A pandemia da fome está chegando: morrerão mais pessoas de fome do que de Covid-19

Receba nosso conteúdo no | Telegram
A pandemia da fome está chegando: morrerão mais pessoas de fome do que de Covid-19

Comunidades pobres e outros que estão prestes a cair para a classe pobre em todo o mundo, estão enviando uma mensagem clara, urgente e repetida: “A fome pode nos matar antes do coronavírus”

No meu artigo recentemente publicado aqui, eu explorei aprofundadamente como as consequências das medidas restritivas das autoridades do governo de paralisar a roda da manufatura do país, em prol de tentar conter a suposta pandemia de Covid-19 tem causado a crise econômica, alimentar e social, levando milhares fecharem suas portas e quebras de pequenas empresas, que consequentemente estão levando o aumento do desemprego, pobreza e finalmente a fome, que agora parece está prestes a matar mais que o suposto vírus em si. A fome está se torando uma pandemia global.

Mas hoje, quero trazer mais esse alerta para vocês -  O David Beasley , diretor executivo do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) braço da Organização das Nações Unidas, já soaram o alerta que o número de pessoas passando fome aumentará 80 por cento antes do final de 2020. O resultado disso, diz ele, representará uma "fome de proporções bíblicas".

“Obviamente as tensões sociais crescerão, a migração aumentará, os conflitos aumentarão e a fome provavelmente afetará aqueles que não experimentaram isso antes”,

A ONU alertou sobre fome de 'proporções bíblicas' como resultado das paralisações de países em prol de tentar conter a disseminação de um suposto vírus Covid-19, no entanto, parece que estamos criando um vírus ainda maior, o vírus da fome, que provavelmente matará muitos antes mesmo do suposto vírus Covid-19 - o número de pessoas em crise de fome aumentará para 270 milhões antes do final do ano, um aumento de 82% desde 2019.

 No Brasil o total chegará a quase 14,7 milhões até o fim de 2020, ou 7% da população, segundo estudos do Banco Mundial. Segundo eles, supostamente “o Brasil saiu do Mapa da Fome em 2014, mas está caminhando a passos largos para voltar”

Mais pessoas podem morrer pelo vírus da fome do que pelo suposto vírus Covid-19 .

Alimentando a fome em um mundo já faminto. 


Desde o início da pandemia, a organização Oxfam.org, revelou que até 12 mil pessoas podem morrer por fome diariamente, até o final de 2020, devido às consequências em prol de tentar conter a Covid-19. Isso é mais que o total de mortes diárias causadas pela doença em si. O alerta está no documento O Vírus da Fome: como o coronavírus está potencializando a fome em um mundo faminto.

Em nosso mundo profundamente desigual, milhões de pessoas vivem e morrem de fome todos os anos. Em 2019, estimava-se que 821 milhões de pessoas sofriam de insegurança alimentar, das quais aproximadamente 149 milhões sofriam de fome ou pior.

Esta crise não é por falta de alimentos. Esses níveis de fome devastadores são um sintoma de um sistema alimentar falido que permitiu que milhões de pessoas passassem fome em um planeta que produz comida mais do que suficiente para todos.

As medidas restritivas de tentar conter a suposta pandemia de coronavírus acrescentou lenha à fogueira desta crescente pandemia de fome. Ele exacerbou as desigualdades e vulnerabilidades existentes, ao mesmo tempo que levou milhões de pessoas à insegurança alimentar como resultado do desemprego crescente e da crise econômica causada pela medidas restritivas das autoridades do governo em prol de tentar conter a suposta pandemia de coronavírus Covid-19.

Pontos quentes de fome extrema


Segundo o documento da Oxfam.org eles identificaram 10 países e regiões onde a crise alimentar é mais grave e piorando por causa da pandemia: Iêmen, República Democrática do Congo (RDC), Afeganistão, Venezuela, Sahel da África Ocidental, Etiópia, Sudão, Sudão do Sul, Síria e Haiti. Juntos, eles representam 65 por cento das pessoas que enfrentam fome em nível de crise em todo o mundo. Mas novos focos de fome também estão surgindo. Países de renda média, como Índia, África do Sul e Brasil, estão enfrentando níveis de fome em rápido aumento.

No Brasil, milhões de trabalhadores em situação de pobreza, sem recursos para se protegerem durante o período de medidas restritivas das autoridades do governo em prol de tentar conter o suposto vírus Covid-19, perderam sua renda. Apenas sobrevivendo com auxílio emergencial prometido pelo governo federal aos trabalhadores e às empresas, via o Programa Emergencial de Suporte ao Emprego (PESE), que agora piorou ainda mais a situação caindo para apenas R$ 300. Enquanto isso, grandes empresas tem obtido grandes lucros e mais benefícios do governo do que trabalhadores, micro e pequenas empresas.

Afirma Maitê Guato, gerente de Programas e Campanhas da Oxfam Brasil. “Não basta criar programas de proteção, o que muda a vida das pessoas é fazer os recursos chegarem na ponta.”

“Os riscos de disparada da fome no país são imensos quando o Estado brasileiro falha em garantir as condições mínimas de sobrevivência a todas as pessoas impactadas pelas consequências de tentar conter a suposta pandemia”. Criou-se uma consequência em todos os aspectos da vida social, econômica e alimentar, ao paralisar a vidas dos brasileiros com medidas draconianas, levou-se o fechamento de milhares de pequenas empresas e de efeito cascata, milhares de desempregados e consequentemente aumento da pobreza extrema e fome. Se não for retomado "normalidade anterior ao Covid-19" será tarde demais, enfrentaremos, como o eugenista Bill Gates disse, que a aproxima pandemia seria a pior, e parece que estamos caminhando para ela, a pandemia da fome.
Continue lendo após a publicidade
Continue lendo após a publicidade
Estar havendo uma extrema censura por parte dos gigantes da tecnologia. Por isso, incentivamos que todos que desejam receber nosso conteúdo valioso , a se inscreverem na nossa lista de e-mail. - Depois de se increver acesse sua caixa de entrada ou de spam para confirmar sua inscrição.
Se conecte com nós nas redes | Instagram | Facebook |Twitter |Telegram


Fabio Allves

Fabio Allves
Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar. | Telegram

Talvez você goste