram uma vacina de mRNA ficaram incapacitados no dia seguinte, com cerca de 8% procurando atendimento em uma sala de emergência ou tendo que ser hospitalizado.

“Esta é a vacina mais tóxica pelos dados do CDC que já vimos na medicina clínica”, disse McCullough durante uma entrevista recente com Malhotra para o programa “American Thought Leaders” da EpochTV.

“Acho que todas as condições cardiovasculares pioraram por causa da vacina, e tudo e qualquer coisa que pode dar errado com o coração deu errado com o coração como resultado dessa vacina de mRNA”, acrescentou Malhotra, que escreveu muito sobre como reverter doenças cardíacas mudando estilos de vida.

“A parte do vírus que causa danos ao coração é chamada de proteína spike ”, disse McCullough.


O Epoch Times acrescentou:

A miocardite é uma das lesões mais comuns causadas quando o paciente recebe uma alta dose de proteína spike com a injeção, disseram os médicos, portanto, a alegação do estabelecimento médico convencional de que o risco de miocardite é maior sem a vacina é falsa. (Relacionado: VOCÊ FOI ENGANADO: Ministério da Saúde do Japão confirma os efeitos mortais das "vacinas" covid da Pfizer e Moderna)

Além disso, não há evidências para apoiar a alegação da indústria farmacêutica de que uma infecção leve com COVID-19 ou a variante ômicron esteja causando morte súbita, disse Malhotra.

“Existe um risco de eventos cardiovasculares tradicionais por causa desse grande incidente inflamatório que o corpo sofre com a doença respiratória COVID, mas há um pequeno risco insignificante de miocardite com COVID, a infecção respiratória, provavelmente porque o corpo não recebe essa exposição maciça à proteína spike, como acontece com as vacinas”, disse McCullough.

“Acho que as pessoas não deveriam se distrair com essa falsa narrativa de que o COVID leve pode estar causando um aumento maciço de paradas cardíacas”, disse Malhotra, acrescentando que acredita que teria havido muito menos dano ao público se as vacinas de mRNA não tivessem sido usado.

“Essas vacinas tiveram um impacto extremamente negativo na sociedade, na saúde e, claro, tudo o que aconteceu com ela também corroeu a confiança na medicina”, disse ele. “O que foi mais criminoso é dizer às pessoas que tinham imunidade natural para tomar a vacina.”

McCullough também indicou que a forma como os testes de vacinas foram conduzidos também foi problemática e incorreta. Ele observou que, quando as grandes empresas farmacêuticas e a reguladora americana (equivalente, a Anvida), Food and Drug Administration estavam registrando pessoas para os testes, elas rejeitavam qualquer pessoa que tivesse contraído o vírus e mulheres grávidas ou que pudessem engravidar.

“Quando temos critérios de exclusão em ensaios clínicos, as exclusões devem ser justificadas, e a justificativa para justificar a exclusão foi que eles não tiveram oportunidade de benefício e tiveram oportunidade de dano”, disse ele. 
“  Malhotra acrescentou: Estamos lidando com um resfriado ” agora. “As pessoas precisam ouvir a verdade. Precisamos parar de assustar as pessoas.”

Os médicos também disseram que a pandemia acabou, então não há razão para continuar com as medidas de emergência por causa disso. Aqui estão mais dados sobre mortalidades para você dá uma olhada além: quanto mais vacinados, mais hospitalizações e mortes conforme os países considerados "campeões" na vacinação Covid
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Suplemento Multivitamínico



Este site usa cookies e outros serviços para melhorar sua experiência. Ao usar nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade e Termos.