Notícias Recentes

Uma em cada 39 crianças vacinadas sofre efeitos adversos graves

Uma em cada 39 crianças vacinadas sofre efeitos adversos  graves

Os pais são informados pelas autoridades de saúde pública e pela a grande mídia, que devem vacinar seus filhos estritamente de acordo com o cronograma de vacinação. Dizem que o cronograma rotineiro de vacinação infantil é baseado em ciência sólida, e é imperativo que todos os pais cumpram o objetivo de de vacinação para se protegerem da doença. Qualquer um que ouse criticar ou discordar da política pública de vacinação é caracterizado como perigosamente ignorante e irracional, e rotulados como anti-vacina.

Os Interesses econômicos e políticos por trás das vacinas têm orientado os programas de vacinação do Brasil desde muitos séculos , quando o estabelecimento médico e seus aliados do governo e da indústria reconheceram que a vacinação proporcionou um novo fluxo de renda e uma oportunidade convincente de “aumentar sua autoridade em um mercado médico competitivo”.

O fato é que se as vacinas são realmente tão seguras, então por que quase três por cento de todas as crianças vacinadas acabam sofrendo efeitos adversos graves ou morte devido a serem vacinadas?


De acordo com um estudo piloto realizado pela Agência Federal de Pesquisa em Saúde (AHCR), através do Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS) dos EUA em 2010, pelo menos uma em cada 39 crianças vacinadas teve algum tipo de efeito adverso grave, - 1,3, para ser mais preciso - por mês.

O que isso significa é que a alegação dos governos, é que os efeitos colaterais da vacina são "extremamente raros" é claramente falsa as declarações . Muito mais crianças do que a maioria das pessoas pensa que estão sendo danificadas todos os dias pelos produtos químicos, materiais virais e tecido fetal humano abortado encontrados nas vacinas infantis, que os Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA continuam alegando ser um moderno medicamento " milagre."



Mas não há nada de "milagroso" em desenvolver uma doença auto-imune, por exemplo, ou sofrer lesões cerebrais graves, que estão entre as muitas condições de saúde que alteram a vida que as dezenas de milhares de crianças vacinadas identificadas no estudo sofreram como resultado de serem vacinadas.

A grande maioria das lesões por vacina nunca é relatada


Publicado no Journal of American Medical Association (JAMA), este mesmo artigo também descobriu que chocantes 19,5% - quase um em cada cinco! - crianças menores de cinco anos que são internadas em pronto-socorro por “reações dos medicamentos” estão realmente sofrendo efeitos adversos   por vacina. Você nunca ouvirá isso dos “céticos”, mas as lesões por vacinas são uma causa bastante comum de visitas às urgências envolvendo crianças.

A taxa de internação em hospitais pediátricos, que tratam as lesões mais graves relacionadas a drogas, é ainda mais alta, relada a Defesa da Saúde da Criança (CHD). Embora o estudo não tenha levado plenamente em consideração essas instalações, se você aplicar os mesmos dados a hospitais infantis, o número de lesões relacionadas à vacina em crianças será ainda maior.

E o número ainda é maior do que esse quando você leva em conta o fato de que a maioria dos médicos convencionais nem sabe identificar adequadamente os efeitos adversos   da vacina e, portanto, nunca os denuncia, porque a grande maioria das escolas de medicina evita intencionalmente ensiná-los a fazer isso.

“As escolas de medicina - amplamente financiadas pela grande indústria farmacêutica, não ensinam médicos a reconhecer efeitos adversos das vacinas e doutrinam os pediatras a acreditarem que essas lesões não existem. O CDC diz aos médicos que os efeitos adversos da vacina é extremamente rara ”, explica CHD.
"Portanto, pediatras como o Dr. Riewerts, cujos pacientes sofrem efeitos adversos  da vacina como convulsões, epilepsia, alergias, efeitos adversos   auto-imunes e neurológicas, ou SMSL, provavelmente descartam esses incidentes como 'tristes coincidências' não relacionadas às vacinas e nunca as relatam ao Sistema de Notificação de Eventos Adversos a Vacinas (VAERS.)" 
Como já observamos no passado, a maioria dos efeitos adversos   por vacinas nem sequer é relatada nos bancos de dados oficiais do governo, devido à ignorância ou recusa generalizada entre os médicos em reconhecer que as vacinas são algo que não é "perfeito". 
O saúde e serviços humanos dos (HHS ) e o Agência Federal de Pesquisa em Cuidados de Saúde (AHCR) concordam que existem algumas anomalias graves de dados decorrentes disso, explicando em seu estudo que os eventos adversos de medicamentos e vacinas são "comuns, mas subnotificados" e acrescentando que "menos de 1% dos efeitos adversos da vacina foram relatadas. " “Hoje, o CDC continua propositalmente a usar um sistema de vigilância projetado para subestimar os ferimentos das vacinas em mais de 99%!”, Revela CHD.
Fontes
ChildrensHealthDefense.org
NaturalNews.com

Receba as notícias do Coletividade Evolutiva em primeira mão. Siga-nos nas redes sociais! Facebook - Twitter - Instagram - Receber por e-mail



Fabio Allves

Fundador:Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Ao longo da vida busquei explorar os mistérios e os conhecimentos ocultos que cercam o planeta e as origens da humanidade, questionando as raízes do que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao despertar a sociedade (Saber Mais)