AstraZeneca finalmente admite que sua vacina COVID-19 causa trombose com síndrome de trombocitopenia (TTS)

Pela primeira vez, a AstraZeneca admitiu em um tribunal superior do Reino Unido que sua vacina COVID-19 causa trombose com síndrome de trombocitopenia

AstraZeneca finalmente admite que sua vacina COVID-19 causa trombose com síndrome de trombocitopenia (TTS)

Mesmo que a AstraZeneca e outros fabricantes de vacinas tenham coagido governos em todo o mundo a assinar cláusulas de indenização, protegendo suas empresas de responsabilidade antes que suas vacinas COVID-19 fossem lançadas ao público; Dezenas de famílias que acabaram sendo atingidas por lesões causadas pela vacina se apresentaram para lutar por si mesmas e por seus entes queridos na Justiça.

À medida que as famílias levam seus casos ao tribunal, os advogados que representam a AstraZeneca tiveram que enfrentar sérias alegações de que suas vacinas são "defeituosas" e causam lesões de coagulação sanguínea com risco de vida. 

Pela primeira vez, a AstraZeneca admitiu em um tribunal superior do Reino Unido que sua vacina COVID-19 causa trombose com síndrome de trombocitopenia (TTS). TTS é uma condição médica onde um indivíduo sofre de uma baixa contagem de plaquetas e coágulos sanguíneos recorrentes.

Mais de 50 famílias agora buscam um acordo com a AstraZeneca sobre distúrbio grave de coagulação do sangue


A AstraZeneca enviou um documento legal ao Supremo Tribunal, afirmando que sua vacina COVID-19 "pode, em casos muito raros, causar TTS". Essa admissão chocante pode levar a pagamentos caso a caso.

De acordo com os advogados que representam as famílias atingidas pela vacina, alguns dos casos podem valer até 20 milhões de libras em indenização. No entanto, o ônus da prova para comprovar o prejuízo vacinal é um processo extenuante e demorado. 

As famílias precisam encontrar testemunhas médicas que estejam dispostas a romper com as ortodoxias de sua formação médica para combater a propaganda da indústria de vacinas. Não são muitos os profissionais médicos que estão dispostos a ir na contramão e arriscar sua carreira.

Para piorar a situação, a AstraZeneca não será responsabilizada criminal ou civilmente pelos danos causados pela vacina, mesmo depois que as lesões forem validadas por testemunhos médicos e pesquisas. A cláusula de indenização corrupta da AstraZeneca com o governo do Reino Unido força os contribuintes a cobrir os acordos pelos quais a AstraZeneca e outros fabricantes de vacinas deveriam pagar.

Devido a esses esquemas corruptos, obscurecendo a responsabilidade, os advogados que representam as vítimas de danos causados por vacinas tiveram que processar a AstraZeneca sob a Lei de Proteção ao Consumidor de 1987. As queixas legais consideram que a vacina é "um produto defeituoso" que "não era tão seguro quanto os consumidores em geral tinham o direito razoável de esperar".

Lesão por vacina não é "rara" quando acontece com você ou ente querido


Pesquisadores médicos e examinadores têm investigado TTS após a vacinação COVID-19. O vírus modificado dentro da vacina tende a agir como um ímã com um tipo específico de proteína no sangue chamado fator plaquetário 4. O corpo usa esta proteína para ajudar o sangue a coagular durante uma lesão. No entanto, após a vacinação, alguns indivíduos podem sofrer um ataque autoimune contra esse fator plaquetário 4. 

O sistema imunológico da pessoa confunde o fator plaquetário 4 com um patógeno estranho e, portanto, libera anticorpos para aniquilá-lo. Os anticorpos formam aglomerados ao redor do fator plaquetário 4, gerando coágulos sanguíneos. Essa complicação é conhecida como trombocitopenia trombótica imune induzida por vacina. (VITT). Este evento adverso está documentado há mais de dois anos, mas esta é a primeira vez que uma empresa de vacinas admite em tribunal que a sua vacina causa a doença.

Uma das vítimas da vacina da AstraZeneca é um engenheiro de TI e pai de dois filhos, Jamie Scott. Depois de receber a vacina, em abril de 2021, sofreu um coágulo sanguíneo e hemorragia cerebral que o deixou com uma lesão cerebral permanente. Sua esposa se pronunciou sobre o caso: "Precisamos de um pedido de desculpas, uma compensação justa para nossa família e outras famílias que foram afetadas. Temos a verdade do nosso lado e não vamos desistir."

Atualmente, há outros 50 desses casos de VITT aguardando na Suprema Corte. Os danos podem ultrapassar 100 milhões de libras no total. Além disso, a Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde coletou dados sobre 81 britânicos que morreram de complicações de coágulos sanguíneos ligadas diretamente à vacina da AstraZeneca.

Artigo republicado do Naturalnews.com
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Sugestão de suplemento

Postar um comentário

0 Comentários

Fechar Menu