Adquira agora o e-book CULTIVANDO HORTA ORGÂNICA e  apenda tudo sobre o cultivo de hortas, do básico ao avançado,  desde o plantio até a colheita.
Últimas-notícias

O preço ao renunciar a sua liberdade: Austrália confiscando contas bancárias, propriedades, licenças e empresas por não pagar as multas da COVID

Últimas-notícias: O preço ao renunciar a sua liberdade: Austrália confiscando contas bancárias, propriedades, licenças e empresas por não pagar as multas da COVID... Austrália confiscando contas bancárias, propriedades, licenças e empresas por não pagarem as multas da COVID que obtiveram nas violações dos bloqueios

Fabio Allves
Compartilhe:
O preço a pagar ao renunciar a sua liberdade: Austrália confiscando contas bancárias, propriedades, licenças e empresas por não pagar as multas da COVID

Austrália confiscando contas bancárias, propriedades, licenças automobilísticas e empresas por não pagarem as multas da COVID que obtiveram nas violações das restrições autoritárias do governo. Esse é o reflexo do que está por vir, ao renunciarmos nossas liberdades em troca de uma falsa segurança. A falsa seguração de lançar restrições para supostamente combater COVID, está mais que claro, que é para combater os meios de subsistência e a liberdade das populações. Uma vez perdida, para sempre perdida.

De todas as medidas extremas realizadas por vários estados da Austrália, as cobranças e confiscos pelo Registro Estadual de Penalty and Enforcement (SPER) podem ser apenas a ponta do iceberg. Durante o longo bloqueio da COVID no estado de Queensland, Austrália (área de Brisbane), a maioria das pessoas não teve permissão para trabalhar ou ganhar a vida.

Semelhantemente ao Brasil e outros países nessa agenda genocida planejada, vários estados forneceram subsídios salariais para que as pessoas pudessem comprar produtos essenciais e pagar suas despesas de subsistência. No entanto, durante o bloqueio, se você fosse pego violando qualquer uma das restrições, você estava sujeito a uma multar civil ou multa por violação das restrições para supostamente protegê-los da COVID ou popularmente dito, para "combater o COVID".

  • Seja pego muito longe de casa, fora de sua localização permitida, e você ganha uma multa. 
  • Se for pego gastando mais do que o permitido fora do tempo permitido, sofre uma multa. 
  • Seja pego sem máscara, multa. 
  • Entre em uma zona de quarentena fechada (parque, local, etc.) e você receberá uma multa. 
  • As multas estavam sendo aplicadas pela polícia na rua, bem como em pontos de controle aleatórios nas estradas.

Além disso, as pessoas que retornavam a Queensland foram colocadas em um sistema de quarentena involuntária.
Os custos dessa quarentena, principalmente quartos de hotel, deviam ser pagos pelas pessoas involuntariamente cativas e proibidas de voltar para casa.

Os cidadãos foram obrigados a ter sua localização física digitalizada por meio de um código QR em seus telefones. Esses pontos de verificação visavam supostamente ajudar no controle da propagação do COVID e foram usados ​​para rastreamento de contato ao longo dos últimos dois anos. No entanto, os pontos de verificação e varreduras de conformidade do gateway também registraram sua localização física; a consequência foi uma maior capacidade da polícia e dos oficiais de multas da COVID de pegar pessoas que violam as regras da COVID. 

 Ex: Se você fez check-in no supermercado, eles sabiam a que distância você está de casa, e a polícia poderia descobrir se você violou sua hora fora de casa no próximo posto de controle.

O resultado de todo esse monitoramento de compliância foram milhares de multas civis por violação das restrições autoritárias do COVID. Milhares de pessoas receberam milhares de multas que precisariam ser pagas.

Agora o estado está exigindo que todas essas multas civis sejam pagas. E as ações de fiscalização para arrecadar essas multas do Registro Estadual de Penalidades e Execuções são bastante extremas. Os cidadãos com multas pendentes estão com a carteira de habilitação suspensa; contas bancárias estão sendo congeladas e apreendidas; casas e propriedades estão sendo confiscadas, bem como licenças comerciais suspensas.

“Os habitantes de Queensland que receberam multas por violar as regras da Covid-19 correm o risco de ter suas casas apreendidas e contas bancárias congeladas em uma repressão do governo para coletar $ 5,2 milhões em reembolsos.” ( LINK )

O Brisbane Times informou que o SPER está agora realizando uma “fiscalização ativa” na cobrança das multas. Suas táticas incluem adulterar contas bancárias ou salários, suspender carteiras de motorista ou registrar encargos sobre a propriedade das pessoas.

Cerca de 25 por cento das multas ainda estão sob investigação ou abertas ao pagamento sem que outras medidas sejam tomadas, explicam os relatórios.

“Fora do trabalho da SPER”, acrescentou o Times , “Queensland Health deu o passo incomum de chamar cobradores de dívidas privadas para buscar $ 5,7 milhões de contas de 2045 faturas significativamente atrasadas para quarentena de hotel”.

Queensland continua a tiranizar os residentes com ordens de máscara no carro sozinho e outras coisas sem sentido, que provavelmente está usando para acumular ainda mais multas para que possa impor mais tirania para coletar como parte de sua agenda de fascismo cobiçoso sem fim.
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Veja mais sobre: , , , , , , , , ,
Compartilhe:
RELATAR ERROS:

: Ao reproduzir este artigo: Uso não comercial OK, cite | coletividade-evolutiva.com.br | com um link clicável. Siga Coletividade Evolutiva nas | REDES SOCIAIS | Apoie o nosso trabalho com uma | DOAÇÃO |
Fabio Allves

Autor: Fabio Allves

Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas, questionando as raízes que constitui aparentemente nossa realidade, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tenho como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar.

MAIS RECENTES