ONU pede que Elon Musk censure mídia e opiniões independentes no Twitter/ X

Comissário da ONU pede a Elon Musk que monitore "desinformação prejudicial" e "discurso de ódio"

ONU pede que Elon Musk censure mídia e opiniões independentes no Twitter/ X

O alto comissário da ONU para os Direitos Humanos, Volker Türk, emitiu uma ordem direta a Elon Musk, solicitando a imediata censura dos meios de comunicação independentes e opiniões divergentes do establishment na plataforma Twitter, agora chamada de X. 

Volker Türk inicia seu apelo dizendoComo novo proprietário do Twitter, você tem enormes responsabilidades, dado o papel influente da plataforma como um espaço digital onde as pessoas discutem as suas ideias, as suas preocupações e as suas vidas. O Twitter deveria ser um lugar seguro e onde as atitudes das pessoas fossem respeitadas [...]

A medida foi anunciada em novembro de 2022 em uma carta aberta, na qual Türk instou Musk a garantir que o Twitter respeite os direitos humanos e tome medidas para monitorar o que ele descreve como "discurso de ódio" e "desinformação" - (esses são os rótulos usados para garantir censura de informações que as autoridades não querem que o público saiba.)

Na carta, Türk expressou sua preocupação com "nossa praça pública digital e o papel do Twitter nela". Ele destacou a necessidade de monitorar o discurso de ódio e a desinformação, enfatizando que a liberdade de expressão não deve ser interpretada como um "passe livre" para propagar conteúdo prejudicial.

Türk ressaltou que, como todas as empresas, o Twitter precisa reconhecer os danos associados à sua plataforma e tomar medidas para abordá-los. Ele enfatizou a importância de garantir que os direitos humanos sejam centrais para a gestão do Twitter sob a liderança de Musk.

Além disso, o alto comissário da ONU enfatizou que o Twitter deve respeitar os direitos das pessoas na "máxima extensão possível sob as leis aplicáveis" e ser transparente sobre a pressão do governo para infringir esses direitos, publicando relatórios de transparência.

Türk também alertou sobre os perigos do que ele chamou de "desinformação" e "discurso de ódio". Ele argumentou que o Twitter/ X tem a responsabilidade de evitar a amplificação de conteúdo que resulte em danos aos direitos das pessoas, destacando que não há lugar para o ódio que incite discriminação, hostilidade ou violência na plataforma.

Por fim, Türk enfatizou que a disseminação viral de desinformação prejudicial, especialmente durante a pandemia de COVID-19 em relação às vacinas, tem consequências graves no mundo real. Ele reiterou que o Twitter tem a responsabilidade de evitar a amplificação de conteúdo que possa causar danos aos direitos das pessoas.

"O Twitter tem a responsabilidade de evitar a amplificação de conteúdo que resulte em danos aos direitos das pessoas", disse Türk. "Não há lugar para o ódio que incite discriminação, hostilidade ou violência no Twitter.

"O discurso de ódio se espalhou como fogo nas redes sociais (...) com consequências horríveis e fatais".

"Por outro lado, a disseminação viral de desinformação nociva, como vimos durante a pandemia de COVID-19 em relação às vacinas, resulta em danos no mundo real. O Twitter tem a responsabilidade de evitar amplificar conteúdo que resulte em danos aos direitos das pessoas", disse o alto comissário.

Diante dessas declarações da ONU, a comunidade online expressou preocupações sobre o potencial impacto na liberdade de expressão e na diversidade de opiniões na plataforma Twitter. 

A resposta de Elon Musk a essa ordem da ONU ainda não foi divulgada, mas é esperado que gere debates significativos sobre os limites da moderação de conteúdo online e o papel das grandes empresas de tecnologia na proteção dos direitos humanos.
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Sugestão de suplemento

Postar um comentário

0 Comentários

Fechar Menu