A Farsa Pandêmica COVID e o Plano de 10 anos da OMS para "Novas Pandemias" e Vacinações

O objetivo foi injetar-nos armas biológicas, e eles conseguiram em grande escala.


A Farsa Pandêmica COVID e o Plano de 10 anos da OMS para "Novas Pandemias" e Vacinações

Desde o início da pandemia falsa de COVID-19, a narrativa predominante foi marcada por uma série de inconsistências e manipulações de psicoterrorismo midiático e de autoridades de saúde. Este artigo explora como a pandemia foi apresentada, destacando os possíveis interesses econômicos e políticos envolvidos e principalmente como todo o teatro pandêmico se seguiu e seguirá...novamente.

Um dos principais pontos de controvérsia foi a codificação errônea de mortes. Acidentes de carro fatais e mortes relacionadas a traumas foram falsamente registradas como causadas pela COVID-19. Pneumonia bacteriana, uma condição comum, resfriados, ansiedades e muitas outras foram frequentemente rotuladas erroneamente como COVID-19. O objetivo era impor o medo, e injetar-nos armas biológicas, e eles conseguiram em grande escala. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) desempenhou um papel central na gestão da pandemia, emitindo pronunciamentos de emergência falsos que influenciaram políticas globais. No entanto, a ligação estreita entre a OMS e o Fórum Econômico Mundial (WEF) levantou suspeitas sobre a imparcialidade dessas declarações, que hoje sabemos que são um verdadeiro conluio de corporações globais. 

A manipulação de dados em grande escala também foi um problema significativo, com muitos pacientes vacinados sendo erroneamente classificados como não vacinados nas primeiras semanas de internação hospitalar devido aos efeitos colaterais horríveis, distorcendo os dados sobre a eficácia das vacinas, afirmando falsamente como se fosse um mantra, vacina segura e eficaz.

Mike Yeadon, ex-cientista chefe da Pfizer, destacou os testes PCR como o "engano operacional central" da pandemia, alegando que sua alta taxa de falsos positivos resultou em dados inválidos. Além disso, a imposição de máscaras criou a percepção de um vírus extremamente mortal, apesar de um tempo depois a OMS vi admitir que o vírus estava em linha com a gravidade da gripe comum - mas seguiu-se o baile dos políticos impondo lockdows e criminalizando o comércio, médicos, tratamentos alternativos e muito mais...


O renomado epidemiologista Dr. John Ioannidis também observou que as distinções entre morrer com COVID-19 e morrer de COVID-19 não foram adequadamente feitas, inflando as estatísticas de mortalidade relacionadas ao suposto vírus, que fez impor um terror psicológico com um objetivo de colapsar nações e injetar armas biológicas.

A manipulação da pandemia teve consequências devastadoras. As taxas de excesso de mortalidade aumentaram significativamente em várias regiões, como na Austrália, onde houve um aumento de 5.162% nas primeiras 38 semanas de 2022. Nos Estados Unidos, o analista de seguros Josh Stirling afirmou que o país estava experimentando cerca de 600.000 mortes induzidas por vacina por ano.

O Plano de 10 Anos (2020/2030) da OMS para novas pandemias e novas vacinações - redução populacional


A virologista holandesa Marion Koopmans, que trabalhou com a OMS, revelou a existência de um plano de 10 anos para lidar com pandemias contínuas até 2030. Essa revelação sugere uma preparação deliberada para crises de saúde futuras ou falsas pandemias para novas vacinas e experimentos, levantando questões sobre as verdadeiras intenções por trás dessas estratégias. 

Koopmans, que foi removida da equipe da OMS após revelações de seus laços com o Partido Comunista Chinês, destacou a conexão entre pandemias futuras e vacinações em massa, implicando uma agenda de controle global por meio da saúde pública. Possivelmente esse plano é o tratado de pandemia da OMS e o regularmente internacional RSI.

Para contextualizar, Koopmans é um ex-membro da primeira equipe da OMS a ir à China para investigar as origens da pandemia de COVID-19. Ela foi removida do grupo após relatos revelando seus extensos laços com o Partido Comunista Chinês.

Provavelmente a pandemia de novas doenças induzidas pelas armas tecnológicas chamadas de vacinas mRNA, causando cânceres, trombose, inflamação cardíaca, etc, etc, etc...) desencadeadas pelas vacinações em massa - ou mesmo pandemias inventadas e distribuídas pela grande mídia. A OMS está tentando assumir o controle da saúde das nações e implementar sua agenda em um movimento de “totalitária tomada de poder” das nações.

“Isso está no plano de 10 anos da OMS há algum tempo”, disse Koopmans. “Esse plano diz que haverá uma grande crise de doenças infecciosas.”

“Por que a OMS tem um plano de 10 anos anunciando 10 anos de pandemias? Como eles podem saber?” perguntou David Sorensen em um vídeo detalhando evidências de que a OMS planeja manter a pandemia até 2030. (Fonte)

A pandemia de COVID-19 revelou profundas falhas e possíveis manipulações no sistema de saúde global. A codificação errônea de mortes, a manipulação de dados, e as políticas baseadas em testes defeituosos e percepções exageradas da gravidade do vírus apontam para um cenário onde interesses econômicos e políticos foram influenciados as respostas à crise. 

As vacinas contra a Covid são conhecidas por aumentar a letalidade após doses repetidas, aumentar as taxas de infecção por Covid, resultar em cânceres cardiovasculares, destruição reprodutiva, causar abortos espontâneos, paralisação, distúrbios autoimunes na tireoide, bem como dores de cabeça mortais, convulsões e inflamação cardíaca, além de uma infinidade de doenças graves vistas em estudos populacionais massivos e conter centenas de vezes os níveis permitidos de contaminação do ADN que conduzem a efeitos mutagénicos, bem como provavelmente alteram permanentemente o ADN dos vacinados e dos seus descendentes.
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Suplemento Multivitamínico

Este site usa cookies e outros serviços para melhorar sua experiência. Ao usar nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade e Termos.