A pandemia da fome está chegando: Fome de proporções bíblicas alerta o chefe de alimentos da ONU

Receba nosso conteúdo no | Telegram
A pandemia da fome está chegando: Fome de proporções bíblicas alerta o chefe de alimentos da ONU

As autoridades do governo baseando em suposições da OMS, tem paralisado o país com suas leis obrigatórias em pretexto de combater a Covid-19, no entanto, tem na realidade, causado a crise econômica, aumento no desemprego, fechamento de empresas e comércios, aumento da pobreza, fome, mortes, e como disse no meu artigo recentemente publicado, os governos do mundo estão prestes a causar uma pandemia da fome, da economia, da pobreza, e de falta de empresas, trabalho, etc. Recomendado: Qual sua escolha? Enfrentar um vírus tratável ou esperar a fome bater na sua porta?

Agora não somos nós quem está alertando para o iminente colapso, mas sim, o David Beasley , diretor executivo do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA), alerta que o número de pessoas sofrendo de desnutrição aumentará 80 por cento antes do final de 2020. O resultado disso, diz ele, representará uma "fome de proporções bíblicas". Recomendado: O lockdown e auxílio emergencial do colapso econômico, social e alimentar

“Obviamente as tensões sociais crescerão, a migração aumentará, os conflitos aumentarão e a fome provavelmente afetará aqueles que não experimentaram isso antes”, disse Beasley à agência de notícias russa TASS .

As projeções de dados do 
 Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas  sugerem que as nações latino-americanas passarão pela pior situação. Lá, o número de pessoas desnutridas pode disparar em até 269%, alerta Beasley.

Usando a mesma métrica para países da Ásia Central e Oriental, a agência de Beasley prenuncia um aumento de 135% na desnutrição. E na África Subsaariana, o número de pessoas que passam fome pode praticamente dobrar. Recomendado: Se prepare: crise, desemprego, falta de dinheiro, e um iminente colapso social

A menos que “ações ousadas” sejam tomadas para tentar resolver o problema, “muitos morrerão, as crianças sofrerão as consequências da desnutrição por muitos anos e o mundo perderá todo o progresso feito no combate à fome na última década”, Beasley diz.

“O preço da inação será incrivelmente alto”, acrescenta.

É importante notar que esta situação é exacerbada pelo fato de que cerca de 138 milhões de pessoas em 83 países dependem atualmente do 
 Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas  para fornecer seus alimentos. Em outras palavras, essa centralização fez com que, se um país caísse, todos caíssem. Recomendado: Dicas básicas de como se preparar antes de um colapso global

Infelizmente, muitos desses países contam com a ONU como sua “última esperança de sobrevivência”, de acordo com Beasley. Isso é lamentável e completamente desnecessário porque a agricultura e a autonomia alimentar têm sido o protocolo padrão desde o início dos tempos, tendo sido apenas recentemente consolidado nas mãos de poucos.

No Sudão do Sul, por exemplo, há agora 6,6 milhões de pessoas recebendo assistência alimentar da ONU, o que representa 1,6 milhão em relação ao ano passado. No Iêmen, cerca de 13 milhões de pessoas dependem do 
 Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas  para se alimentar.

Após a explosão que ocorreu recentemente na capital do Líbano, Beirute, muitos mais neste país foram igualmente forçados a se submeter ao  Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas, já que a explosão destruiu não apenas os estoques de grãos, mas toda a cadeia de abastecimento, já que o porto onde ocorreu entrega cerca de 85 por cento do abastecimento de alimentos do Líbano.

“Interessante notar que as corporações dos EUA têm apoiado golpes contra governos estrangeiros por mais de um século, apoiando apenas aqueles que desejam ver seu próprio povo escravizado e seus próprios recursos roubados”, foi a opinião de um comentarista da RT sobre a situação
.

De fato, apenas 10 empresas que controlam (quase) tudo o que comemos


De fato, apenas 10 principais empresas que controlam o mundo da alimentação, tendo por base o relatório de 2013, da Oxfam International. O relatório é fruto de uma investigação às políticas de funcionamento adotadas pelas empresas alimentares, ou seja, ao impacto das mesmas nas condições de trabalho dos funcionários, no meio ambiente, nas dietas, nos fornecedores, etc. Disponibilizando informações como as receitas de cada empresa e o seu lucro líquido, o site decidiu reunir informações base sobre cada uma delas.

Numa entrevista, o diretor do departamento de sector privado da Oxfam, nos EUA, discutiu o impacto que essas 10 empresas têm no mundo. "Se olhar para o sistema global alimentar (...) apenas um punhado de empresas pode ditar as escolhas alimentares, os fornecedores e a variedade de consumidores", disse Chris Jochnick.


Esse é o verdadeiro Reset global, apagar todo o sistema mundial através do colapso, para atualizar por outro sistema mais tecnocrata e opressor, esse é o rumo que a humanidade está sendo guiada nessa suposta batalha em combater uma suposta pandemia, caminhando para o colapso de todos os sistemas que sustentaram esse sistema atual, que está indo rumo ao afundamento, para que o novo emirja e revele ao mundo, o novo sistema governamental mundial, (Nova Ordem Mundial). Compartilhe este post, não permita a censura vencer...
Continue lendo após a publicidade
Continue lendo após a publicidade
Estar havendo uma extrema censura por parte dos gigantes da tecnologia. Por isso, incentivamos que todos que desejam receber nosso conteúdo valioso , a se inscreverem na nossa lista de e-mail. - Depois de se increver acesse sua caixa de entrada ou de spam para confirmar sua inscrição.
Se conecte com nós nas redes | Instagram | Facebook |Twitter |Telegram


Fabio Allves

Fabio Allves
Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar. | Telegram

Talvez você goste