Conluio de genocidas censurou tratamento precoce do COVID que poderia salvar até 85% da população

Vacinação: Conluio de genocidas censurou tratamento precoce do COVID que poderia salvar até 85% da população... O Dr. Peter McCullough também explicou que dado um nível de 80% de imunidade do rebanho, a ampla vacinação não tem 'nenhum fundamento científico

Fabio Allves
Compartilhe:
Conluio de genocidas censurou tratamento precoce do COVID  que poderia salvar até  85% da população

Um conluio criminoso de empresas, alguns governadores e prefeitos para implementar lockdown e para censurar às opções de tratamento precoce contra o coronavírus está resultando em centenas de milhares de mortes desnecessárias. Se a humanidade quiser sobreviver, esses gigantes corporativos malignos precisam ser desmantelados. Chegamos agora ao ponto em que o próprio futuro da civilização humana corre o risco de ser destruído por esses monstros corporativos malignos que estão conspirando para destruir nossas economias, nossas liberdades e nossa vida.

Esse conluio genocida, está constantemente ignorando o tratamento precoce e ignorando que lockdown está matando as pessoas, tudo para distanciar o público dessa verdade inconveniente, que tratamento precoce pode acabar com pandemia e salvar vidas. Ignoram que lockdown está matando as pessoas e não as protegendo como dizem. Também estão ignorando as reações e morte após vacinas.

A hidroxicloroquina e ivermectina já foram comprovadas que são eficazes como prevenção e tratamento da Covid-19. De fato, se você postar alguma informação sobre o nome cura Covid-19, é rapidamente censurado, não se pode mais promover qualquer medicamento barato, seja comprovado ou não para Covid-19. Em outras palavras, querem matar pessoas e não as salvar.

Assassinando a humanidade ao censurar tratamentos seguros e eficazes da Covid-19 - Dr. Peter McCullough


A censura da grande mídia e dos gigantes da tecnologia às opções de tratamento precoce para o coronavírus Covid-19 resultou em centenas de milhares de mortes desnecessárias, diz o Dr. Peter McCullough.

Um médico extremamente bem qualificado, que foi censurado pelo YouTube no ano passado, dirigiu-se ao Comitê de Saúde e Serviços Humanos do Senado do Estado do Texas no mês passado, fornecendo informações completas sobre tratamentos bem-sucedidos de COVID-19, o atual alto nível de imunidade coletiva contra doença, o potencial muito limitado de “vacinas” e os dados que mostram o tratamento precoce poderiam ter salvado até 85 por cento das “mais de 500.000 mortes nos Estados Unidos”.

O editor de duas das principais revistas médicas e a pessoa que mais publicou na história em seu campo, Dr. McCullough também diz que o atual alto nível de "imunidade de rebanho" prova que não há "nenhum fundamento científico, clínico ou de segurança" por trás de continuar massificando vacinar pessoas contra o vírus chinês.

Desde o início, o Dr. McCullough recusou-se pessoalmente a seguir as recomendações equivocadas do governo sobre o Covid-19. Em vez de deixar seus pacientes "definharem em casa sem tratamento e serem hospitalizados quando fosse tarde demais", o Dr. McCullough "reuniu uma equipe de médicos" para avaliar "o uso off-label apropriado da medicina convencional" para ajudar tratá-los.

O Dr. McCullough explica tudo sobre o que ele e sua equipe aprenderam ao longo desse processo em um artigo publicado no American Journal of Medicine .

“O interessante é que, embora houvesse 50.000 artigos na literatura revisada por pares sobre COVID, nenhum dizia ao médico como tratá-lo”, diz ele.

“Quando isso acontece? Fiquei absolutamente pasmo! E quando este artigo foi publicado ... ele se tornou ... o artigo mais citado em basicamente toda a medicina naquela época no mundo. ”

Imunidade de rebanho e vacinação -  Dr. McCullough


“Os cálculos no Texas sobre a imunidade do rebanho… no momento, sem efeito da vacina, são de 80%”, disse McCullough. “E mais pessoas estão desenvolvendo COVID hoje. Eles ficarão imunes (também). ”

“Pessoas que desenvolvem COVID têm imunidade completa e durável . E (esse é) um princípio muito importante: completo e durável . Você não pode vencer a imunidade natural. Você não pode vacinar em cima dele e torná-lo melhor. Não há nenhuma justificativa científica, clínica ou de segurança para vacinar um paciente recuperado de COVID. Não há razão para testar um paciente recuperado de COVID ”, ele continuou.

“Minha esposa e eu estamos recuperados de COVID. Por que fazemos os testes lá fora? Não há absolutamente nenhuma razão (para esses testes). ”

Dados os altos níveis de imunidade do rebanho , McCullough disse que qualquer impacto da ampla vacinação na prevenção de COVID-19 pode ser mínimo, na melhor das hipóteses.

“Há muitos pacientes recuperados de COVID. Deixe que eles renunciem à vacina e que as pessoas que estão clamando por ela a tomem. Mas com 80 por cento de imunidade de rebanho, nos testes de vacinas, menos de um por cento ... no placebo, obteve COVID. Menos de um por cento. A vacina terá um impacto de um por cento na saúde pública. Isso é o que dizem os dados. Isso não vai nos salvar, já estamos 80% imunes ao rebanho ”, disse ele.

“Se formos direcionados estrategicamente, podemos fechar a pandemia muito bem com a vacina”, afirmou o cardiologista. “Mas com alvos estratégicos. (Para) pessoas com menos de 50 anos que fundamentalmente não apresentam riscos à saúde, não há nenhuma base científica para que algum dia sejam vacinadas. ”

Abordando a ampla "desinformação" da transferência assintomática de COVID-19, que apoiou a necessidade de bloqueios devido à noção de que o vírus pode ser espalhado involuntariamente por pessoas infecciosas e assintomáticas, o professor médico disse: "Um dos erros que ouvi hoje, a justificativa para a vacinação é a disseminação assintomática. E quero ser muito claro sobre isso: minha opinião é que há um baixo grau, se houver, de disseminação assintomática. O doente dá para o doente. Os chineses publicaram um estudo ... [de] 11 milhões de pessoas. Eles tentaram encontrar [evidência de] propagação assintomática. Você não consegue encontrar. E isso tem sido, você sabe, uma das peças importantes de desinformação. ”

Finalmente, McCullough destacou o impacto da supressão de informações sobre tratamentos precoces eficazes e seguros durante o último ano. Citando dois estudos "muito grandes", ele disse "quando os médicos tratam precocemente pacientes com mais de 50 anos com problemas médicos, com uma abordagem multidrogas sequencial ... há uma redução de 85 por cento nas hospitalizações e morte ".

“Temos mais de 500.000 mortes nos Estados Unidos. A fração evitável poderia ter sido tão alta quanto 85 por cento (425.000) se nossa resposta à pandemia tivesse sido focada a laser no problema: o paciente doente bem na nossa frente ”, concluiu.

O YouTube sozinho é responsável pela morte de milhares


Com a ajuda de sua filha, o Dr. McCullough montou um vídeo incorporando quatro slides de seu artigo revisado por pares, que foi publicado em uma das melhores revistas médicas do mundo. Este vídeo “se tornou totalmente viral” no YouTube, embora tenha sido retirado em uma semana por violar “os termos da comunidade”.

O senador Bob Johnson, respondendo ao “bloqueio quase total de qualquer informação sobre tratamentos para pacientes” com teste “positivo” para o coronavírus Covid-19, realizou uma audiência em novembro para abordar a censura dos gigantes da tecnologia. O Dr. McCullough foi a testemunha principal durante a audiência.

“Não é à-toa que tivemos 45.000 mortes no Texas”, afirmou McCullough, observando que tanto a mídia quanto os políticos foram agressivamente desafiadores contra todas as informações sobre os primeiros tratamentos contra o vírus chinês.

“A pessoa média no Texas pensa que não há tratamento!” Ele acrescentou, explicando que existem soluções viáveis ​​que podem ajudar a prevenir que uma infecção pelo vírus chinês cause danos graves ou morte.
“O que aconteceu foi inacreditável!” O Dr. McCullough lamentou ainda mais sobre a contínua supressão da verdade pela grande mídia e pelos gigantes da tecnologia.

“Quantos de vocês ligaram uma estação de notícias local, ou uma estação nacional de notícias a cabo, e já receberam uma atualização sobre o tratamento em casa? Quantos de vocês já ouviram uma única palavra sobre o que fazer ao receber o diagnóstico de COVID-19? Isso é um fracasso completo e total em todos os níveis! ”

O Dr. McCullough criticou acertadamente a Casa Branca, tanto no governo de Donald Trump quanto de Joe Biden, por não conseguir reunir um painel de médicos para "fazer seus últimos esforços para impedir essas hospitalizações" e evitar "uma farsa completa e total de ter uma doença fatal e não tratá-lo. ”

Publicidade
Publicidade

Publicidade

Veja Também

Ajude manter o site no AR:

Transferência de PIX

Explore mais sobre:

Coronavírus , Covid-19 , Governo , Hidroxicloroquina , Ivermectina , medicina , Pandemias , saúde , Saúde e medicina , Sociedade , Vacina , Vacinação , Coletividade Evolutiva , Conluio de genocidas censurou tratamento precoce do COVID que poderia salvar até 85% da população ,
Compartilhe:
RELATAR ERROS:
Fabio Allves

Autor: Fabio Allves

Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar.