ASSISTA: Discurso de parlamentar brasileiro na ONU demolindo a esquerda viraliza e ganha elogios de Elon Musk

Nikolas Ferreira disse que o presidente socialista do Brasil, Lula da Silva, "deveria estar preso" e criticou a ideologia LGBT e o aborto "genocida.

ASSISTA: Discurso de parlamentar brasileiro na ONU demolindo a esquerda viraliza e ganha elogios de Elon Musk
Artigo republicado de LifeSiteNews

Uma estrela em ascensão na política conservadora brasileira ganhou elogios de Elon Musk e outros usuários anti-woke nas redes sociais por um discurso emocionante que fez nas Nações Unidas.

Este foi o meu discurso na Sede das Nações Unidas, onde tive a oportunidade de contar ao mundo o que realmente está acontecendo no Brasil. Desde então, a “justiça” ordenou uma investigação contra mim, o deputado mais votado do país, apenas por dizer que Lula é um corrupto que deveria estar preso. - Nikolas Ferreira, discurso na ONU...

O deputado Nikolas Ferreira, de vinte e sete anos, criticou o presidente socialista Lula da Silva, que, segundo ele, "deveria estar preso". Ele também fez um duro ataque à ideologia LGBT.

"A esquerda substitui Jesus (...) [e] a cruz, que representa a injustiça contra uma pessoa inocente, com símbolos que não representam nada além do egoísmo", explicou Ferreira, que é cristão. "O arco-íris não é seu, mas nosso. Leia a Bíblia. Você vai descobrir."

Ele também condenou o aborto como o "maior movimento genocida silencioso" e ressaltou que o direito à vida é o "primeiro e mais fundamental dos direitos", em determinado momento defendendo um modelo de um feto de 12 semanas.

Ferreira alcançou reconhecimento global de nome nos últimos anos graças à sua capacidade de alavancar as mídias sociais. Atualmente, ele tem 3,3 milhões de seguidores no X, 10,6 milhões de seguidores no Instagram e 1,82 milhão de inscritos no YouTube.

Nascido em 1996, Ferreira foi eleito para a Câmara dos Deputados em 2022 com histórico 1,4 milhão de votos, o maior número já recebido por um candidato que disputou a Câmara.

Ferreira afirmou no X que suas declarações, que parecem ter sido proferidas em um encontro focado em jovens na ONU em 2023, resultaram em autocrático ministro do STF Alexandre de Moraes "investigando-o".

Precisamos de "novos juízes que honrem (...) e fazer justiça, e não como alguns do Supremo Tribunal Federal, que traíram o povo brasileiro e perseguiram seus adversários políticos", disse Ferreira em seu discurso.

Conforme relatado anteriormente pelo LifeSiteNews, o dono do X, Elon Musk, está envolvido em uma batalha legal sobre liberdade de expressão no país De Moraes, que tem governado o país como se fosse seu próprio feudo. Desde a eleição presidencial de 2022 entre Lula e Jair Bolsonaro, ele suspendeu pessoalmente contas bancárias e baniu repórteres, autoridades eleitas e cidadãos das redes sociais, tudo em nome da "defesa da democracia".

Musk anunciou nesta semana que De Moraes ordenou que certas contas fossem suspensas e que os detalhes de sua ordem fossem mantidos em sigilo. Musk se recusou a fazê-lo, mesmo diante de pesadas multas. Ele também pediu a renúncia de Moraes.

Em breve, 𝕏 publicará tudo o que é exigido por 
@Alexandre e como essas solicitações violam a legislação brasileira.

Este juiz traiu descaradamente e repetidamente a constituição e o povo do Brasil. Ele deveria renunciar ou sofrer impeachment.

Vergonha @Alexandre, vergonha. - Elon Musk...


"Em breve, X publicará tudo o que foi exigido pelo Alexandre e como esses pedidos violam a lei brasileira. Esse juiz tem traído descarada e repetidamente a Constituição e o povo brasileiro. Ele deve renunciar ou sofrer impeachment. Vergonha Alexandre, vergonha", postou Musk no X.

Na semana passada, o jornalista Michael Shellenberger lançou o "Twitter Files Brasil". De acordo com o repórter investigativo brasileiro David Agape, os arquivos revelam que "o FBI, os Soros e a Suprema Corte do Brasil estão envolvidos em um ataque direto às proteções à liberdade de expressão das Constituições brasileira e americana".

ARQUIVOS DO TWITTER - BRASIL

O Brasil está envolvido em uma ampla repressão à liberdade de expressão liderada por um juiz da Suprema Corte chamado Alexandre de Moraes.

De Moraes colocou pessoas na prisão sem julgamento por coisas que postaram nas redes sociais. Ele exigiu a remoção de usuários das plataformas de mídia social. E exigiu a censura de postagens específicas, sem dar aos usuários qualquer direito de recurso ou mesmo o direito de ver as provas apresentadas contra eles.

Agora, os Arquivos do Twitter, divulgados aqui pela primeira vez, revelam que Moraes e o Tribunal Superior Eleitoral que ele controla estavam envolvidos em uma clara tentativa de minar a democracia no Brasil. Eles:

— exigiu ilegalmente que o Twitter revelasse detalhes pessoais sobre usuários do Twitter que usaram hashtags de que ele não gostou;

— exigiu acesso aos dados internos do Twitter, em violação da política do Twitter;

— procurou censurar, unilateralmente, postagens no Twitter de membros efetivos do Congresso brasileiro;
- procurou transformar as políticas de moderação de conteúdo do Twitter em uma arma contra os apoiadores do então presidente @jairbolsonaro

Os Arquivos mostram: as origens da demanda do judiciário brasileiro por poderes de censura abrangente; o uso da censura pelo tribunal para interferência eleitoral antidemocrática; e o nascimento do Complexo Industrial da Censura no Brasil.

ARQUIVOS DO TWITTER - BRASIL foi escrito por @david_agape_ @EliVieiraJr e @shellenberger

Apresentamos essas conclusões a Moraes, ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Nenhum respondeu.

Vamos entrar nisso...


Em 2023, Moraes multou o aplicativo de mensagens Telegram por não suspender a conta de Ferreira, que ele alegou estar espalhando "manifestações criminosas".

Muitos cidadãos comuns no Brasil denunciaram a corrida presidencial de 2022 como fraudulenta. Centenas de milhares de cidadãos protestaram nas ruas. O ex-presidente Jair Bolsonaro retornou ao Brasil em março de 2023, depois de fugir temporariamente para a Flórida, mas teve sua casa invadida pelas autoridades federais dois meses depois. 

Ele está proibido de concorrer ao cargo até 2030 por supostamente provocar um motim ocorrido no Capitólio em 8 de janeiro de 2023, apesar de condenar o evento e não estar no Brasil na época. O filho de Bolsonaro, Eduardo, que visitou o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump em sua propriedade em Mar-a-Lago em março deste ano, disse que os advogados estão tentando reverter essa decisão.

Tucker Carlson entrevistou recentemente Eduardo para seu programa X. Carlson disse acreditar que está "bastante claro" que a eleição foi "roubada" e que foi "fraudada com a ajuda da CIA".

 


 

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Sugestão de suplemento

Postar um comentário

0 Comentários

Fechar Menu