Fórum Econômico Mundial pede o fim da propriedade privada de veículos particulares... "Você não terá nada e será feliz".

A Grande Agenda de Reinicialização não prevê pessoas livres nem uma economia de mercado livre

Fórum Econômico Mundial pede o fim da propriedade privada de veículos particulares

O canal de notícias norte-americano FOX Business relata declarações do Fórum Econômico Mundial (WEF sigla inglês): Passos devem ser dados após os autoproclamados líderes mundiais liderados por Klaus Schwab para reduzir a dependência de metais críticos - isso também seria importante para a "energia verde". Para tanto, deve-se reduzir a propriedade de veículos particulares. Em vez disso, as pessoas devem usar ofertas de “compartilhamento de carro”.

Dificilmente alguma citação nos últimos anos se tornou tão famosa quanto a de Klaus Schwab : "Você não terá nada e será feliz". Claro que, com esta tese central do livro “The Great Reset”, Schwab não significa todas as pessoas, mas apenas aquelas que ainda não pertencem ao seleto círculo dos multibilionários. 

O Instituto Hayek explica precisamente:

Pelo contrário, o que não é de ninguém, ninguém se importa. A propriedade estimula a gestão e a responsabilidade. Os direitos de propriedade fortes também incluem a capacidade de comercializar recursos, permitindo que os mercados realoquem recursos naturais para fins de conservação.

No entanto, a Grande Agenda de Reinicialização não prevê pessoas livres nem uma economia de mercado livre. Prevê-se uma ditadura, exercida por aqueles “que sabem mais”. É hora das pessoas que restarem nessa redução populacional em andamento, imaginarem como será a vida em 2030 em diante. (Relacionado: Capanga de Schwab: "Nós simplesmente não precisamos da grande maioria da população"
)

A agenda globalista prevê o seguinte para o mundo 2030, conforme em 11 de novembro de 2016, o Fórum Econômico Mundial e a revista Forbes publicaram um pequeno ensaio intitulado “ Bem-vindo a 2030. Não possuo nada, não tenho privacidade e a vida nunca foi melhor ”. Escrito por Ida Auken, o ex-ministro do Meio Ambiente da Dinamarca imagina como será a vida em 2030.

Embora o ensaio tenha quase 6 anos, a maioria das pessoas tomou conhecimento dele – e da frase “Você não possuirá nada e será feliz” – desde que o Fórum Econômico Mundial (WEF sigla em inglês) anunciou a agenda The Great Reset (A Grande Reinicialização) em junho de 2020. Mas com essa reinicialização, será a queda da classe média, será aquela famosa frase; quem é rico cada vez fica mais rico, quem é pobre cada vez  fica mais pobre...

O ano de 2030 foi escolhido por sua importância para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas. Os ODS são uma coleção de 17 objetivos interligados adotados pelas Nações Unidas em 2015 com o objetivo ostensivo de acabar com a pobreza,- (imagina só, acabar com pobreza somente exterminando os pobres é claro! Publicamos sobre isso aqui - e Aqui) - proteger o planeta (eles culpam as pessoas de poluir o planeta o tempo todo, então proteger o planeta de quem? Certo, de nós mesmos) e espalhar a paz e a prosperidade (para os ricos) para todas as pessoas até 2030. Suas ações, no entanto, regularmente desmentem suas intenções declaradas de ajudar a humanidade.

Aqueles que pensam que tudo isso são teorias da conspiração devem considerar a pressão do Fórum Econômico Mundial em veículos pessoais. O motivo da empolgação é um artigo de 18 de julho em que o Fórum Econômico Mundial filosofa sobre o modelo de economia circular: “ 3 abordagens de economia circular para reduzir a demanda por metais críticos ”. Metais dos quais pertencem à maioria ao Brasil onde se concentra.

Enquanto os verificadores de fatos e mídia corporativa estão mais uma vez tentando encobrir, minimizar ou até mesmo negar as intenções do WEF, ele diz em preto e branco: " 1. Passe de possuir a usar ". Isso significa a recomendação clara de que as pessoas devem se abster de possuir veículos particulares e, em vez disso, usar serviços de suas corporações gigantes de serviços”. Em outras palavras, você particularmente não pode possuir nada, somente as gigantes corporações dele podem possuir.

Essa transição de combustíveis fósseis para energia renovável requer grandes suprimentos de metais críticos, como cobalto, lítio, níquel, para citar alguns. WEF

O Fórum Econômico Mundial assume que o slogan “em direção às energias renováveis”, que foi lançado de forma ditatorial e sem processos democráticos, também exige que as pessoas passem sem veículos particulares, por exemplo. Você tem que ter em mente que esse desejo por “energias renováveis” é apenas uma ilusão, porque a proibição do uso de madeira como combustível já está nos blocos de partida ( Report24 relatado ).

A principal crítica da Fox News à iniciativa do WEF é que suas ideias podem ser aplicáveis ​​à Europa, onde há pouco espaço compartilhado por muitas pessoas. Tais teorias seriam completamente inadequadas para os EUA, onde as pessoas estariam perdidas, especialmente em regiões rurais sem veículos particulares. (Relacionado: Fórum Econômico Mundial pede fim da propriedade de carros particulares
)

No entanto, outras ideias do WEF em relação à sustentabilidade também merecem ser consideradas. Assim, você pode entender o artigo como um discurso acalorado contra a obsolescência planejada, ou seja, a vida curta dos produtos induzida artificialmente. Enormes quantidades de recursos poderiam ser economizadas globalmente se telefones celulares ou laptops durassem mais.

 Pode-se - sim, é preciso - ser vigilante e crítico do WEF e seus planos nefastos - mas a curta vida de todos os produtos, que foi deliberadamente causada pela ganância das grandes corporações, é um grande problema e leva inevitavelmente a mais exploração da natureza , mentalidade descartável e desperdício sem sentido .
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Sugestão de suplemento

Postar um comentário

0 Comentários

Fechar Menu