Estudo do remdesivir acidentalmente prova que a hidroxicloroquina é eficaz contra Covid-19

Compartilhar
Estudo do remdesivir acidentalmente prova que a hidroxicloroquina é eficaz contra o coronavírus

Até o momento, houve apenas um estudo realizado com remdesivir, o medicamento que a subsidiada pela indústria farmacêutica -  Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em um passe de mágica permitiu o tratamento para o coronavírus Covid-19 que Anthony Fauci deseja que você tome em vez de hidroxicloroquina que tem como prova médicos e estudos sólidos provando sua eficácia no tratamento da Covid-19. O estudo não prova a eficácia do remdesivir, no qual já rendeu para a fabricante mais de 766 bilhões de euros.

Acontece que o estudo prova exatamente o oposto: que o remdesivir é essencialmente inútil, e a 
 hidroxicloroquina é um vencedor, - no qual por ser barato e eficaz houve um golpe para suprimi-lo do público, - quando se trata de remediar os sintomas associados a uma infecção grave por COVID-19. Na verdade, inúmeros estudo e médicos provaram que a hidroxicloroquina cura contra a infecção pelo vírus modificado Chinês COVID-19, o único problema é que o público foi enganado e levado acreditar no remdesivir.

Apesar de as agências regulatórias ter concedido a aprovação de emergência para remdesivir como um tratamento medicamentoso exclusivo para COVID-19, a ciência mais recente não apoia seu uso como uma terapêutica eficaz.

O único documento mencionado anteriormente sobre o remdesivir que agências regulatórias usou como “prova” da segurança e eficácia do medicamento, na verdade, concluiu que a hidroxicloroquina, presumivelmente em conjunto com o antibiótico azitromicina, forneceu os únicos benefícios tangíveis observados ao longo da pesquisa.

Este artigo final, publicado há apenas algumas semanas, determinou que pelo menos 35% dos participantes do estudo haviam recebido hidroxicloroquina. E quase todos os pacientes que se beneficiaram foram aqueles que tomaram a 
 hidroxicloroquina, em oposição ao remdesivir.

“Nada no estudo apóia a hipótese de que remdesivir seja um antiviral eficaz para SARS-CoV-2/COVID-19”, observa Leo Goldstein. “Os dados do relatório final sugerem que hidroxicloroquina, foi o principal fator que beneficiou os pacientes neste estudo.” 

 Remdesivir prejudica e mata pacientes com coronavírus; não cura

O que é pior, o estudo descobriu ainda que os pacientes que receberam remdesivir em oposição a  hidroxicloroquina realmente tiveram resultados piores. Você leu corretamente: a droga alegada por Fauci ser uma “cura” para COVID-19 está, na verdade, matando pacientes com COVID-19, ou possivelmente pessoas diagnosticadas com falsos positivos.

“Os próprios números do estudo mostram uma associação entre  (remdesivir) e aumento da mortalidade nos pacientes mais graves”, Goldstein explica ainda. “Também é possível concluir que o remdesivir é prejudicial à rede para a maioria dos pacientes hospitalizados.”

Outra coisa a se notar sobre este estudo é que ele de forma alguma atende a nenhum dos “padrões ouro” usuais da agência regulatórias dos EUA, para pesquisas confiáveis. Por um lado, não foi duplo-cego, embora tenha sido falsamente relatado como tal.

O protocolo pré-registrado também foi alterado várias vezes ao longo do estudo, como era o resultado principal da pesquisa. O resultado, ao que parece, foi alterado depois que se determinou que o remdesivir não estava fornecendo os tipos de resultados que os pesquisadores esperavam obter.

“As medidas de resultados eram subjetivas e não confiáveis”, Goldstein revela ainda, acrescentando que o estudo “foi marcado por conflitos de interesse, agravados pelo projeto que deu ao NIAID (Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas  de Anthony Fauci) e Gilead (fabricante do remdesivir) vantagem sobre os hospitais e médicos que tratam dos pacientes. ”

Nada disso é tão surpreendente quando se considera a história sombria de Gilead , que ao que tudo indica é uma organização terrorista que conspira com o estado profundo para cometer crimes hediondos contra a humanidade.

Isso explicaria por que pelo menos três dos pesquisadores do estudo receberam bolsas e / ou honorários pessoais diretamente da Gilead e, convenientemente, deixaram de relatá-los como potenciais conflitos de interesse.

É provável que nada disso chegue às manchetes da mídia, o que significa que leitores como você terão que compartilhar com seus amigos e familiares diretamente. Devemos espalhar a verdade por toda parte, porque quanto mais cedo o fizermos, mais cedo todo este castelo de cartas plandêmico desabará onde deveria.

Fonte: Naturalnews.comwattsupwiththat.com
Compartilhar
Ajude-nos abrindo uma publicidade - Cique aqui
Ajude-nos abrindo uma publicidade - Cique aqui
Continue lendo após publicidade
Estar havendo uma extrema censura por parte dos gigantes da tecnologia. Por isso, incentivamos que todos que desejam receber nosso conteúdo valioso , a se inscreverem na nossa lista de e-mail. - Depois de se inscrever acesse sua caixa de entrada ou de spam para confirmar sua inscrição.
Siga nas redes | Instagram | Facebook |Twitter |Telegram

Fabio Allves

Fabio Allves
Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar. | Telegram