Reviravolta: FDA concorda em remover postagens que alerta contra o uso de ivermectina para COVID

Comprovado: FDA e todos que suprimiram o uso da ivermectina no tratamento contra COVID tem Sangue nas Mãos


Reviravolta: FDA concorda em remover postagens que alerta contra o uso de ivermectina para COVID

A reguladora, equivalente a ANVISA, Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos, concordou em retirar do ar seu site e postagens nas redes sociais que diziam para as pessoas não usarem ivermectina para tratar a Covid-19. Agora é conhecido de todos que a FDA e todos que suprimiram o uso da ivermectina no tratamento contra COVID tem Sangue nas Mãos - incluído muitos do Brasil - Anvisa.

Isso aconteceu de forma inédita sob os termos de um acordo alcançado na quinta-feira em um processo alegando que a agência excedeu sua autoridade ao orientar profissionais de saúde e pacientes a não usarem o medicamento para o tratamento em meio a pandemia COVID-19.

Em até 21 dias, a agência removerá a atualização do consumidor de uma postagem difamatória contra o medicamento que dizia: "Por que você não deve usar a ivermectina para tratar ou prevenir a COVID-19", que retrata um médico e um cavalo. A FDA publicou a atualização em 5 de março de 2021.

A página da FDA, ainda no ar, afirma repetidamente que a FDA não autorizou ou aprovou a ivermectina para o tratamento da COVID-19 e alerta que o medicamento pode ser "inseguro". A página também inclui um aviso de linguagem para que as pessoas não usem ivermectina "destinada a cavalo".

A FDA também excluirá postagens de mídia social do Twitter, LinkedIn, Facebook e Instagram postadas em 2021 e 2022 com mensagens como: "Você não é um cavalo. Você não é uma vaca. Sério, vocês. Parem com isso".


As postagens sugerem que a ivermectina não está "autorizada" para o tratamento da Covid-19. A agência também removerá todas as postagens com links para a página sobre o medicamento.

Já retirou do ar sua página de Perguntas Frequentes sobre a ivermectina.


Em troca da remoção do conteúdo da internet, os demandantes no processo - Dr. Mary Talley Bowden, Dr. Paul Marik e Dr. Robert Apter - rejeitarão suas reivindicações contra a FDA.

"Este é um caso histórico e uma das vitórias mais importantes em toda a era COVID", disse Marik, diretor científico da Front Line COVID-19 Critical Care Alliance (FLCCC) e ex-chefe de Medicina Pulmonar e Intensiva da Eastern Virginia Medical School.

Marik disse ao The Defender:

"Vai além da ivermectina. Vai para a autoridade da FDA, o que eles podem e não podem fazer. É realmente sobre a relação paciente-médico, os médicos serem autorizados a serem médicos e prescreverem remédios. Então, espero que daqui para frente isso limite a interferência das agências reguladoras no controle da medicina."

A Dra. Mary Talley Bowden MD, 
uma médica com mais de 40 anos de experiência em medicina de emergência, tuitou o seguinte: 

A FDA perde sua guerra contra a ivermectina e concorda em remover todas as postagens nas redes sociais e diretrizes do consumidor relacionadas à ivermectina e à COVID, incluindo seu tweet mais popular na história da FDA.

Este caso histórico estabelece um precedente importante na limitação do alcance da FDA na relação médico-paciente. 
Dr. Robert Apter também comemorou a notícia. 

Um porta-voz da FDA disse ao Epoch Times em um e-mail que a agência "optou por resolver este processo em vez de continuar a litigar sobre declarações que têm entre dois e quase quatro anos".

"A FDA não admitiu qualquer violação da lei ou qualquer irregularidade, discorda da alegação dos demandantes de que a agência excedeu sua autoridade ao emitir as declarações contestadas no processo e mantém sua autoridade para se comunicar com o público sobre os produtos que regula", disse o porta-voz.

"A FDA não mudou sua posição de que os dados de ensaios clínicos atualmente disponíveis não demonstram que a ivermectina é eficaz contra a COVID-19. A agência não autorizou ou aprovou a ivermectina para uso na prevenção ou tratamento da Covid-19."

FDA  e todos que suprimiram o uso da ivermectina no tratamento contra COVID tem Sangue nas Mãos


A ivermectina é uma droga antiparasitária eficaz que tem sido administrada a bilhões de pessoas em todo o mundo. Foi descoberto na década de 1970 pelo microbiologista japonês Satoshi Ōmura, Ph.D., e pelo biólogo parasita americano William C. Campbell, Ph.D., que ganhou o Prêmio Nobel de Fisiologia de 2015 por sua descoberta.

Depois que muitos médicos em todo o país começaram a prescrever ivermectina para COVID-19 no início da pandemia, a FDA - incluindo aqui no Brasil  e em muitos outros lugares - lançou uma campanha contra o medicamento, apesar de vários estudos - incluindo estudos publicados em seu próprio site - mostrarem que a ivermectina pode ser eficaz como uma intervenção precoce contra a COVID-19 e o forte perfil de segurança do medicamento.

"A FDA demonizou a ivermectina, que é um medicamento altamente eficaz para o tratamento precoce da Covid. As consequências disso, e o que tem que ficar claro, é que isso levou diretamente à morte de milhões de pessoas", disse Marik. "Então, a FDA tem sangue nas mãos." - Fonte: The Defender

Nos EUA, é comum e legal que médicos prescrevam medicamentos off-label, ou para uma finalidade diferente da aprovada. Marik disse que 40-60% dos medicamentos são usados off-label.

"A FDA foi pega em uma grande mentira", disse ele, porque a agência permite e promove o uso de medicamentos off-label "desde que não interfira em sua autorização de uso emergencial".

No início desta semana, Kory abordou a questão da censura de médicos que promoveram a ivermectina para tratar pacientes com COVID-19 em um discurso que fez durante um comício, organizado pela Children's Health Defense, em frente à Suprema Corte dos EUA.

Este caso histórico estabelece um precedente importante na limitação do alcance da FDA na relação médico-paciente. Apter também comemorou a notícia. "Esta vitória em Apter et al v. HHS é uma notícia maravilhosa e mais um passo para colocar o governo de volta em seu lugar de seu excesso da era COVID", disse ele ao The Defender.

"A FDA sabia exatamente o que estava fazendo quando tuitou que a ivermectina era para cavalos e que as pessoas deveriam 'pará-la'. Espero que este caso sirva de precedente na próxima vez que uma agência federal de saúde sair de sua autoridade e tentar exercer a medicina", acrescentou.

Fonte: The Defender
Fonte: Epoch Times
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Uma pequena pausa antes de continuar


Este site usa cookies e outros serviços para melhorar sua experiência. Ao usar nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade e Termos.