Nova ordem mundial

Fórum Econômico Mundial revela plano para bloquear o Sol com "bolhas espaciais"

Coletividade Evolutiva
Nos Apoie: Doação
Fórum Econômico Mundial Revela Plano Para Bloquear O Sol Com "Bolhas Espaciais"

Em junho de 2019, o Fórum Econômico Mundial – um grupo privado de bilionários de elite – assinou uma parceria estratégica com as Nações Unidas, uma organização intergovernamental.  Essa parceria altamente questionável foi formada com o objetivo explícito de “acelerar a implementação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”.

Esse movimento foi visto por muitos em todo o mundo como uma “aquisição corporativa” das Nações Unidas e foi contestado por centenas de ONGs, organizações sem fins lucrativos e funcionários do governo. Uma carta aberta em setembro de 2019, assinada por essas organizações, detalhou o problema com tal movimento:

“As disposições da parceria estratégica fornecem efetivamente que os líderes corporativos se tornarão 'conselheiros sussurrantes' para os chefes dos departamentos do sistema da ONU, usando seu acesso privado para defender 'soluções' lucrativas baseadas no mercado para problemas globais enquanto minam soluções reais incorporadas em interesse público e procedimentos democráticos transparentes”.

Desde aquele dia fatídico em junho de 2019, a influência do 
Fórum Econômico Mundial cresceu e sua relevância e poder dentro do governo aumentaram muito.

Durante a pandemia do COVID-19, o 
Fórum Econômico Mundial lançou sua missão, intitulada The Great Reset (A Grande Reinicialização), para usar a pandemia para impulsionar o que eles dizem ser a necessidade de “as partes interessadas globais cooperarem no gerenciamento simultâneo das consequências diretas da crise do COVID-19”. para “ajudar a informar todos aqueles que determinam o estado futuro das relações globais, a direção das economias nacionais, as prioridades das sociedades, a natureza dos modelos de negócios e a gestão de um bem comum global”.

A Grande Reinicialização foi descartada pelos verificadores de fatos como uma teoria da conspiração, apesar de o 
Fórum Econômico Mundial defendê-lo publicamente e o chefe do Fórum Econômico Mundial, Klaus Schwab, literalmente escrever um livro com esse título – defendendo essas mesmas iniciativas.

Depois de acumular uma enorme influência governamental por anos, o grupo, que abertamente se autodenomina “elites” , chegou à mesma conclusão que Billy Gates chegou anos atrás – precisamos bloquear o sol para retardar as mudanças climáticas.

Ao contrário do plano de Gates de pulverizar partículas de aerossol na atmosfera para bloquear o sol, o 
Fórum Econômico Mundial apoiou a proposta do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos EUA de usar “bolhas espaciais” para formar um escudo solar.

Trata-se de um “escudo” composto de várias esferas de plástico capaz de flutuar na órbita da Terra. As “bolhas” seriam fabricadas no espaço e inseridas na máquina lá mesmo.

“As soluções baseadas no espaço seriam mais seguras – por exemplo, se desviarmos 1,8% da radiação solar incidente antes de atingir nosso planeta, poderíamos reverter totalmente o aquecimento global de hoje.”

Outra vantagem deste escudo solar em particular é que ele é reversível, pois as bolhas podem ser esvaziadas e removidas de sua posição.

As esferas seriam feitas de um material como o silício, transportado para o espaço na forma fundida, ou líquidos iônicos reforçados com grafeno.

Por enquanto, o plano é uma hipótese de trabalho e os cientistas por trás dele estão apenas realizando experimentos em laboratório. Citando a natureza altamente controversa de tais planos de geoengenharia, o 
Fórum Econômico Mundial recorreu ao seu relacionamento com a ONU para justificá-lo.

A geoengenharia provou ser controversa, mas o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas disse que é um Plano B necessário se os aumentos de temperatura não puderem ser limitados a um nível administrável.

De fato, independentemente das garantias da elite, muitos cientistas e órgãos governamentais estão tomando medidas para impedir tais ações. Alguns países até proibiram a prática.

No ano passado, a nação da Suécia se retratou em seu plano de testar o plano de Bill Gates de pulverizar partículas no céu para testar o bloqueio do sol – citando divergências entre os cientistas.

Outros simplesmente querem compensar quem é prejudicado por esses projetos.

David Keith, professor de física aplicada e políticas públicas da Universidade de Harvard, reconhece as “muitas preocupações reais” da geoengenharia, de acordo com um relatório da Forbes. Para compensar esses riscos, ele propôs a criação de um “pool de risco” para arrecadar fundos para os riscos associados ao brincar com a mãe natureza – até esfriando tanto uma área que os habitantes não conseguem cultivar alimentos.

Como a Forbes relata:

Mais uma vez, essas diminuições de temperatura trazem consigo sérios riscos. Temperaturas congelantes em 1815 levaram a colheitas fracassadas em condições de quase fome. Cientistas britânicos citaram aerossóis estratosféricos de erupções vulcânicas no Alasca e no México como a causa potencial da seca na região africana do Sahel . Grandes perturbações do clima global podem trazer consequências não intencionais, impactando negativamente regiões altamente populosas e gerando outra crise de refugiados.

David Keith propôs a criação de um “pool de risco” para compensar nações menores por danos colaterais causados ​​por tais testes, mas tal pagamento pode ser pouco confortável para aqueles deslocados por condições inabitáveis.

De fato. Nenhuma quantia de dinheiro compensaria uma família perder todas as suas terras para temperaturas congelantes e ser forçada a se mudar para outro país. Mas esses são alguns dos riscos envolvidos na modificação do clima – e é por isso que um pequeno grupo de elites globais que não são cientistas – não deveria tomar essas decisões para 8 bilhões de pessoas.

Fonte: TheFreeThoughtProject.com
Publicidade
Publicidade

Continua após publicidade

Siga Coletividade Evolutiva nas redes sociais!
Publicidade
Compartilhe:
Nos Apoie com um donativo
Este artigo pode conter afirmações que refletem a opinião do autor
apocalipse Aquecimento global descobrindo manipulação Mundo Nova ordem mundial


RECENTES